Fisioterapia contribui para a qualidade de vida de mulheres com câncer de mama e tumores ginecológicos

Publicado em: 08/10/2018 - 11:10:15
Reabilitação
Foco do paciente
Suporte e Reabilitação
Tumores Ginecológicos

Uma das grandes preocupações da mulher em tratamento de câncer de mama ou tumores ginecológicos é o linfedema – acúmulo de líquido nos braços ou nas pernas, que causa inchaço e pode dificultar o movimento.

A fisioterapia tem o papel de promover a reabilitação da paciente e incentivá-la à retomada das atividades diárias o mais rápido possível, considerando sempre suas limitações. O objetivo é diminuir os efeitos colaterais e as complicações que podem surgir após uma cirurgia, quimioterapia ou radioterapia.

Para evitar esse desconforto, antes mesmo da cirurgia para retirada do tumor da mama, a equipe de profissionais da Fisioterapia faz uma visita a cada paciente. “Esclarecemos dúvidas e fazemos uma avaliação física. Identificamos se a paciente tem algum problema ortopédico ou muscular como bursite, tendinite ou algum tipo de trauma, a fim de planejar a conduta terapêutica”, explica a Dra. Telma Rodrigues, da Fisioterapia.

Após a cirurgia, a fisioterapeuta entra novamente em ação. “Cada caso é único. Se a paciente fez ou não cirurgia reparadora, se retirou o linfonodo sentinela, se está com linfedema, se vai fazer radioterapia. Para cada situação temos uma forma de tratamento”, afirma a Dra. Celena Friedrich, da Fisioterapia.

Em geral, a fisioterapia começa a ser feita no sétimo dia pós-operatório. Nos casos de cirurgia reparadora, é preciso esperar 15 dias para começar as sessões. Além dos exercícios realizados durante as sessões, no A.C.Camargo Cancer Center, as pacientes aprendem exercícios para fazer em casa.

A fisioterapia também é essencial para a recuperação da saúde e da autoestima das pacientes com tumores ginecológicos. A radioterapia costuma causar efeitos colaterais (estenose vaginal), como dores durante a relação sexual e a incontinência urinária.

Pensando nisso, a equipe de fisioterapeutas prescreve exercícios de fortalecimento do assoalho pélvico, região que compreende a bexiga, os órgãos reprodutivos e o reto. O biofeedback, como é conhecido, dá à paciente a percepção da contração da musculatura nessa região.

A integração de diagnóstico, tratamento, ensino e pesquisa do câncer é o modelo adotado em nossa Instituição, assim como nos principais Cancer Centers do mundo. É uma evolução do conceito de saúde em oncologia, no qual o paciente é avaliado por um grupo multidisciplinar de especialistas em todas as etapas, desde o diagnóstico até a reabilitação.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Pesquisa identifica características incomuns no câncer de tireoide mais frequente
O câncer papilífero de tireoide é o mais comum dos tumores de cabeça e pescoço e o mais frequente da tireoide, somando 90% dos casos. Ele costuma ser indolente, isto é, ter progressão lenta, e sua incidência vem crescendo em vários países, não se sabe...
Dia Nacional da Mamografia: confira dicas para o exame ser mais confortável
O Dia Nacional da Mamografia é lembrado todos os anos em 5 de fevereiro. A data reforça a conscientização da população sobre a importância do exame que ajuda a detectar alterações na mama. Uma das formas de se diagnosticar o câncer de mama é através...
Podcast Rádio Cancer Center #41 - "Engravidei após um câncer de endométrio"
O câncer de endométrio é o oitavo tipo de tumor mais comum entre as mulheres, com previsão de 6.540 novos casos por ano, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA). Uma preocupação fundamental entre as pacientes de um tumor ginecológico é em relação à fertilidade...
Podcast Rádio Cancer Center #53 – Outubro Rosa: inspire-se com a nossa paciente Michelly Zullo
Neste Outubro Rosa, mês de conscientização para a necessidade do diagnóstico precoce do câncer de mama, o podcast Rádio Cancer Center recebe a paciente Michelly Zullo. Moradora de Indaiatuba (SP), a jovem de 34 anos descobriu um nódulo aos 33, em julho de 2020. “Eu...
Dia Mundial da Saúde Mental – 10/10: cuidar da mente faz parte do tratamento oncológico
O corpo é importante, mas a saúde mental não pode ficar de lado Mente sã, corpo são, já dizia a sabedoria popular. Por outro lado, quando pensamos em cuidar da saúde, a primeira ideia que pode vir à mente é ir ao médico, fazer exames...