Pesquisa do A.C.Camargo avalia tolerância de medicamentos em 430 mulheres idosas com câncer de mama

Publicado em: 12/06/2019 - 15:06:40
Pesquisa
Tratamento
Epidemiologia
Tumores de Mama

Apresentado na ASCO 2019, o trabalho analisou a eficácia de tratamentos com Trastuzumab e Lapatinib

Um estudo desenvolvido por pesquisadores do A.C.Camargo, que foi apresentado em Chicago durante a sessão de pôsteres de Survivorship e Supportive Care da ASCO 2019, analisou a capacidade de tolerância de mulheres com câncer de mama para dois medicamentos. 

Intitulado Treatment Completion and Toxicity of Trastuzumab or Trastuzumab plus Lapatinib in Older Patients in ALTTO (Conclusão do Tratamento e Toxicidade do Trastuzumab versus Trastuzumab + Lapatinib em Pacientes Idosas no estudo ALTTO), o projeto comparou como mulheres de diferentes faixas etárias toleraram os dois tratamentos testados no estudo global ALTTO – este, um outro estudo, amplo e internacional, conduzido em 1300 centros de aproximadamente 50 países e que envolveu 8 mil mulheres em 10 anos.

 

O processo

Como os dados do estudo global ALTTO ainda não foram apresentados, o oncologista clínico do A.C.Camargo, Noam Falbel Pondé, resolveu investigar esses tratamentos ao avaliar 4 mil mulheres, sendo 430 delas idosas. Um grupo usou Trastuzumab e o outro usou Trastuzumab + Lapatinib. 

“Pela falta de estudos, essas drogas são usadas em idosas sem se ter muita noção se são seguras”, explica o doutor Noam. “Comparamos idosas com não idosas e um tratamento com o outro analisando dados sobre reduções de dose, interrupções no tratamento, capacidade de completar o tratamento e a incidência de efeitos colaterais”, acrescenta o médico. 

 

Conclusões 

Durante o tratamento, as pacientes analisadas receberam quimioterapia – seja sequencial com Trastuzumab ou Trastuzumab + Lapatinib, seja ao mesmo tempo, combinada com os medicamentos. Radioterapia não fazia parte do estudo, mas as pacientes passaram pelo procedimento quando os médicos consideraram recomendado.

“O uso da quimioterapia ao mesmo tempo com ambos os tratamentos piorou a tolerância com os medicamentos”, afirma Noam Falbel Pondé. “Outra conclusão de nosso estudo é que o Trastuzumab é bem tolerado, ao contrário do uso de Trastuzumab + Lapatinib, que são mal tolerados sobretudo por pacientes idosas.”, finaliza o especialista.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Dia do Oncologista: entenda a atuação deste profissional no modelo Cancer Center do A.C.Camargo
O Dia do Oncologista, que é celebrado em 9 de julho, exalta este profissional responsável pelo diagnóstico e pelo tratamento do câncer. Além de adquirir e manter um conhecimento técnico extenso das melhores práticas de combate ao câncer, o oncologista precisa desenvolver habilidades comportamentais para...
Dr. Felipe Coimbra participa de congresso americano sobre doenças digestivas
Organizado por quatro sociedades médicas internacionais do setor de gastroenterologia (AASLD, AGA, ASGE e SSAT), o doutor Felipe Coimbra, head do departamento de tumores abdominais da nossa Instituição, participou como convidado da Digestive Disease Week (DDW), que aconteceu em San Diego, nos Estados Unidos. No...
6 informações sobre câncer de pênis que você precisa saber
E uma delas é que água e sabonete são muito importantes para combater a doença Grande parte dos pacientes atendidos com câncer de pênis no A.C.Camargo Cancer Center chega com o tumor em estágio avançado, quando a amputação do órgão é quase inevitável. Porém, como...
Por que o câncer pode voltar, mesmo após um tratamento bem sucedido?
Recidiva tumoral O retorno do câncer após um tratamento bem sucedido é chamado pelos médicos de recidiva ou recorrência tumoral. Isso pode acontecer semanas, meses ou mesmo anos depois do momento em que o câncer primário ou original foi tratado, independentemente de esse tratamento ter...
"O homem não pode se descuidar de jeito nenhum!"
Sou Carlos Levy, tenho 75 anos, funcionário público aposentado e pai de cinco filhos. Também sou avô dos meus quatro queridos netos e casado com o amor da minha vida, Amália. Desde meus 50 anos tenho um compromisso comigo mesmo: fazer meus exames periódicos. Sigo...