Outubro Rosa: Centro de Referência em Tumores da Mama dispõe das melhores práticas, do diagnóstico à reabilitação

Publicado em: 25/10/2021 - 14:10:27
Diagnóstico
Tratamento
Suporte e Reabilitação
Tumores de Mama
Mama
Linha Fina

Equipe multidisciplinar atua para que decisões mais adequadas prevaleçam durante o tratamento oncológico no A.C.Camargo Cancer Center

Outubro Rosa é uma campanha de conscientização que coloca holofotes na necessidade do diagnóstico precoce para o câncer de mama, que tem estimativa de 66.280 novos casos para cada ano do triênio 2020-2022 – o segundo mais comum entre as brasileiras.

E, quando o câncer de mama é diagnosticado, faz diferença contar com um Cancer Center como o A.C.Camargo, que dispõe de um Centro de Referência em Tumores da Mama, multidisciplinar, para cuidar de todo o processo de tratamento, sempre adotando as melhores práticas mundiais de combate ao câncer. 

Existe muito cuidado por trás de médicos e enfermeiros. Por exemplo, o radiologista e o patologista têm papel vital no diagnóstico, bem como os profissionais de genética, que analisam dados que podem mudar o foco do tratamento. 

No quesito reabilitação destacam-se a fisioterapia, a fisiatria – área que avalia a reabilitação física como um todo – e a cirurgia plástica, que prepara a paciente para alcançar o melhor resultado estético. 

“Procuramos prover um cuidado integral baseado em condutas previamente combinadas, mas que acabam sendo personalizadas no ‘ajuste fino’. Também nos preocupamos com a retomada das funções após o tratamento, pensando na reabilitação física, na reinserção social e no mercado de trabalho”, destaca a Dra. Solange Sanches, oncologista clínica do A.C.Camargo e vice-líder do Centro de Referência em Tumores da Mama.


Tratamento que dá resultado

No A.C.Camargo Cancer Center, as pacientes que recebem um cuidado multidisciplinar no Centro de Referência em Tumores da Mama estão superando a doença em todos os estágios. 

Algo comprovado em um estudo feito por médicos e pesquisadores da Instituição, que analisaram os dados de 5.095 mulheres.

Publicado na revista Mastology, da Sociedade Brasileira de Mastologia, o estudo epidemiológico Breast Cancer Survival in a South American Cancer Center – a Cohort Study of 5095 Patients (Sobrevivência ao Câncer de Mama em um Cancer Center Sul-Americano – um Estudo de Corte de 5095 Pacientes) teve o objetivo de relacionar o estágio clínico das mulheres à sobrevida delas no período de cinco anos após o tratamento. 

Em pacientes com câncer de mama em estágio inicial, ou seja, que foram detectados precocemente, a sobrevida em cinco anos após o tratamento alcançou os 98,7%.

Já entre as pacientes com metástase, a taxa de sobrevida em cinco anos após o tratamento saltou de 20,7%, que era o índice no ano 2000, para 40,8%. 

Para ver este estudo na íntegra (em inglês), clique aqui.
 

Tumor Boards

São reuniões semanais onde são discutidos os casos de pacientes em que a conduta padrão precisa ser personalizada. 

Geralmente, participam do Tumor Board o radiologista, patologista, mastologista, radioterapeuta, oncologista clínico, cirurgião plástico, oncogeneticista e um representante da pesquisa – esta equipe é um diferencial importante, principalmente pela presença do pesquisador de área básica, fazendo jus ao conceito de assistência, ensino e pesquisa da Instituição.

Esses profissionais podem ser solicitados a qualquer momento para pontualmente avaliar alguma pendência da paciente – a depender do caso, outros especialistas são acionados, como, por exemplo, cirurgiões de tórax, abdome, endocrinologista, cardiologista, enfim, toda a equipe voltada à resolução de quaisquer questões que se apresentem para o paciente.

“Temos esses profissionais como círculo de apoio, e no dia a dia cada uma dessas equipes está estruturada para prover o melhor suporte ao paciente”, conta a Dra. Solange. 


Enfermagem, navegação, apoio emocional

No cotidiano, algumas áreas irão aparecer muito. A começar pela psicologia, afinal, muita coisa muda na vida de quem está em tratamento.

