Tudo o que um prato saudável pode fazer por você

Publicado em: 01/01/2018 - 22:01:00
Notícias

Comer bem e em cores é garantia de saúde. Com os alimentos certos e seu corpo em equilíbrio, a vida parece melhor. Então, olho no prato: suas escolhas são fundamentais para prevenir doenças, inclusive o câncer. E, caso você já seja paciente, mais uma boa razão para se alimentar bem: você encara o tratamento com mais energia e pode se recuperar mais rapidamente.

Prevenir é sempre bom

Uma alimentação saudável, equilibrada, diminui as chances de você ter câncer. É uma via de mão dupla: quem não pensa em saúde na hora de fazer o prato corre mais riscos de ter câncer.

Para todas

Fibras, proteínas, antioxidantes, carboidratos, frutas, vegetais: comida saudável é a que equilibra bem todos esses elementos – 50% vegetais, 25% proteínas e 25% de carboidratos em cada refeição. Ao longo do dia, consuma frutas sempre. O ideal são cinco porções de frutas por dia.

Limpeza boa

Antioxidantes fazem uma faxina no organismo. Onde encontrar esses agentes da limpeza?

Vitamina A - Pense em alimentos com tons solares, alaranjados, vermelhos, amarelos.

Vitamina C - Laranja, acerola, limão, nas frutas cítricas.

Vitamina E - Nozes e os óleos vegetais.

Zinco - Castanha-do-pará, amêndoa, castanha de caju.

Selênio - Outro mineral encontrado na castanha-do-pará e também no leite, nas carnes, nas nozes.

Fibras também são essenciais: estão presentes em frutas, verduras, arroz integral, farinhas integrais, aveia, linhaça, cevada, feijão, lentilha, ervilha.

Nada de excessos

Em dias de festa, você até pode beber um pouco, mas, mesmo assim, sem exageros. Evite beber quase todos os dias, e nunca beba além da conta.

Açúcar demais, nem pensar. E, quando adoçar, troque o açúcar branco, refinado, por uma versão mais saudável, como o demerara. Ou use mel.  Se optar pelo adoçante, também prefira os mais naturais como o stevia.

Muito sal também não: em excesso, o sal retém líquidos e eleva sua pressão arterial. Experimente substituir o sal por temperos naturais, como ervas (orégano, tomilho, sálvia, o que for do seu gosto) para saborear ainda mais sua comida.

O tempero da vida

Moderar no sal, sim, mas uma pitada salgada dá mais sabor à vida. Então, que tal fazer em casa um sal de ervas? É simples: a cada grama de sal, um grama de ervas da sua preferência. Fica uma delícia.

Água, bendita água

Muita! Água hidrata, refresca, ajuda no bom funcionamento dos intestinos; é tudo de bom. Beba de seis a oito copos por dia. Sucos – de preferência, naturais e sem açúcar – e chás são bem-vindos. Sobre o chá, um aviso importante: o chá verde é ótimo, mas pode não cair bem com alguns medicamentos quimioterápicos. Se você estiver fazendo quimioterapia, avise a nutricionista que pretende tomar chá verde.

Picolé dá água na boca

Andar sossegada chupando um picolé de limão tem cara de verão e efeito terapêutico. Boca seca é um sintoma desagradável, porque altera o gosto dos alimentos. O limão, que é ácido, atenua a boca seca e a alteração do paladar. Balinhas azedas ou mentoladas também ajudam.

Mais leveza

Se a sua boca está com feridas, troque o picolé por sorvete de massa. E coma alimentos macios, leves, como gelatinas, iogurtes, frutas macias como banana e mamão. Com a boca machucada, não dá para comer um pão francês, por exemplo, porque as casquinhas podem ferir ainda mais. Troque-os por pães macios, muito melhores.

Tem jeito para tudo

Intestino desregulado é um pesadelo, certo? A boa alimentação é o remédio.

Preso: se o seu intestino teima em não funcionar, beba muita água, aumente o consumo de fibras, abuse de frutas que dão aquele empurrãozinho para soltá-lo: mamão, laranja, morango, banana nanica.

Solto: quando o intestino funciona mais do que devia, você fica fraca, desidratada. Então, vamos regular a situação. Frutas que ajudam a prendê-lo: banana-maçã, goiaba, maçã, melão, melancia. Diminua, até tudo voltar ao normal, o consumo de fibras. Evite leite e derivados.

Fazer ou não dieta?

Mais uma vez, a palavra equilíbrio define tudo. Se você está em tratamento, fazendo quimioterapia, por exemplo, precisa comer para não enfraquecer. Um corpo fraco sofre mais com os efeitos colaterais. E você precisa de energia para seguir em frente.

Bem, comer demais e engordar muito também não pode. O excesso de peso é um risco. Pode aumentar a reincidência da doença. Pesquisas mostram que os quilos a mais contribuem para os riscos de câncer. Então, vamos pelo meio-termo: comer bem e variado, mas fazendo exercícios, caminhando, de olho na balança.

Sob medida

A nutricionista vai prescrever qual a dieta certa para você. Essas dicas aqui valem para todos, mas, dependendo do seu tratamento, existem itens específicos. E cada corpo é de um jeito: há pacientes que enjoam muito na quimioterapia, e outros não. Você pode detestar comer algo em um dia, mas, depois, esse sintoma passa e, dali a alguns dias, tudo muda e o apetite volta. Então, converse sempre com o médico e a nutricionista.

 

 

Thais Manfrinato Miola - CRN 24947
Titular da equipe de Nutrição e Dietética do A.C.Camargo Cancer Center

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

O exame de sangue oculto nas fezes é o método ideal para rastreamento do câncer colorretal em grandes populações
Pouca gente se lembra de fazer – e às vezes até mesmo os médicos se esquecem de pedir – o exame de sangue oculto nas fezes. Entretanto, ele é muito eficiente para ajudar no diagnóstico do câncer de intestino e tem a vantagem de ser...
Alimentos que ajudam na prevenção do câncer: próstata, mama e intestino
Boa alimentação pode ajudar na prevenção do câncer. Confira dicas de alimentos que podem ser aliados na prevenção de tumores na próstata, mama e intestino.
Um olhar sobre a qualidade de vida e reabilitação do paciente oncológico
Nossos especialistas fazem um resumo dos painéis de Efeitos Tardios, Enfermagem, Fisioterapia e Músculo Esquelético, do evento Next Frontiers to Cure Cancer. Efeitos tardios "As discussões deste painel foram superaprofundadas em pesquisas e estudos sobre os efeitos tardios do tratamento do câncer. O mais interessante...
Instituições brasileiras criam projeto de capacitação em Oncologia em Moçambique
Grupo de três instituições brasileiras, formado pelo A.C.Camargo Cancer Center, pelo Hospital do Câncer de Barretos e pelo Hospital Albert Einstein, desenvolveu um projeto de capacitação em oncologia voltado para os médicos do Hospital Central de Maputo, capital do país africano. Com 25 milhões de...
Nutrição do paciente após cirurgia de câncer colorretal
Hoje em dia, dietas são bastante populares e geralmente associadas ao emagrecimento. Porém, uma dieta nada mais é que uma readequação alimentar. E para a grande maioria dos pacientes oncológicos, o acompanhamento de um nutricionista é fundamental, antes ou depois de uma cirurgia, durante a...