Institucional

Navegar é preciso

Artigo assinado pelo Doutor Victor Piana de Andrade, Diretor Geral do A.C.Camargo, e publicado originalmente na revista Veja

Imagine você descobrir que amanhã, se quiser viver, terá que cruzar o Atlântico em um barco. E não tem como adiar. Você não se sente capacitado, mas não tem escolha. Não sabe por onde começar, nem mesmo tem tempo de pensar. Como fica seu trabalho? Seus filhos? Seus outros planos? Um paciente recém-diagnosticado com câncer se sente assim: perdido, desorientado, cheio de incertezas, sem saída.

Cruzar o Atlântico amanhã sem experiência e com segurança vai requerer que você seja um tripulante em meio a uma equipe experiente, que já fez essa viagem muitas vezes, conhece as melhores rotas e os perigos, sabe bem a hora de içar velas e quando recolhê-las para esperar a tempestade passar… 

Claro, você terá responsabilidades a bordo, mas com orientações contínuas. Parece melhor agora?  Ah sim! Já ia me esquecendo... A viagem será paga por você e, portanto, não podemos exagerar no tamanho do barco, nem no número de tripulantes, somente o necessário e adequado para otimizar a segurança e a chance de sucesso.  

Cuidar do câncer e de várias outras doenças complexas é assim. Requer um time de especialistas com vivências, organização, planos claros e bem comunicado. Quando o paciente chega aterrorizado, nós explicamos, apresentamos o plano, transmitimos segurança, esclarecemos os riscos, lembramos dos inúmeros sucessos. E convidamos o paciente a se integrar na equipe.

Sim, agora o “Dr. Você” é parte importante da equipe. “Dr. Você” precisa dizer tudo que sabe ao grupo, alertar sobre sinais e sintomas, estar atento aos eventos adversos, zelar pela sua segurança e de todos no barco, expor as suas preocupações. Nenhuma decisão é tomada sem o “Dr. Você” participar. 

Há espaço inclusive para adequar a velocidade, o trajeto e suas preferências.  Nada sobre você acontece sem você – afinal, a travessia do oceano só se justifica porque você precisa chegar lá.

A oncologia cresce em complexidade a cada dia: mais alternativas terapêuticas, mais detalhes, mais genômica, mais personalização. O tratamento é longo, com anos de idas e vindas a médicos e múltiplos profissionais. Aliás, há cada vez mais especialistas de diferentes origens na tripulação: os que fazem o diagnóstico, os que preparam para suportar o tratamento, os que tratam, os que controlam os sintomas da doença e dos eventos adversos, os que organizam a reabilitação física e mental, os que cuidam da nutrição ao longo da jornada, os que garantem a segurança de todos os medicamentos, os que acolhem os sentimentos nas horas difíceis, aqueles que ajudam a voltar às atividades do cotidiano. 

Todos são excepcionais no que fazem, mas alguém precisa garantir a comunicação entre essa equipe e gerenciar o plano coletivo. Chamamos esse profissional de Navegador de Pacientes. É uma profissão que pode ser exercida por qualquer pessoa que se capacite, mas vemos, mais frequentemente, enfermeiros se especializando nesse tema pela capacidade de integrar conceitos clínicos de segurança, eficácia, eficiência, coordenação de pessoas e acolhimento. É um especialista na coordenação do cuidado, entre todos aqueles que mais vão ficar ao lado do “Dr. Você” na travessia, ajudando na transição entre as etapas e entre os especialistas.

A Navegação de Pacientes remove barreiras que atrapalhariam o plano de ação. O profissional coordena as consultas e exames com a pessoa certa, na hora certa, sem desperdício de tempo ou recursos.  Há metas de tempo para iniciar o tratamento que aumentam as chances de sobrevida; há momentos importantes para se medir se o benefício esperado do tratamento está acontecendo; há pausas para discussões entre especialistas sobre situações não previstas. Navegar é preciso; a vida precisa.  A relevância é tanta que está em trâmite na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 4171/21, que cria o Programa Nacional de Navegação de Paciente, com o objetivo específico de treinar profissionais de saúde para orientar, tratar, acompanhar e monitorar pacientes com câncer de mama no Sistema Único de Saúde (SUS). 

