Estudo RAPIDO: foco no tratamento do carcinoma de reto localizado

Publicado em: 01/06/2020 - 12:06:04
Pesquisa
Tratamento
Radioterapia
Tumores Colorretais

Por Celso Abdon Lopes de Mello, oncologista clínico, com a colaboração da médica da radioterapia Maria Leticia Gobo, ambos do A.C.Camargo Cancer Center

Os resultados do estudo RAPIDO estavam sendo bastante aguardados.

Os pacientes com carcinoma de reto distal de alto risco são tratados hoje com quimiorradioterapia neoadjuvante, seguida de cirurgia e quimioterapia adjuvante. 

A chance de ocorrer uma recidiva local do tumor é relativamente baixa nos dias atuais, nos melhores centros. 

Porém, a recidiva à distância (ou metástase) é frequente em tumores de alto risco. 

Este estudo avaliou uma estratégia que já vinha sendo empregada em alguns cenários, que é a radioterapia hipofracionada de curta duração (short course). Em vez de cinco semanas, a radioterapia é empregada em uma semana. 

Estudo anteriores mostraram que, aparentemente, a radioterapia administrada em short course não era inferior à de cinco semanas. 

Além disso, o braço experimental também empregou a quimioterapia pré-operatória. 

Em resumo, o braço experimental foi tratado com radioterapia na dose de 5Gy x 5 dias seguido de quimioterapia com FOLFOX x 9 ciclos ou CAPOX x 6 ciclos – e, por último, a cirurgia. 

O que se observou foi uma menor recidiva da doença (falha ao tratamento relacionada com a doença), ou seja, 7% menos recidiva da doença em termos absolutos; o resultado também mostrou que esta estratégia aumentava significativamente a taxa de resposta patológica completa: de 14% para 28%. 

Os dados de sobrevida global ainda não foram avaliados. 

Além da maior efetividade dessa estratégia, outra vantagem é a maior praticidade, pois reduz o tempo do tratamento, com menos deslocamento para realizar a radioterapia em cinco semanas, menos tempo afastado do trabalho etc. 

Em tempos de Covid-19, esta estratégia minimiza significativamente a exposição do paciente ao ambiente hospitalar.

Este é um importante estudo que, certamente, em breve deverá mudar a prática e tornar-se um novo padrão para pacientes com tumores de reto baixo que apresentam alto risco de recidiva. 

Celso Abdon Lopes de Mello e o câncer colorretal

Maria Leticia Gobo Silva

Saiba mais:
- Acompanhe aqui o melhor do ASCO Annual Meeting 2020

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Com cientistas do A.C.Camargo e da USP entre os autores, estudo internacional vence premiação ao relacionar bactérias do intestino ao câncer colorretal
É a segunda vez que pesquisadores de nossa instituição garantem a láurea do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Conduzido por cientistas de um grupo internacional que inclui o A.C.Camargo Cancer Center, a USP e a Universidade de Trento, na Itália, um estudo...
Grande estudo publicado na revista Applied mostra o que devemos aprofundar no conhecimento dos tumores gástricos
Vamos começar pela boa notícia: a taxa de prevalência do câncer gástrico tem diminuído bastante nos últimos 70 anos. A não tão boa é que o índice de mortalidade é pior do que o de outros tipos de câncer. No Brasil, o câncer gástrico é...
Células tumorais circulantes e câncer de mama: estudo é reconhecido em congresso da SBOC-AACR
Células tumorais circulantes e câncer de mama. Estas duas temáticas nortearam um estudo conduzido pela Dra. Solange Sanches, oncologista clínica do A.C.Camargo, que contou com a orientação da Dra. Ludmilla Chinen, pesquisadora do Centro Internacional de Pesquisas (CIPE) da Instituição. Esse trabalho foi premiado no...
A atuação dos Cuidados Paliativos em pacientes adultos e pediátricos
Esse departamento do A.C.Camargo Cancer Center busca promover melhor qualidade de vida aos pacientes e familiares que enfrentam questões associadas à doença O Departamento de Cuidados Paliativos, com seu trabalho voltado à prevenção e ao alívio do sofrimento do paciente, tenta identificar seus problemas precocemente...