Imagem azul com logomarca do Desafio 21

Bebida alcoólica e câncer: excesso contribui para a formação de tumores

Publicado em: 18/01/2021 - 16:01:54
Prevenção
Pesquisa
Hábitos saudáveis
Tumores de Cabeça e Pescoço
Linha Fina

Entenda como o álcool pode reagir em diferentes partes do corpo

Bebida alcoólica e câncer: esta relação aumenta a probabilidade de desenvolvimento de tumores.

E não só para os bebedores pesados (que consomem mais de 21 doses de álcool por semana): qualquer quantidade ingerida contribui para o aumento do risco de desenvolver certos tipos de câncer.

“O álcool é apontado em estudos como responsável por cerca de 6% das mortes no mundo inteiro. Ele aumenta o risco do câncer de boca, garganta, esôfago, fígado, intestino e mama. Também existem indícios de que o álcool pode estar envolvido na formação dos tumores de estômago e de pâncreas”, comenta do Thiago Chulam, head do Departamento de Prevenção e Diagnóstico Precoce da Instituição.

O médico explica que todos os tipos de bebidas alcoólicas são potencialmente cancerígenos e que não existe bebida melhor ou pior nesse sentido, apenas com concentração alcoólica diferente. “Foi observado em alguns estudos que mesmo o fato de beber socialmente pode levar ao aumento do risco de desenvolver certos tipos de tumores. É claro que a quantidade de bebida ingerida influencia muito, principalmente as com maior graduação alcoólica, como os destilados. Mas a dose limite permitida ainda não é algo que está estabelecido na medicina, pois não existe consenso sobre níveis seguros” comenta Dr. Thiago.


Bebida alcoólica e câncer: reações no corpo

Para cada parte do corpo, o álcool tem uma reação diferente:

  • Boca, esôfago e laringe: ao aumentar a permeabilidade da mucosa bucal, do esôfago e da laringe, o álcool pode facilitar a penetração de agentes carcinógenos. Ao lesionar estes tecidos, a capacidade de reparo do DNA destas células pode ser alterada e gerar mutações. E a partir do acúmulo de mutações e de alterações do DNA, surgem os tumores.
  • Mama: o álcool aumenta os níveis de alguns hormônios, como o estrogênio, responsável pelo aumento das chances de desenvolvimento dos tumores de mama.
  • Fígado: a maior parte do álcool é metabolizada neste órgão. Os produtos resultantes desse metabolismo, como o acetaldeído, são tóxicos para o fígado e podem causar lesão, cirrose ou aumentar o risco de câncer hepático.
  • Intestino: além de outros efeitos, há alteração da absorção de nutrientes que são anticarcinogênicos, como o folato, que é fundamental para a proteção do intestino.

Além dos efeitos no corpo, Dr. Thiago lembra que a ingestão de álcool pode causar interação medicamentosa. Para pacientes em tratamento do câncer, a bebida alcoólica também contribui para tornar mais fraco o sistema imunológico, que já está debilitado pela presença do tumor.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Custo-efetividade: indicadores médicos na construção de protocolos mais eficientes
Custo-efetividade: desde 2004, o departamento de Anestesiologia do A.C.Camargo Cancer Center possui uma equipe de Qualidade e Segurança do Paciente que coleta dados de todas as anestesias realizadas. Com essas informações, o grupo constrói e monitora indicadores que vão desde a avaliação pré-anestésica, intraoperatório e...
No Mês da Mulher, prevenção deve fazer parte da rotina
Mais de 30 mil brasileiras são diagnosticadas a cada ano com câncer ginecológico. Visita regular ao ginecologista e aplicação da vacina anti-HPV evitam a maioria dos casos Indolores, silenciosos e de lento desenvolvimento, os tumores do sistema reprodutivo da mulher atingem mais de 30 mil...
Entenda a diferença entre os tipos de câncer de pele
Alguns sinais e sintomas pedem atenção e uma consulta com um dermatologista Conhecer os tipos de câncer de pele e quais suas características é importante para a detecção precoce da doença, que pode alcançar altos índices de cura quando tratada nos estágios iniciais. Os tumores...
Podcast Rádio Cancer Center #37 - A vacinação da Covid-19 e o paciente oncológico
A vacinação da Covid-19 está sendo muito falada, mas pouco se diz sobre o paciente oncológico em meio ao processo de imunização. Os estudos feitos com as vacinas que estão imunizando a população não levam em conta pacientes oncológicos, que são imunocomprometidos. Assim, pairam algumas...
Covid-19: atividade física em tempos de isolamento social
Mesmo em casa, é possível manter o bom condicionamento e espantar a preguiça Com a pandemia da Covid-19, mudamos nossa rotina para ficarmos confinados dentro de casa, como forma de reduzir a proliferação do vírus. Com as academias fechadas e a recomendação de se ficar...