Em 2005, o National Cancer Institute dos Estados Unidos investiu 25 milhões de dólares para implantar um Programa de Navegação de pacientes oncológicos. Desde então, o Medicare e Medicaid, o Affordable Care Act e o Colégio Americano de Cirurgiões recomendam a navegação desses pacientes. O Programa Nacional de Acreditação de Centros de Referência em Câncer de Mama dos Estados Unidos exige a navegação de pacientes para emitir certificado no nível de excelência.  

Os estudos reportam que pacientes navegados iniciaram o tratamento mais rápido, aderiram mais ao plano de tratamento, passaram menos tempo internados, fizeram menos à emergência e, por fim, relataram mais bem-estar, equilíbrio emocional e satisfação com o cuidado. 

Mais chance de sucesso com menos esforço e sofrimento do paciente. Lembra do custo? Ao evitar que o paciente busque descobrir sozinho os caminhos do seu cuidado, a navegação evita redundância de consultas, exames e procedimentos. Com isso, reduz os custos para quem paga a conta. Sem falar nos custos indiretos de não aderir ao plano de cuidado. A navegação no tratamento do câncer é a antítese do que dizia o poeta: navegar é preciso, viver é ainda mais preciso.

Novas lideranças de equipes médicas do A.C.Camargo

Linha Fina

Conheça os profissionais que vão liderar as equipes de anatomia patológica, neurocirurgia, pediatria e psiquiatria

Em continuidade às necessidades de nosso cancer center, comunicamos alterações nas lideranças de equipes médicas. Conheça quais são os novos profissionais e seus principais desafios.

Anatomia Patológica

É com muita satisfação que convidamos a Dra. Louise De Brot Andrade, médica titular há 12 anos do A.C.Camargo, para assumir a posição de head do departamento de Anatomia Patológica.

Graduada em medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, com residência e doutorado pelo A.C.Camargo, possui subespecialização em patologia endócrina e citopatologia em Brigham Women's Hospital/ Harvard Cancer Center (EUA) e em patologia ginecológica pelo Hospital de la Santa Creu i Sant Pau (Espanha) e no Memorial Sloan Kettering Cancer Center (EUA).

Dr. Louise terá como principais desafios: manter e aprimorar a excelência técnica e científica da equipe de Anatomia Patológica, alinhada às práticas do modelo cancer center, além de promover a integração com as demais especialidades médicas.

Agradecemos ao Dr. Antonio Geraldo Nascimento pelos 10 anos de dedicação ao hospital, quatro deles conduzindo a equipe e garantindo a excelência na assistência ao paciente, além de influenciar e contribuir no desenvolvimento de projetos institucionais. Foram mais de 200 artigos publicados, 60 residentes e 16.000 exames só em 2022. Dr. Nascimento permanecerá na Instituição como médico titular da equipe de Anatomia Patológica.

Neurocirurgia

Passa a integrar o nosso time o Dr. José Erasmo Dal’Col Lucio, na posição de head da Neurocirurgia. É graduado em medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Espírito Santo, com residência em neurocirurgia no Hospital das Clínicas da FMUSP, especialização em neurocirurgia pela Sociedade Brasileira de Neurocirurgia e doutorado pela FMUSP. É membro da equipe DFVNEURO e da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia.

O principal desafio do Dr. José Erasmo será acelerar o desenvolvimento da equipe de neurocirurgia para alcançar o protagonismo nacional e internacional por meio da atuação equilibrada na assistência, no ensino e nas pesquisas clínicas e translacionais.

Agradecemos ao Dr. Jean Gonçalves de Oliveira pelos quatro anos de dedicação, conduzindo a equipe com equilíbrio e proatividade e garantindo a excelência na assistência ao paciente.