Destaca-se também a equipe farmacêutica, que faz toda a reconciliação medicamentosa. E, claro, o time de enfermagem. Tanto as enfermeiras de referência da oncologia e da radioterapia, que abordam as particularidades da cirurgia, da quimioterapia e da radioterapia, como as enfermeiras navegadoras, que facilitam a jornada do paciente.

Esse Programa de Navegação é um diferencial: promove agilidade no início do tratamento e fica responsável pelo ritmo e o cumprimento de todas as etapas durante a jornada da paciente. É composto por um grupo de enfermeiros altamente especializados em oncologia, que conduzem o paciente ao longo da jornada de tratamento. 

O enfermeiro navegador surge como um elo entre todas as áreas – assistenciais e administrativas, a fim de coordenar todas as etapas de atendimento de forma sincronizada e ágil, promovendo o bem-estar e a melhor experiência ao paciente e familiares após o diagnóstico do câncer.


Suporte à família

São fundamentais os grupos de apoio como o Amor à Vida, que promove cursos de orientação para pacientes e familiares/acompanhantes – esta é uma parte muito importante, tratar do cuidador, que é quem dará o suporte em casa.

“O ideal é que esse apoio ao familiar já ocorra desde o início, no contato com toda a equipe multidisciplinar que atenderá o paciente”, afirma a Dra. Solange Sanches. 


Cuidado centrado no paciente

Nesta premissa, pacientes em tratamento opinam e a posição delas é discutida e fortemente considerada.

“Nos certificamos que a paciente tenha entendido todas as implicações do tratamento e respeitamos a vontade dela, valorizando a decisão compartilhada”, explica a Dra. Solange. 


Outubro Rosa: mês de conscientização 

O A.C.Camargo reafirma que informação e mamografia podem evitar muito sofrimento. Avançamos muito e, se o câncer de mama for diagnosticado precocemente, salvamos 98,7% das pacientes, e as devolvemos para uma vida produtiva. Daí a importância do rastreamento precoce.

Assim, Outubro Rosa bate na tecla da conscientização para o diagnóstico precoce do câncer de mama, mas você tem de se cuidar o ano todo para preveni-lo. Inclua alimentos mais saudáveis nas refeições, faça atividade física e não deixe de realizar os exames médicos. 

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

AACR 2019: o papel protetor do microbioma intestinal durante o tratamento imunoterápico
Fibras prebióticas e probióticos podem influenciar na eficiência da terapia Por Diana Noronha Nunes, bióloga pesquisadora do Laboratório de Genômica Médica do Centro Internacional de Pesquisa (CIPE) do A.C.Camargo Cancer Center Mais uma vez o tema da avaliação do microbioma intestinal em pacientes tratados com...
Outubro Rosa: estudo avalia como o peso impacta o tratamento com abemaciclibe e hormonioterapia em pacientes com câncer de mama metastático
O câncer de mama é causado, em 70% dos casos, pela alteração em receptores hormonais (estradiol). Esse hormônio é o mais importante para o corpo da mulher e está ligado à regulação do período fértil, saúde óssea e libido. Esta presente no corpo das mulheres...
Podcast Rádio Cancer Center #51 - A segurança do paciente
A cultura de segurança do paciente nas instituições de saúde prevê um conjunto de medidas importantes, conjunto este instituído pela Organização Mundial de Saúde (OMS). São as 6 Metas Internacionais para a Segurança do Paciente. É um processo contínuo e apaixonante, que envolve toda uma...
Estudo RAPIDO: foco no tratamento do carcinoma de reto localizado
Por Celso Abdon Lopes de Mello, oncologista clínico, com a colaboração da médica da radioterapia Maria Leticia Gobo, ambos do A.C.Camargo Cancer Center Os resultados do estudo RAPIDO estavam sendo bastante aguardados. Os pacientes com carcinoma de reto distal de alto risco são tratados hoje...
Papanicolau é a principal forma de rastreamento de câncer do colo do útero
Exame é simples, rápido e eficaz para detectar lesões pré-malignas de forma precoce O câncer do colo do útero é o quarto tipo de tumor com maior prevalência entre as mulheres, com exceção dos casos de pele não melanoma. Segundo o Instituto Nacional de Câncer...