Pacientes em estado crítico, na UTI, devem receber quimioterapia?

Publicado em: 14/02/2018 - 22:02:00
Tratamento
Pesquisa
Quimioterapia

Quando se pensa em índice de mortalidade dos pacientes oncológicos, em estado grave, na UTI, surge a dúvida: eles devem ou não receber quimioterapia urgente? "Nós nos perguntamos se a quimioterapia em um paciente muito doente poderia contribuir para sua piora ou melhora", diz o Dr. Pedro Caruso, Diretor da UTI, que coordenou o estudo Impact of Urgent Chemotherapy in Critically Ill Patients, publicado em dezembro no Journal of Intensive Care Medicine.

Um estudo comparou pacientes em dois grupos semelhantes: mesma idade, mesma gravidade clínica e mesmos tipos de tumores – um grupo recebeu químio e outro, não.

A comparação foi feita entre 47 pacientes que receberam quimioterapia e 94 pacientes semelhantes que não receberam quimioterapia. Os grupos eram semelhantes em dez características, como idade, tipo de tumor e gravidade da doença. Dos pacientes que receberam químio, 57% tinham tumores sólidos e 43% tinham tumores no sangue (como leucemia, mieloma e linfomas). O objetivo era entender se a quimioterapia tinha relação com a mortalidade desses pacientes em estado muito grave.

"Chegamos à conclusão de que a quimioterapia em pacientes gravemente doentes e internados na UTI aumentou a mortalidade dos pacientes com tumores sólidos, talvez porque os efeitos colaterais se sobrepuseram aos benefícios", explica o Dr. Pedro. Já os pacientes com tumores no sangue não apresentaram esse aumento de mortalidade. No entanto, ainda são necessários novos estudos. "É possível que a quimioterapia seja benéfica em tumores sólidos, em casos selecionados", explica.

Veja também

GAP, congresso anual do MD Anderson Cancer Center, ocorre no Brasil e tem o A.C.Camargo Cancer Center como uma das Instituições parceiras
Com o tema "Diversidade, Inovação, Humanização e Integração", foi realizado, nas cidades de São Paulo e Barretos, o Global Academic Programs 2016 (GAP), congresso anual do MD Anderson Cancer Center. Foi a primeira vez que o evento da instituição norte-americana aconteceu na América Latina. Em...
A cirurgia robótica no câncer de pulmão
Conheça esta técnica menos invasiva e mais precisa, que apresenta muitas vantagens terapêuticas em meio ao nosso Fluxo Oncológico Protegido A cirurgia robótica, em casos de tumores no pulmão, é uma alternativa importante para pacientes do A.C.Camargo Cancer Center, que é um dos centros pioneiros...
A cirurgia robótica em tumores colorretais
Um papo com Samuel Aguiar Junior, cirurgião oncologista e head do Núcleo de Tumores Colorretais do A.C.Camargo Cirurgia robótica, grande aliada contra o câncer colorretal. Também conhecido como câncer de cólon e reto ou câncer do intestino grosso, o câncer colorretal é, no Brasil, o...
Tumores pediátricos: conheça os sinais e sintomas
Para qualquer tipo de câncer, a detecção precoce é essencial para aumentar as chances de sucesso e reduzir os efeitos tóxicos do tratamento, principalmente para os tumores pediátricos, que costumam ser doenças com evolução rápida. Normalmente, o câncer em crianças apresenta sinais e sintomas que...
Adenomas de hipófise: tumores raros e de difícil diagnóstico
Prolactinoma, acromegalia e doença de Cushing são alguns dos tumores neuroendócrinos mais comuns Diferentemente de alguns outros tipos de tumores que possuem como causa relação com fatores ambientais, radiação, estilo de vida, entre outros, ainda não se sabem os gatilhos que levam ao desenvolvimento dos...