Pediatria

Dra. Viviane Sonaglio, médica titular do A.C.Camargo desde 2007, volta para casa depois de um período de quatro anos atuando na pediatria na Rede D’or, para assumir a posição de head e líder do Centro de Referência de Tumores Pediátricos.
É graduada em medicina pela Faculdade de Medicina de Jundiaí e com residência pela Universidade Estadual de Campinas. No A.C.Camargo, foi residente entre 2003 e 2005 e no ano seguinte realizou mestrado em oncologia. Atualmente, faz seu doutorado em nossa Instituição.

Os principais desafios da Dra. Viviane serão implantar o CR da pediatria e aperfeiçoar a jornada do paciente, integrar o atendimento entre as especialidades e fortalecer o programa de navegação na pediatria.

A Dra. Cecília Maria da Costa continuará seu trabalho na Instituição como médica titular da equipe de Pediatria, apoiando a Dra. Viviane nos vários desafios do CR.

Agradecemos imensamente à Dra. Cecília pelo trabalho que vem dedicando ao longo desses 24 anos no A.C.Camargo e suas importantes contribuições para nossa Instituição. Entre elas, destacamos a construção das jornadas operacionais para tumores pediátricos, a parceria com o Sabará Hospital Infantil e a nova instalação da Pediatria, dedicada a gerar melhor experiência ao paciente e seus familiares.

Psiquiatria

Para o Departamento de Psiquiatria, convidamos o Dr. Alexandre Shoji, médico titular do A.C.Camargo há cinco anos, para a posição de head do departamento.

É graduado em medicina pela FMUSP com residência em psiquiatria pela Irmandade de Misericórdia de São Paulo. Também é professor da Faculdade de Medicina da Santa Casa e sócio-diretor do Laboratório Spina França.

Os principais desafios do Dr. Alexandre serão integrar a psiquiatria e psicologia com todos os centros de referência, em função da grande inter-relação do câncer com a saúde mental; liderar, planejar e organizar o departamento, visando o equilíbrio com as demandas assistenciais, de ensino e de pesquisa.

Fica o nosso agradecimento à Dra. Maria Teresa da Cruz pela sua dedicação ao nosso hospital. Foram 18 anos de grandes contribuições, entre elas, a criação do Departamento de Psiquiatria e Psicologia, o Grupo de Apoio ao Tabagista, ambos serviços pioneiros no país. A contribuição para o curso de pós-graduação lato sensu em psico-oncologia e sua participação como docente, além do desenvolvimento de cursos de especialização e extensão em psicologia hospitalar.

Desejamos muito sucesso a Dra. Louise, ao Dr. José Erasmo, a Dra. Viviane, ao Dr. Alexandre e equipes em seus novos desafios profissionais.

Câncer de fígado: quando é necessário fazer o transplante hepático

Linha Fina

Há diversos formas de tratamento para um paciente com câncer de fígado e o transplante pode ser feito em casos específicos, trazendo melhores resultados para o paciente

O câncer de fígado atingiu mais de 900 mil pessoas no mundo em 2020, segundo estimativas mais recentes. Para 2040, a expectativa é que esse número cresça para 1,4 milhão de pessoas.

O tratamento da doença não depende apenas do estadiamento (sua extensão e presença ou não de metástases), mas também das condições clínicas do paciente, principalmente da função hepática, já que em muitos casos a cirrose está associada ao câncer. 

O transplante de fígado, tanto para adultos quanto para crianças, é feito quando os tumores estão restritos ao fígado e localizados em área de difícil remoção por cirurgia.

Pioneirismo

A equipe de hepatologia e transplante hepático do A.C.Camargo Cancer Center existe desde 2001, quando um grupo de médicos do hospital foi buscar especialização em países que já realizavam transplantes de fígado, como Japão, Estados Unidos e Europa. 

