Obesidade é fator de risco para câncer

Publicado em: 27/01/2020 - 09:01:38
Prevenção
Diagnóstico
Hábitos saudáveis

Saiba como o excesso de peso contribui para a formação de tumores 

A cada ano, a obesidade vem crescendo no Brasil. Segundo o Ministério da Saúde, de 2006 a 2018 houve um aumento de 67,8% do número de pessoas obesas, sendo que 55,7% da população do País tem excesso de peso.

Dr. Thiago Chulam, head do Departamento de Prevenção e Diagnóstico Precoce da instituição, explica que, além da mudança na composição corpórea da população, notam-se também alterações em relação a hábitos alimentares e prática de atividades físicas, além de um aumento da obesidade infantil e infanto-juvenil. 

Obesidade x câncer

“Existem alguns tumores que apresentam um risco relativo maior de surgirem em pacientes obesos quando comparamos com pacientes com índice de massa corporal (IMC) normal. Os principais são os tumores de mama nas mulheres e os colorretais nos homens, mas também temos tumores de endométrio, vesícula biliar, rim, fígado, esôfago, ovário, pâncreas e próstata”, explica Dr. Thiago.

Existem três mecanismos que são alterados pela obesidade e estão diretamente relacionados ao câncer: 

  • Proliferação celular por meio da insulina. Pacientes obesos têm maior resistência à insulina (hormônio que controla os níveis de açúcar no sangue). Então, o corpo passa a produzir maior quantidade de insulina, provocando a ativação de mecanismos que respondem com aumento da proliferação celular, que pode dar origem a um tumor.
  • O organismo está continuamente inflamado na obesidade. Essa inflamação ativa algumas substâncias no corpo para a formação de vasos sanguíneos. Ou seja, em um processo inflamatório constante, caracterizado pela obesidade, existe uma contínua formação sustentada de vascularização, que é essencial para o crescimento de um tumor.
  • A obesidade relacionada aos hormônios sexuais. Existe a conversão de alguns tipos de células de gordura em hormônios sexuais. Para mulheres na pós-menopausa, por exemplo, ficarem mais tempo expostas a alguns tipos de hormônios faz com que aumente o risco de câncer de mama e de endométrio.

Para pacientes que já estão em tratamento contra o câncer, a obesidade também é um complicador. “Pacientes que são obesos e mantêm o excesso de peso no pós-tratamento, geralmente têm um prognóstico pior, com maior chance do retorno da doença”, finaliza Dr. Thiago.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Avanços na Oncogenética
A Oncogenética é uma forma de se antecipar a um eventual tumor. Também pudera: estima-se que de 5% a 10% dos tumores malignos sejam de origem hereditária. Para isso, medidas de rastreamento podem ser adotadas, como explicou o Dr. José Claudio Casali da Rocha, head...
Mitos & verdades sobre tumores abdominais
O sistema digestório é fundamental na absorção de nutrientes dos alimentos para o funcionamento do organismo. Conhecer os sinais ou possíveis fatores de risco para doenças, como o câncer, pode ajudar a desmitificar alguns mitos e esclarecer dúvidas sobre a saúde de órgãos situados na...
Pacientes com câncer colorretal podem voltar a comer de tudo?
Muitos pacientes com câncer colorretal têm dúvidas sobre o tipo de alimentação que devem ter e se poderão voltar a se alimentar normalmente após a cura. Thais Manfrinato Miola, supervisora de nutrição do A.C.Camargo Cancer Center, explica que dietas específicas dependerão da fase do tratamento...
Covid-19: cuidados ao usar o transporte público
A Covid-19 botou o mundo em alerta. No entanto, a adoção de hábitos higiênicos e, principalmente, o isolamento são o caminho para controlar a disseminação da doença. Mas como fazer durante o uso do transporte público, um ambiente em que geralmente há pouca ventilação, alto...
Vídeo: prevenção e diagnóstico precoce no câncer de intestino
No Brasil, o câncer de cólon e reto (ou colorretal) é o segundo mais frequente entre as mulheres e o terceiro mais comum entre os homens. Ele está intimamente associado a maus hábitos alimentares e, por isso, pode ser prevenido. Assista ao vídeo e entenda...