Doutora examina pinta nas costas desnudas de uma mulher branca

Conheça este projeto inovador de pesquisa sobre melanoma e seu tratamento com imunoterapia

Publicado em: 01/12/2020 - 07:12:00
Pesquisa
Institucional
Imunoterapia
Tumores Cutâneos
Linha Fina

Seja protagonista: você pode fazer a diferença e ajudar a salvar vidas que tratam um câncer de pele – saiba como 

Alguns pacientes com melanoma metastático ou localmente avançado que passam por cirurgia são tratados a seguir com imunoterapia pelo período de um ano. 

A imunoterapia é uma forma de tratamento que visa recuperar o controle do sistema imune do paciente contra o tumor. E, para diversas pessoas, essa terapia consegue prevenir o retorno do câncer.

Infelizmente, a imunoterapia não funciona para todos os pacientes e, também, pode gerar, em alguns casos, efeitos colaterais importantes – além de envolver um custo muito alto.

Assim, o desafio neste projeto de pesquisa é tentar identificar os pacientes que vão se beneficiar desse tratamento e apontar aqueles que têm maior risco de sofrer com efeitos colaterais. 

“Ao atingirmos esses objetivos, otimizaremos os recursos e pouparemos os pacientes que, infelizmente, não se beneficiariam da imunoterapia. Para tanto, estudaremos biomarcadores de resposta ou toxicidade ao tratamento em amostras de sangue, fezes ou do tumor de cada paciente, isso a partir de diversas técnicas inovadoras disponíveis em nossos laboratórios de pesquisa”, explica o Dr. Milton José de Barros e Silva, oncologista clínico do A.C.Camargo.

Este projeto de pesquisa foi batizado como Marcadores Imunológicos Sistêmicos Relacionados à Recidiva da Doença em Pacientes com Melanoma Submetidos ao Tratamento Adjuvante com Anti-PD-1.


Como funciona o projeto

Este delineamento experimental reúne pacientes com melanoma operados e com alto risco de recidiva (estadio III e IV), que receberam terapia adjuvante (preventiva) com um anticorpo anti-PD-1. 

Segundo o Dr. Kenneth Gollob, imunologista e head do Grupo de Pesquisa em Imuno-oncologia Translacional do A.C.Camargo, no momento anterior ao início do tratamento, serão coletadas amostras de sangue e tecido tumoral, que permitirão avaliar o perfil imune solúvel dos pacientes. 

Além disso, o Dr. Emmanuel Dias Neto, head do Grupo de Genômica Médica, investigará a microbiota (composição das bactérias) presente em amostras do tumor. 

“Os pacientes serão seguidos durante o tratamento e divididos em grupos de respondedores e não respondedores, segundo avaliação radiológica e clínica”, detalha o Dr. Kenneth Gollob.

“Nesta primeira fase de descoberta, esperamos encontrar biomarcadores e populações celulares-chave para o controle ou a progressão do tumor. Numa segunda fase, pretendemos purificar essas populações celulares por sorting e fazer experimentos de estimulação in vitro para avaliar a função real dessas células”, acrescenta o especialista. 

Desta forma, esses biomarcadores solúveis ou celulares no sangue, além dos perfis de microbiota, poderão ser usados para entender quais pacientes irão se beneficiar do tratamento e também aqueles com risco de enfrentar efeitos tóxicos colaterais.

Não está incluído ainda neste projeto, mas, futuramente, será avaliado o infiltrado imune do tumor por microscopia de fluorescência e o perfil genético por transcriptoma e exoma.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Covid-19 e imunoterapia em pacientes com câncer em tratamento
Conheça os cuidados que essas pessoas devem manter para garantir a proteção contra o vírus Covid-19 e imunoterapia. As pessoas que fazem tratamento contra o câncer a partir desse tipo de terapia devem ter os mesmos cuidados da população em geral. A imunoterapia, que estimula...
Laringe: caminhos para a cura e a preservação das funções
Destaque da revista Oral Oncology, pesquisa do A.C.Camargo estabelece moléculas micro-RNAs como biomarcadores para a terapia do câncer nesse órgão A laringe é um órgão vital, responsável pela fala, pela deglutição e pela respiração. Os cânceres nessa região são dos mais frequentes. De acordo com...
Pesquisador do A.C.Camargo participa de descoberta de Sarcoma na Cavidade Nasal
Quando um paciente de 53 anos apresentou quadro de recidiva de um rabdomiossarcoma, câncer no músculo, comum em jovens e crianças, seu médico decidiu enviar o caso para a investigação de um patologista. Era o primeiro passo para o estudo que descobriria um novo tipo...
Estudo analisa a reintrodução de anti-EGFR para tratamentos de câncer colorretal
O carcinoma colorretal é o segundo tipo de câncer mais frequente no Brasil, tanto para homens quanto mulheres. Está associado a sedentarismo, consumo de tabaco, obesidade, assim como alimentação pobre em fibras. Pacientes diagnosticados com câncer colorretal iniciam tratamento oncológico, muitas vezes, com medicamentos que...
Oncologistas clínicos do A.C.Camargo são selecionados para Programa de Mentoria da ASCO, a Sociedade Americana de Oncologia Clínica
Dois médicos titulares do A.C.Camargo Cancer Center foram selecionados para o programa de mentoria da ASCO, a American Society of Clinical Oncology (Sociedade Americana de Oncologia Clínica). Receberam essa honraria os oncologistas clínicos Fernando Augusto Batista Campos e Marcelle Goldner Cesca. O que é a...