Ao aperfeiçoar a técnica e trazê-la para o Brasil, a equipe conquistou índices de sobrevida superiores a 85% e é referência nacional em diversas áreas da hepatologia, como câncer de fígado, transplante hepático pediátrico (especialmente em crianças de baixo peso) e transplante de fígado intervivos em adultos e crianças, técnica em que a equipe possui uma das maiores experiências do país, com resultados comparáveis aos dos melhores centros do mundo.

Além da preocupação em oferecer um atendimento globalizado, cerca de 1/3 dos pacientes que serão submetidos a um transplante de fígado já tem câncer e o restante tem potencial e fatores de riscos altos para desenvolver algum tumor. Assim, percebemos a importância de oferecer tratamentos complementares e paralelos ao tratamento oncológico, como o transplante.

Composta por sete cirurgiões, cinco hepatologistas pediátricos e três hepatologistas adultos, nossa equipe atua de forma multidisciplinar e integrada com anestesistas, intensivistas, hematologistas, infectologistas, enfermeiras, nutricionistas, fisioterapeutas e assistentes sociais.

Como fazemos 

A equipe recebe a informação sobre um potencial doador pela Central de Transplantes. Se a condição do doador for considerada aceitável, a equipe de transplante entra em contato com o receptor designado pela Central, solicitando sua internação hospitalar.

A seguir, o paciente é avaliado por um dos membros da equipe. Enquanto o receptor é preparado, uma equipe de cirurgiões é encarregada de fazer a captação do fígado do doador. Durante a cirurgia, o órgão é cuidadosamente avaliado. Caso o fígado do doador (enxerto hepático) não seja considerado viável para o transplante, a operação é cancelada e o receptor recebe alta hospitalar.

Ao mesmo tempo, a equipe do receptor é informada sobre as condições do fígado do doador, para só então dar início à cirurgia. A cirurgia do receptor dura em média de 6 a 8 horas, consistindo na retirada de todo o fígado doente, seguida do implante do novo fígado por meio de suturas (conexões) vasculares e biliares.

Transplante intervivos

O preparo pré-operatório do candidato é semelhante ao realizado com doador falecido, e as cirurgias do doador e do receptor são programadas e realizadas simultaneamente, por duas equipes cirúrgicas.

Esperando pelo transplante

Os pacientes são submetidos a exames clínicos, laboratoriais, exames de imagem e avaliações: pré-anestésica, psicológica, dentária e nutricional. Os exames e as avaliações são realizados para a confirmação diagnóstica, a determinação de outras terapias disponíveis para o tratamento da doença hepática e o descarte de possíveis contraindicações ao transplante hepático.

As consultas são realizadas sempre com a presença de um hepatologista e um cirurgião da equipe de transplante. 
Se o paciente for considerado candidato ao procedimento, ele será incluído na lista de Transplante com Doador Falecido da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. Durante o período de espera na lista de transplante, o paciente deverá manter contato com a equipe através de consultas regulares para a reclassificação de acordo com o índice de gravidade (MELD).
Pós-operatório: a evolução pós-operatória e o tempo de internação variam de acordo com as condições clínicas do paciente. Na maioria das vezes, o paciente permanece de dois a três dias na unidade de cuidados intensivos e o tempo médio de internação hospitalar varia de 10 a 14 dias.

Após a alta, os pacientes devem manter contato regular com a equipe de transplante, recebendo todas as informações e orientações necessárias para os cuidados em casa. Inicialmente, o retorno para consulta é semanal, com intervalos sucessivamente maiores até a estabilização do paciente. No longo prazo, o paciente deve retornar para consulta pelo menos a cada 6 meses.

