Ingestão de álcool contribui para a formação de tumores

Publicado em: 27/01/2020 - 21:01:00
Prevenção
Diagnóstico
Hábitos saudáveis

Entenda como a bebida alcoólica pode reagir em diferentes partes do corpo

Ingerir bebidas alcoólicas aumenta a probabilidade de desenvolver tumores. E não só para os bebedores pesados (que consomem mais de 21 doses de álcool por semana): qualquer quantidade ingerida contribui para o aumento do risco de desenvolver certos tipos de câncer.

“O álcool é apontado em estudos como responsável por cerca de 6% das mortes no mundo inteiro. Ele aumenta o risco do câncer de boca, garganta, esôfago, fígado, intestino e mama. Também existem indícios de que o álcool pode estar envolvido na formação dos tumores de estômago e de pâncreas”, comenta do Thiago Chulam, head do Departamento de Prevenção e Diagnóstico Precoce da instituição.

O médico explica que todos os tipos de bebidas alcoólicas são potencialmente cancerígenos e que não existe bebida melhor ou pior nesse sentido, apenas com concentração alcoólica diferente. “Foi observado em alguns estudos que mesmo o fato de beber socialmente pode levar ao aumento do risco de desenvolver certos tipos de tumores. É claro que a quantidade de bebida ingerida influencia muito, principalmente as com maior graduação alcoólica, como os destilados. Mas a dose limite permitida ainda não é algo que está estabelecido na medicina, pois não existe consenso sobre níveis seguros” comenta Dr. Thiago.

Reações do álcool no corpo

Para cada parte do corpo, o álcool tem uma reação diferente. 

  • Boca, esôfago e laringe: ao aumentar a permeabilidade da mucosa bucal, do esôfago e da laringe, o álcool pode facilitar a penetração de agentes carginógenos. Ao lesionar estes tecidos, a capacidade de reparo do DNA destas células pode ser alterada e gerar mutações. E a partir do acúmulo de mutações e de alterações do DNA, surgem os tumores.
  • Mama: o álcool aumenta os níveis de alguns hormônios, como o estrogênio, responsável pelo aumento das chances de desenvolvimento dos tumores de mama.
  • Fígado: a maior parte do álcool é metabolizada neste órgão. Os produtos resultantes desse metabolismo, como o acetaldeído, são tóxicos para o fígado e podem causar lesão, cirrose ou aumentar o risco de câncer hepático.
  • Intestino: além de outros efeitos, há alteração da absorção de nutrientes que são anticarcinogênicos, como o folato, que é fundamental para a proteção do intestino.

Além dos efeitos no corpo, Dr. Thiago lembra que a ingestão de álcool pode causar interação medicamentosa. Para pacientes em tratamento do câncer, a bebida alcoólica também contribui para tornar mais fraco o sistema imunológico, que já está debilitado pela presença do tumor.
 

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Outubro Rosa: retomada pós-pandemia é urgente
Em 2019 a área de mastologia do A.C.Camargo Cancer Center atendeu 27.755 pacientes e, em 2020, foram 20.233, ou seja, queda de 7.522 consultas. Até agosto de 2021, os consultórios receberam 14.704 pacientes, 4.193 a menos do que agosto de 2019, que registrou 18.897. Porém...
Covid-19: Guia para entrar e sair de casa
Clique aqui caso tenha problemas para acessar o vídeo video { width: 100%; height: auto; }
Cientistas debatem o papel da análise dos genes no pré-natal para diagnóstico de doenças hereditárias
Hospital A.C.Camargo apresenta... Conferência de Genômica Médica – 13 de março de 2013 A Genômica voltada para a Medicina Fetal será abordada com grande enfoque na Conferência de Genômica Médica, evento que acontece em 13 de março, em São Paulo, reunindo palestrantes do A.C.Camargo –...
Câncer de pulmão: oncologista do A.C.Camargo comenta sobre diagnóstico de Rita Lee
O câncer de pulmão é um dos mais comuns. De acordo com o INCA, ele é o quarto mais comuns entre os homens, com 17.760 novos casos em 2020. Entre as mulheres, ele é o quinto mais recorrente, com 12.440 novos casos no ano passado...
Podcast Rádio Cancer Center #7 - HPV e Câncer de Colo do Útero
Confira este episódio e entenda a relação e os mecanismos de proteção com as dicas da Doutora Andréa Gadêlha, oncologista clínica do A.C.Camargo Cancer Center O Podcast Rádio Cancer Center apresenta uma conversa sobre a relação entre a infecção por HPV, o papilomavírus humano, e...