Papanicolau é a principal forma de rastreamento de câncer do colo do útero

Publicado em: 29/01/2020 - 21:01:00

Exame é simples, rápido e eficaz para detectar lesões pré-malignas de forma precoce

O câncer do colo do útero é o quarto tipo de tumor com maior prevalência entre as mulheres, com exceção dos casos de pele não melanoma. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), são aproximadamente 16 mil novos casos por ano no Brasil: quase todos são decorrentes de infecção pelo papilomavírus humano (HPV).

Transmitido por meio de relações sexuais desprotegidas, o HPV pode ser prevenido por meio do uso de preservativos e também pela vacinação. Mas, a maioria das mulheres infectadas pelo vírus não desenvolve tumores e não apresenta sintoma. Por isso, é importante fazer o papanicolau, exame de rastreamento para detecção precoce da doença.

Papanicolau

Este exame é a principal forma de detectar lesões que podem vir a desenvolver a doença. “O papanicolau é um procedimento simples que analisa amostras de células recolhidas do colo do útero, por meio de raspagem com uma espátula e escovinha. O material é analisado em laboratório e pode detectar lesões pré-cancerosas. Com isso, a paciente pode ser tratada precocemente, antes que a lesão resulte em um câncer. É um modelo muito eficaz de rastreamento”, explica Dr. Glauco Baiocchi Neto, head do Centro de Referência de Tumores Ginecológicos.
 
Todas as mulheres devem fazer o exame de acordo com a recomendação para cada idade

  • Aos 21 e 22 anos. Depois, a cada três anos.
  • A partir dos 30 anos, o papanicolau pode ser feito junto com o teste de detecção do DNA do HPV e, se ambos negativos, a cada cinco anos. 
  • Mulheres expostas ao HIV ou com problemas no sistema imunológico devem fazer o exame anualmente. 
  • Mulheres com 70 anos ou mais que tiveram três ou mais testes normais em sequência (e nenhum resultado anormal em 10 anos) não precisam continuar a fazer o exame.

Sinais e sintomas 

Dr. Glauco explica que, nos estágios iniciais, o câncer do colo do útero geralmente não apresenta sintomas e, por isso, a necessidade de fazer o papanicolau. Em casos mais avançados, a mulher pode apresentar:

  • Secreção, corrimento ou sangramento vaginal incomum.
  • Sangramento leve, fora do período menstrual.
  • Sangramento ou dor após a relação sexual, ducha íntima ou exame ginecológico.
  • Estes sintomas não necessariamente indicam a presença de um tumor, pois podem ser sinal de outros problemas ginecológicos. Em caso de dúvida, consulte seu médico.

Saiba mais sobre câncer do colo do útero 

Clique aqui e acesse a “Cartilha de câncer do colo do útero”. Este material, elaborado pela equipe do Centro de Referência de Tumores Ginecológicos, traz informações simples e didáticas com temas como etapas do diagnóstico, fatores de risco, prevenção, estadiamento e fases do tratamento.
 

Veja também

A mamografia e o tumor de intervalo: entenda a relação
Em 5 de fevereiro, comemoramos o Dia Nacional da Mamografia. Esta data precisa mesmo ser comemorada, pois a mamografia é o exame capaz de diagnosticar o câncer de mama em seus estágios iniciais e salvar vidas de mulheres. O câncer de mama está em primeiro...
15 de setembro - Dia mundial de conscientização sobre linfomas
Como se prevenir deles? Indo ao médico assim que perceber os sintomas. Então apareceu um gânglio diferente no pescoço, ou na axila, ou na virilha, que não dói, mas você sente extremo cansaço, febre, está suando à noite e também perdendo peso sem razão aparente...
15/09 - Dia Mundial de Conscientização sobre Linfomas
A conversa de hoje é sobre linfomas. Entre os 10 tipos de câncer mais frequentes na população brasileira está o linfoma, que é caracterizado pelo aumento de um gânglio linfático, causando um "inchaço" no local. Existe até um Dia Mundial de Conscientização sobre Linfomas, que...
25/09 - Palestra Segurança do Paciente: participe!
A importância do paciente, acompanhante e cuidador no atendimento hospitalar Convidamos você para participar de uma palestra especial, onde falaremos sobre a importância de cada pessoa nas questões relacionadas à segurança de nossos pacientes. Será uma tarde de compartilhamento de muito conhecimento e experiências. Você...
29/08 – Dia Nacional de Combate ao Fumo: como parar de fumar?
Apoio psicológico, medicamentos e algumas atitudes simples podem ajudar quem deseja largar o vício O tabagismo é o maior fator de risco evitável de adoecimento e morte no mundo. Os malefícios incluem um aumento significativo nas chances de adquirir ou morrer por doenças cardíacas, pulmonares...