Sinais e sintomas do câncer de fígado

•    Perda de peso inexplicável
•    Dor do lado direito na parte de cima do abdome
•    Perda do apetite
•    Náusea ou vômitos
•    Febre
•    Cansaço ou fraqueza
•    Inchaço do abdômen
•    Presença de caroço duro do lado direito, abaixo das costelas
•    Icterícia, que deixa a pele e os olhos amarelados e a urina escura
•    Coceira
•    Sensação de empachamento mesmo após uma pequena refeição
•    Agravamento da hepatite ou cirrose


FONTE: Dr. Eduardo Antunes da Fonseca, head de hepatologia do A.C.Camargo Cancer Center
Global Cancer Observatory
 

Somos especializados em vida e podemos levar a melhor prevenção para sua empresa

Linha Fina

Adotar uma cultura de atenção primária à saúde entre os colaboradores é fundamental para salvar vidas. Conheça nosso Programa de Prevenção Oncológica desenvolvido para empresas e personalizável para as necessidades de cada uma

Cerca de 19 milhões de pessoas tiveram câncer no mundo em 2020, segundo estimativas mais recentes. A expectativa é que esse número aumente para 30,2 milhões em 2040. 

Considerando a alta incidência, crescimento dos casos de câncer e envelhecimento da população, investir em prevenção primária tem se mostrado uma ferramenta eficaz para melhorar qualidade e expectativa de vida. 

Com esse objetivo, o A.C.Camargo conta o Programa de Prevenção Oncológica, uma iniciativa voltada para o público corporativo, funcionando como uma ferramenta de identificação de população de risco para rastreamento de tumores, além de atuar em todos os níveis de cuidados preventivos. 

O programa conta com algumas iniciativas, como:

•    Mapeamento da saúde populacional
•    Informações e orientações sobre prevenção de câncer
•    Check-up personalizado por faixa-etária
•    Boletim informativo sobre os pacientes que iniciarem acompanhamento e tratamento
•    Assessoria para a retomada ao trabalho do paciente que finalizar o tratamento
•    Apoio em campanhas internas das empresas de saúde e prevenção oncológica

Prevenção e custo-benefício

Muitas vezes, o que diferencia o custo de um tratamento é o estádio do tumor quando o paciente chega ao A.C.Camargo. Estudos mostram que o paciente com um diagnóstico precoce e que recebe o tratamento no tempo correto tem maiores chances de cura e melhor qualidade de vida. Já o paciente que chega com um tumor em estádio avançado poderá passar por muitos procedimentos, muitas vezes mais caros e com prejuízos à qualidade de vida.

Essa perspectiva pode ser ilustrada com o resultado de uma análise feita com pacientes do A.C.Camargo com tumores colorretais:

Infográfico
*In situ: quando as células do tumor estão restritas ao seu local de origem, sem se espalhar Ppara outras camadas do mesmo órgão.
 **Estádio: o estadiamento é uma forma de classificar a extensão do tumor, se ou quanto ele afetou os gânglios linfáticos ou outros órgãos. Para isso, é usada uma combinação de letras e números: t de tumor, n de nódulos (ou gânglios linfáticos) e m de metástase, e números que vão de 0 (sem tumor, ou sem gânglios afetados ou sem metástase) a 4, este último indicando maior acometimento.
 

Este estudo também mostra que o paciente com tumor colorretal em estádio 3 teve um custo 27 vezes maior quando comparado ao paciente com tumor colorretal in situ. Ou seja, enquanto um paciente apenas fez uma ressecção endoscópica (retirada do tumor por meio de uma colonoscopia), o paciente com câncer mais avançado precisou fazer cirurgia e lidar com os efeitos colaterais da quimioterapia e da radioterapia. Além de ter um grande impacto na qualidade de vida do paciente, esse tratamento custa mais caro para o sistema de saúde, gerando impacto na sinistralidade das empresas e operadoras de saúde.

Neste contexto, o A.C.Camargo sempre se preocupou com a sustentabilidade do sistema de saúde. Apesar de nunca ter buscado um posicionamento de baixo preço, a Instituição trabalha com rígidos conceitos de desperdício zero.

O A.C.Camargo e a prevenção

Aqui no A.C.Camargo, estamos à frente do que há de mais moderno em oncologia. Quanto mais precoce é o diagnóstico do câncer, maiores as chances de cura.

