Videolaparoscopia: procedimento é utilizado em cerca de 60% dos casos de câncer na região abdominal no A.C.Camargo Cancer Center

Publicado em: 07/09/2016 - 21:09:00
Institucional
Tratamento
Cirurgia

No tratamento de tumores abdominais, o principal método terapêutico é a cirurgia, que pode ser realizada por um equipamento minimamente invasivo chamado laparoscopia. Utilizada em casos de câncer de estômago, fígado, pâncreas, entre outros, ficou conhecida principalmente por atuar na remoção da vesícula biliar.

Entre os principais benefícios da laparoscopia para os pacientes estão: menor tempo de internação; menor uso de analgésicos; e menos dores.

Por meio de pinças finas colocadas na região abdominal, o cirurgião consegue operar sem a necessidade de abrir completamente o local. Nessa técnica, assim como na cirurgia convencional aberta, a experiência e a habilidade do especialista são importantes para o sucesso do tratamento. Em centros oncológicos integrados como o A.C.Camargo Cancer Center, a expertise desenvolvida pelos profissionais – seja pela casuística seja pela capacitação – é fundamental.

Mais moderna, surgiu na última década a videolaparoscopia, procedimento que oferece melhor visão e possibilita maior precisão aos movimentos do especialista. O principal avanço da técnica está na captação e transmissão de imagens que amplificam e aprimoram o campo de visão do cirurgião, tornando possível realizar dissecções mais precisas e atingir áreas mais profundas. Não há, no entanto, alteração no modo como a cirurgia é realizada.

No A.C.Camargo Cancer Center, utiliza-se a videolaparoscopia em cerca de 60% dos casos de câncer na região abdominal. "O tempo de internação do paciente diminui, o que garante uma recuperação mais rápida e um retorno precoce a um possível tratamento adjuvante, como químio ou radioterapia", afirma Dr. Felipe José Fernandez Coimbra, Diretor do Núcleo de Cirurgia Abdominal.

A estética, que não costuma ser prioridade, é outra vantagem do tratamento minimamente invasivo: os cortes no paciente são menores. São melhorias similarmente observadas às da cirurgia robótica, com o uso do Da Vinci, tecnologia também utilizada para o tratamento de tumores urológicos, colorretais, ginecológicos, de cabeça e pescoço e de pele. A escolha da técnica e do equipamento utilizado é realizada de acordo com a avaliação médica do caso.

Nem todos os casos, no entanto, são passíveis do uso desse procedimento. "Quando a doença atinge um nível de extensão muito avançado, pode ser necessária uma abertura maior na região abdominal, impossibilitando a cirurgia minimamente invasiva", complementa.
 

Melhores condições de saúde para todos

Além do paciente, o próprio médico se beneficia ao utilizar um equipamento mais moderno. "A videolaparoscopia possibilita uma cirurgia com melhor campo de visão e menos cansativa para o especialista, uma vez que melhora sua postura ergonômica", destaca Dr. Felipe Coimbra.

Dr. Felipe José Fernandez Coimbra - CRM 93020
Diretor do Núcleo de Cirurgia Abdominal
Especialista em Cancerologia Cirúrgica - RQE 30634
Especialista em Cirurgia Geral - RQE 30635

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

A atuação dos Cuidados Paliativos em pacientes adultos e pediátricos
Esse departamento do A.C.Camargo Cancer Center busca promover melhor qualidade de vida aos pacientes e familiares que enfrentam questões associadas à doença O Departamento de Cuidados Paliativos, com seu trabalho voltado à prevenção e ao alívio do sofrimento do paciente, tenta identificar seus problemas precocemente...
Vídeo: a oncologia clínica nos tumores cerebrais
Entenda mais sobre o tema com a Dra. Ana Carolina Levy A oncologia clínica nos tumores cerebrais é peculiar, pois esses cânceres do sistema nervoso central podem ser primários ou secundários. Isso significa que eles surgiram das células do próprio sistema nervoso central ou que...
Coronavírus: recomendações importantes
O novo Coronavírus foi classificado como pandemia em 11 de março, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). A definição de pandemia não depende de um número específico de casos. Considera-se que uma doença infecciosa atingiu esse patamar quando afeta um grande número...
AACR 2019: extração de DNA do microbioma fecal pode identificar bactérias relacionadas à resistência dos quimioterápico
A técnica, um avanço no tratamento do câncer, poderá identificar novas bactérias relacionadas à resistência e metabolização de medicamentos quimioterápicos Por Diana Noronha Nunes, bióloga pesquisadora do Laboratório de Genômica Médica do Centro Internacional de Pesquisa (CIPE) do A.C. Camargo Cancer Center A Dra. Amy...
Assista ao vídeo com a cobertura do primeiro dia do Next Frontiers to Cure Cancer
No dia 16, foi realizado o Pre-Annual Meeting do Next Frontiers to Cure Cancer 2019. Discussão de casos clínicos, protocolos de pesquisa e avaliação de eficácia de terapias marcaram presença em diversas palestras sobre câncer em adolescentes e adultos jovens, pesquisa translacional, câncer de mama...