Fundo branco com uma ilustração de um coração, com uma foto do Doutor Daniel do lado direito, homem branco e jovem de jaleco

Tumores cardíacos: eles existem?

Publicado em: 29/09/2021 - 08:09:35
Diagnóstico
Tratamento
Sinais e Sintomas
Linha Fina

Confira a coluna Fala, Doutor, que traz as dúvidas mais frequentes entre os pacientes no consultório, por Daniel Garcia, oncologista clínico do A.C. Camargo Cancer Center

Tumores cardíacos primários

Os tumores cardíacos primários (que se originam no coração) são uma entidade rara, com uma frequência de 0,001 a 0,030%. 

Cerca de 80% desses tumores são benignos e, entre eles, o mais comum é o mixoma, responsável por 70% dos casos. 

Outras histologias benignas possíveis incluem rabdomiomas, miomas, fibroelastomas e lipomas. 

Os tumores malignos primários do coração são ainda mais raros: entre eles, 95% dos casos são sarcomas e os 5% restantes, linfomas. Os mais frequentes são os angiossarcomas, rabdomiossarcomas, leiomiossarcomas, fibrossarcomas e sarcomas indiferenciados. 


Tumores secundários

Embora os tumores cardíacos primários sejam extremamente incomuns, os tumores secundários não são. E, pelo menos em teoria, o coração pode ser alvo de metástase por qualquer neoplasia maligna capaz de se espalhar para locais distantes. 

A incidência exata de doença cardíaca metastática é desconhecida. Em geral, são consideradas como raras. No entanto, quando procurada, a incidência não parece ser tão baixa quanto a esperada, variando de 2,3% a 18,3%. 

Em uma das maiores séries de autópsias com mais de 1900 pacientes que faleceram de câncer, 8% tinham doença metastática envolvendo o coração. 


Como ocorrem

Os tumores cardíacos primários são, na maioria das vezes, esporádicos, mas podem ter um caráter hereditário em até 7% dos casos. 

Os tumores secundários, por outro lado, surgem de metástases provenientes de tumores malignos alojados em outros órgãos; podem migrar até o coração por via hematogênica (pela corrente sanguínea), linfática, invasão direta do mediastino ou crescimento do tumor para o interior do coração, seja pela veia cava ou por veias pulmonares, até o átrio direito ou esquerdo, respectivamente.

Embora nenhum tumor maligno sabidamente migra preferencialmente ao coração, alguns o envolvem com maior frequência do que outros, como, por exemplo, melanoma, tumores de pulmão, mama, rim e primários de mediastino. 


Sinais e sintomas

Os sinais e sintomas de um tumor cardíaco são extremamente variáveis e dependem de fatores como: localização do tumor, tamanho, histologia (tipo do tumor) e presença ou não de outras metástases. 

Podem levar a quadros de insuficiência cardíaca, interferência nas válvulas do coração, arritmias, derrame pericárdico, embolias e sintomas constitucionais como febre e emagrecimento. 


Tratamento

O tratamento dos tumores cardíacos é bastante variável e depende principalmente da histologia. 

Enquanto os tumores benignos tenham um excelente prognóstico e sejam curados na maioria das vezes com cirurgia, os tumores malignos raramente são passíveis de cura e seu tratamento pode envolver cirurgia, quimioterapia e/ou radioterapia.


Mais da coluna Fala, Doutor:
- Por que o câncer pode voltar, mesmo após um tratamento bem sucedido?

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Dia Mundial do Doador de Medula Óssea: a importância da doação
O Dia Mundial do Doador de Medula Óssea é celebrado, mundialmente, no terceiro sábado de setembro – neste 2021, cai no dia 18. É uma forma de reafirmar a importância da doação de medula óssea, sobretudo para pacientes com leucemia, que é o décimo tipo...
Pesquisadores do A.C.Camargo afirmam que fumar reduz as "bactérias do bem" da boca
É sabido que o consumo regular de álcool e tabaco pode levar a uma ampla gama de problemas de saúde, como câncer e cirrose. O que não se sabia é que essas drogas são responsáveis por vitimar também centenas de espécies de bactérias da boca...
Câncer de pulmão: oncologista do A.C.Camargo comenta sobre diagnóstico de Rita Lee
O câncer de pulmão é um dos mais comuns. De acordo com o INCA, ele é o quarto mais comuns entre os homens, com 17.760 novos casos em 2020. Entre as mulheres, ele é o quinto mais recorrente, com 12.440 novos casos no ano passado...
O câncer de próstata tem cura
O diagnóstico precoce aumenta as chances de cura do câncer de próstata. Fique atento aos fatores de risco, formas de prevenção e quais exames são indicados para detectar precocemente o tumor. Fatores de risco e prevenção Idade: é o fator de risco mais importante. A...
Cuidados com a pele durante a radioterapia
A radioterapia é um importante método de combate ao câncer que utiliza a radiação para destruir as células tumorais. Apesar da sua eficácia, alguns efeitos colaterais podem surgir e são até mesmo esperados. Em linhas gerais, os efeitos mais comuns são cansaço e alterações na...