O modelo cancer center, no qual atuamos, é uma importante evolução no combate ao câncer, com uma abordagem integrada que vai muito além do tratamento: inclui as áreas de pesquisa, com a participação em estudos globais, o ensino de ponta na formação de especialistas e as iniciativas de prevenção da doença.

Esse é o modelo que permite a ativação de serviços, a chamada jornada oncológica, com entrega de valor mais rápida para todos os envolvidos, sendo o indivíduo, o empregador, o hospital e as operadoras de saúde.

Confira alguns dos benefícios de tratar neste modelo e no A.C.Camargo:

•    Atuação integrada à saúde ocupacional.
•    Assistência médica e programas de reabilitação/prevenção.
•    Previsibilidade e redução de custos com tratamentos oncológicos.
•    Gestão da sinistralidade e produtividade.
•    Mapeamento e redução dos fatores de risco da população para os colaboradores. 
•    Acompanhamento de todos os casos, desde o diagnóstico até a alta, incluindo o processo de reintegração. 
•    Oncogenética (mapeamento do risco e incidência em familiares).

Contato

Para conhecer melhor as possibilidades que o Programa de Prevenção Oncológica pode trazer para sua empresa, entre em contato com o atendimento corporativo ou envie um e-mail.

Telefone: (11) 2189-5232
E-mail: [email protected]
 

Amor à Vida: espiritualidade no tratamento oncológico

Linha Fina

Participe do encontro virtual para compartilhar e trocar experiências durante o tratamento contra o câncer 

O Grupo de Apoio Amor à Vida, do A.C.Camargo Cancer Center, organiza um bate-papo virtual para falar sobre a espiritualidade no tratamento oncológico.

Pacientes, ex-pacientes e acompanhantes trocam ideias sobre o tema para melhorar o bem-estar e você é nosso convidado!

Marque na agenda e convide os amigos! 

Data: 27/7/2022 
Horário: 16h 
Palestrante: Dr. Felipe Moraes, médico oncologista, professor em teologia e membro do comitê científico no Instituto Lado a Lado Pela Vida 
Mediador: Dr. Antonio Eduardo Antonietto Junior, diretor médico do A.C.Camargo Cancer Center 
Anfitriã: Silvia Voulliéme, gerente de Experiência do Paciente do A.C.Camargo Cancer Center
Tema: A espiritualidade no tratamento oncológico
Link: https://youtu.be/fMIbr38Tzns


Você conhece o Amor à Vida?

O Grupo Amor à Vida realiza encontros com o objetivo de proporcionar bem-estar físico e mental para pacientes oncológicos, seus familiares e cuidadores, por meio de programação com temas diversos, que podem ter relação com alguma etapa do tratamento, como cotidiano, saúde, vida social, entre outros temas.

Nesses encontros, aqueles que se sentem à vontade podem compartilhar e trocar experiências semelhantes, vividas durante o período de tratamento.
 

A.C.Camargo Cancer Center e Princess Margaret Cancer Centre: parceria e colaboração consolidadas

Linha Fina

Com um modelo colaborativo em busca de unir esforços na luta global contra o câncer, as duas instituições já verificam bons resultados da parceria, que foram reportados no relatório anual do Programa Global de Câncer 

A parceria com outras instituições de saúde constitui uma de nossas ações dentro do modelo cancer center. Além das fronteiras do Brasil, o relacionamento com os principais centros oncológicos mundiais oferece uma oportunidade de compartilhar conhecimentos sobre melhores práticas, novas iniciativas e discussão de casos clínicos desafiadores. 

Nesse cenário, o A.C.Camargo Cancer Center expandiu e consolidou sua parceria com o Princess Margaret Cancer Centre, instituição que está entre os cinco maiores cancer centers do mundo, conta um sistema de saúde pública e é reconhecido pela boa gestão dos recursos. 

Um resumo dos resultados de 2021 dessa parceria pode ser conferido no relatório anual do Programa Global de Câncer da instituição canadense, publicado em julho deste ano, que destaca a importância do trabalho conjunto e da colaboração entre instituições e profissionais da oncologia para o controle mundial da doença. 

