Previna tumores colorretais com hábitos saudáveis

Publicado em: 30/09/2019 - 16:09:38

Conheça as formas de se antecipar a um eventual câncer e os fatores de risco existentes

Os tumores colorretais malignos, localizados no cólon (intestino grosso) e no reto, são o terceiro tipo mais comum em homens e o segundo em mulheres. Diagnosticados no início, podem apresentar cerca de 90% de chances de sucesso no tratamento, de acordo com Samuel Aguiar Junior, head do Núcleo de Tumores Colorretais do A.C.Camargo.

Esse tipo de câncer é uma doença multifatorial influenciada por questões genéticas, ambientais e relacionados ao estilo de vida (que podem ser modificados). Os fatores alteráveis incluem consumo de bebida alcoólica, maus hábitos alimentares, obesidade, tabagismo e sedentarismo.

Tumores colorretais: sinais e sintomas

O câncer colorretal costuma ser uma doença silenciosa e assintomática no estágio inicial. À medida que progride, pode causar sangramentos e obstruções intestinais. Por isso, recomenda-se o exame da colonoscopia a partir dos 45 anos ou a partir dos 40 em caso de histórico de câncer na família.

Os sintomas mais comuns são:

  • Presença de sangue nas fezes
  • Dores abdominais
  • Dores ao evacuar
  • Diarreia ou prisão de ventre que não passam
  • Sensação de empachamento
  • Mudanças no apetite
  • Perda de peso inexplicável

Tumores colorretais: fatores de risco

  • Alimentação: consumo abusivo de carnes vermelhas, carnes processadas e carnes expostas a calor intenso, como nos churrascos, encabeçam a lista dos fatores de risco, seguidas por uma dieta pobre em fibras (frutas, legumes e verduras).
  • Sedentarismo: a prática regular de exercícios físicos também ajuda a combater a obesidade, que é outro importante fator de risco.
  • Fumo: é um fator de risco sério também para este tipo de câncer.
  • Álcool: sozinho, o consumo de bebidas alcoólicas já é um fator de risco importante, particularmente entre os chamados bebedores pesados (alto consumo de álcool em um curto espaço de tempo). Combinado com o fumo, o risco se multiplica.
  • Doenças inflamatórias intestinais: são raras, mas, quando crônicas, podem aumentar o risco de câncer de cólon. Entre elas estão a colite ulcerativa e a doença de Crohn. Portadores dessas enfermidades precisam ter acompanhamento específico para detecção precoce do câncer.

Síndromes familiais de câncer: algumas famílias têm um histórico de câncer colorretal com várias pessoas afetadas pela doença, antes dos 50 anos. Nesses casos, é importante consultar um médico e um oncogeneticista para fazer uma avaliação de risco e verificar qual a melhor forma de acompanhamento.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

A bebida alcoólica eleva o risco de um câncer de boca?
A bebida alcoólica pode ser, sim, um fator de risco para o desenvolvimento de um câncer. Essa associação ocorre não apenas para um tumor de cabeça e pescoço, como boca, faringe e laringe. O álcool também pode implicar problemas no esôfago, mama e intestino grosso...
Podcast Rádio Cancer Center #20 - O cirurgião oncológico
Conheça o papel deste especialista essencial A conversa de hoje é sobre o papel do cirurgião oncológico. Vamos falar da atuação desse especialista que é vital para o tratamento do câncer. Trata-se de um profissional que não somente é preparado para conduzir cirurgias de alta...
Podcast Rádio Cancer Center #19 - Julho Verde e a reabilitação de um câncer de cabeça e pescoço
Conheça mais as possibilidades terapêuticas da fonoaudiologia e da estomatologia Neste Julho Verde, mês de conscientização para o combate aos tumores de cabeça e pescoço (leia mais a seguir), é importante falar de reabilitação. É fundamental ressaltar as possibilidades de tratamento e até mesmo conhecer...
Como eu me tornei uma oncologista
Para marcar este 9 de julho, Dia do Oncologista, saiba mais sobre a profissão com o depoimento da Dra. Maria Nirvana da Cruz Formiga, oncologista clínica do Departamento de Oncogenética do A.C.Camargo “A oncologia é uma área que me encantou desde o 5° ano da...
Julho Verde: 9 mitos & verdades sobre o câncer de cabeça e pescoço
Julho Verde: os tumores de cabeça e pescoço representam o nono tipo de câncer mais comum no mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Incluindo todas as áreas da cavidade oral, como a língua e boca, e órgãos como laringe, faringe, seios...