Genômica, a ciência que faz diferença

Publicado em: 19/11/2019 - 16:11:58
Pesquisa
Tratamento
Genética
Tumores do Pulmão e Tórax

 

Assista ao vídeo e entenda melhor como ela contribui para o combate ao câncer

A Genômica é uma prova que, ao longo dos anos, os avanços científicos não apenas proporcionaram um maior número de tratamentos contra o câncer, mas também uma maior personalização, que considera as peculiaridades de cada pessoa.  

No A.C.Camargo Cancer Center, cientistas e médicos dedicam-se a estudar os genes dos pacientes e de seus tumores para identificar alterações associadas ao câncer. Isso apoia o aconselhamento genético e o diagnóstico de síndromes que aumentam o risco de um tumor. 

Entre as doenças genéticas conhecidas que aumentam a chance de desenvolver câncer estão: Síndrome de Li-Fraumeni, Síndrome de Câncer de Mama e Ovário Hereditários, Síndrome de Lynch, Melanoma Familial, entre outras.

Para identificar essas doenças, a Instituição disponibiliza alguns testes genéticos:
•    Teste dos genes BRCA1 e BRCA2 – indicado para suspeita de Síndrome de Câncer de Mama e Ovário Hereditários 
•    Teste do gene TP53 (Síndrome de Li-Fraumeni) – indicado para suspeita de síndrome de predisposição a múltiplos tumores, casos de mama e sarcomas 
•    Teste dos genes de reparo (MLH1, MSH2, PMS2, MSH6) – suspeita de Síndrome de Câncer Colorretal e Endométrio Hereditários

Esses testes são indicados para pacientes com vários casos de câncer na mesma família ou com câncer em idade mais precoce que a usual, além de tumores múltiplos de origens diferentes. O mais importante é que as pessoas com suspeita de síndromes hereditárias passem por uma avaliação com um especialista em Oncogenética.


A Genômica na personalização do tratamento

Para o paciente em tratamento de câncer, identificar alterações genéticas associadas ao tumor é extremamente importante. Com essa informação em mãos, o oncologista clínico pode indicar o tratamento com as chamadas terapias-alvo, que agem em moléculas específicas do tumor, ou determinar a necessidade de um tratamento que seja ou não mais agressivo. 

É possível acompanhar a resposta ao tratamento com as chamadas biópsias líquidas, um exame realizado com fluidos do corpo, sem necessidade de se submeter a uma nova biópsia cirúrgica.

Com a biópsia líquida, o médico pode acompanhar a evolução da doença verificando a presença de algum fragmento do tumor – DNA, célula, entre outros – nos fluidos do corpo. O acompanhamento pode evitar medicamentos que o paciente desenvolveu resistência.

Veja este vídeo da série Ciência que faz Diferença e entenda melhor como funciona a Genômica no A.C.Camargo Cancer Center:

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Quinoa: assista ao vídeo e prepare este risoto saudável
Para abrir 2020 de olho na prevenção, aprenda esta receita prática e se beneficie de suas tantas propriedades de um jeito saboroso Quinoa, uma planta nativa da região andina do Peru, Bolívia, Equador e Colômbia. Para quem quer melhorar os hábitos agora em 2020, ou...
Novas Fronteiras - Como tratar a mulher jovem com câncer de mama
Apesar de menos frequente, o câncer de mama em mulheres abaixo dos 40 anos costuma ser diagnosticado em fases mais avançadas e está associado a tipos histológicos mais agressivos. Em um levantamento com 4.527 de nossas pacientes diagnosticadas com câncer de mama e tratadas a...
O Dia do Oncologista e a excelência em ensino do A.C.Camargo
Esse profissional da medicina tem um diferencial no processo de formação: a humanização Nove de julho é o Dia do Oncologista. Trata-se de uma especialidade peculiar da medicina, pois esse profissional é responsável pelo diagnóstico e pelo tratamento do câncer. Há um aspecto adicional que...
Mioma no útero poderia ser um sinal de câncer?
Algumas mulheres podem detectar um mioma (fibromioma) no útero ao fazer exames de rotina como o ultrassom pélvico. Apesar do nome assustador, não há motivo para tensão: esse tipo de tumor é benigno, originário da proliferação da camada muscular do órgão, chamada de miométrio. Geralmente...
ASCO 2020, um congresso diferente
Por Celso Abdon Lopes de Mello, oncologista clínico do A.C.Camargo Cancer Center Este é um ano diferente. Há mais de 10 anos, frequento o congresso anual da Sociedade Americana de Oncologia, a ASCO, que começa hoje. Por ser muito grande e reunir um número enorme...