Principais resultados da parceria

A convite e em parceria com o Princess Margaret, realizamos um master course no congresso mundial da Union for International Cancer Control (UICC). O curso abordou conceitos básicos do funcionamento de um cancer center, experiências bem-sucedidas, oportunidades de mercado e políticas de combate ao câncer, entre outros. 

No programa de pesquisa de 2021, um dos estudos selecionados para receber financiamento da instituição canadense conta com um profissional do A.C.Camargo. Outros dois estudos com participação de nossos profissionais que foram financiados em 2020 estão em andamento. São eles:

•    Reirradiação parcial da mama usando ultra-hipofracionamento: estudo multi-institucional de fase 2
Proposta de estudo aprovada para financiamento em 2021.

•    Impacto da doença do coronavírus (COVID-19) na prestação de cuidados de câncer
O objetivo principal deste estudo é caracterizar os padrões de atendimento ao câncer durante a pandemia de COVID-19 em comparação com o ano anterior, tanto no Princess Margaret quanto no A.C.Camargo. O estudo avaliará o impacto da COVID-19 na qualidade do atendimento ao paciente oncológico, examinará possíveis disparidades e avaliará o impacto nos resultados dos pacientes.

•    Fechando a lacuna da pesquisa do câncer no mundo: treinamento avançado em comunicação científica
Este estudo desenvolverá e pilotará um curso globalmente focado na comunicação avançada da ciência do câncer para traduzir melhor a pesquisa para a prática. O impacto do curso será avaliado nos conhecimentos e percepções através de um estudo longitudinal.

O objetivo do programa de pesquisa do Princess Margaret é impulsionar estudos e inovações que abordem as disparidades no controle do câncer, biologia, epidemiologia e os resultados clínicos do câncer em diferentes contextos, além da avaliação de programas econômicos para melhorar a prestação de cuidados.  

Outro resultado importante dessa parceria foi a participação do A.C.Camargo no Global Oncology Leadership Development (GOLD), um programa interdisciplinar que inclui treinamento em habilidades de liderança intrapessoal, interpessoal, organizacional e de sistemas, combinando com treinamento em sistemas de saúde.

Nossos profissionais também participaram dos webinars de verão e mantém encontros mensais com a equipe do Princess Margaret, como forma de promover o diálogo entre as equipes e fomentar melhorias na assistência, qualidade e segurança em oncologia. Também são feitas reuniões específicas de avanços em custo-efetividade para ajudar a oncologia brasileira a equilibrar seus custos, mantendo a qualidade, a ciência e a capacitação em alto nível.

Cancer center: modelo colaborativo 

Em entrevista para a revista Next Frontiers, a emérita cientista Mary Gospodarowicz, diretora médica do Princess Margaret Cancer Centre e ex-presidente do UICC, comentou que “a parceria com o A.C.Camargo tem sido realmente muito bem vista entre meus colegas e as sessões que mantemos têm tido muita audiência, com alto nível de interesse, elevando também os níveis da informação e do conhecimento”. 

Ela explica que o modelo cancer center é muito colaborativo e é importante unir esforços na luta global contra o câncer. “O A.C.Camargo tem ótimos programas, como a navegação e o paciente no centro do cuidado, que superam de longe nossos programas. Logo, nós aprendemos com eles e esperamos que também aprendam conosco.”
 

Revitalização do setor de endoscopia: ainda mais qualidade para nossos pacientes

A endoscopia digestiva alta é um exame que consiste na visualização do esôfago, do estômago e do duodeno, permitindo diagnosticar eventuais alterações ou lesões.

É realizada por meio de um aparelho flexível, que conta com um sistema de microchip e captura digital das imagens através de um tubo, que é inserido no paciente por via oral.

Com satisfação, comunicamos que hoje, 13/7, foi entregue a 3ª e última fase da obra de revitalização do setor de serviços endoscópicos do A.C.Camargo, localizado no 1º  andar da unidade Antônio Prudente.

Com a reforma, a partir de agora, contamos com 5 salas equipadas para realizar os exames, sala de refeição para o paciente, 12 boxes de preparo e pós-exames, além de uma central de monitoramento para garantir a segurança dos nossos pacientes. Tudo para proporcionar conforto e um ambiente acolhedor aos pacientes e acompanhantes.

Investir em nossa infraestrutura é aprimorar cada vez mais os nossos espaços para receber nossos pacientes e seus familiares!

Confira as imagens da nova endocopia:

endoscopia

 

endoscopia

 

endoscopia

 

endoscopia

 

endoscopia

 

endoscopia

Dia Nacional do Laringectomizado: inspire-se com este vídeo do Coral Sua Voz (e com Rogério Flausino do Jota Quest)

Linha Fina

A data reforça a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de laringe, que, se for descoberto e tratado em fase inicial, pode chegar a 90% de chance de cura

Para celebrar o Dia Nacional do Laringectomizado, marcado para 11 de agosto, o A.C.Camargo Cancer Center promoveu um vídeo com o Coral Sua Voz, formado por pacientes que precisaram retirar toda a laringe, o que inclui as cordas vocais, devido a um câncer na região.

A laringe é o órgão da voz e fica entre a parte posterior da língua e a traqueia. Além da fala, ela é importante para a proteger os brônquios e os pulmões de partículas de alimentos durante a deglutição.

Entre os principais fatores de risco para o câncer de laringe está o tabagismo.  

Acompanhados dos(as) fonoaudiólogos(as) que trabalham na reabilitação vocal, os pacientes cantaram a música “Dias Melhores”, da banda Jota Quest.

O vídeo também conta com a participação especial do cantor e compositor Rogério Flausino, vocalista da banda e autor da música, assista:

 

Amor à Vida: Nutrição - Prevenção e Tratamento​​​​​​​

Linha Fina

Participe do encontro virtual para compartilhar e trocar experiências durante o tratamento contra o câncer 

O Grupo de Apoio Amor à Vida, do A.C.Camargo Cancer Center, organiza um bate-papo virtual para falar sobre Nutrição, Prevenção e Tratamento para o paciente oncológico.

Pacientes, ex-pacientes e acompanhantes trocam ideias sobre o tema para melhorar o bem-estar e você é nosso convidado!

Marque na agenda e convide os amigos! 

Data: 5/7/2022 
Horário: 16h 
Palestrante: Thais Manfrinato Miola, Supervisora de Nutrição do A.C.Camargo Cancer Center
Anfitriã e moderadora: Dra. Letícia Alarcão Maxta, Médica titular da equipe de Endocrinologia do A.C.Camargo Cancer Center
Tema: Nutrição: Prevenção e Tratamento
Link: Acesse aqui


Você conhece o Amor à Vida?

O Grupo Amor à Vida realiza encontros com o objetivo de proporcionar bem-estar físico e mental para pacientes oncológicos, seus familiares e cuidadores, por meio de programação com temas diversos, que podem ter relação com alguma etapa do tratamento, como cotidiano, saúde, vida social, entre outros temas.

Nesses encontros, aqueles que se sentem à vontade podem compartilhar e trocar experiências semelhantes, vividas durante o período de tratamento.
 

Lançamento do 1º Prêmio Inovações pela Vida

 O A.C.Camargo Cancer Center e a Família José Ermírio de Moraes Neto, sua colaboradora histórica, lançaram durante o Next Frontiers o 1º Prêmio Inovações Pela Vida, inspirados pela trajetória empreendedora de José Eduardo Ermírio de Moraes (in memoriam). 

O Prêmio Inovações pela Vida busca dar visibilidade a soluções promissoras ao campo da oncologia, a partir de selo e chancela do A.C.Camargo Cancer Center e fomentar o ecossistema de inovação para responder aos desafios e oportunidades relacionadas à prevenção, tratamento e atendimento ao paciente oncológico.