Os efeitos da radioterapia na pele

Publicado em: 11/05/2015 - 21:05:00
Tratamento
Foco do paciente
Radioterapia

Importante método terapêutico que utiliza radiação para destruir células tumorais, a radioterapia pode provocar alguns sintomas, como cansaço e fadiga. No entanto, os efeitos colaterais mais perceptíveis dessa modalidade terapêutica – hoje minimizados com os novos avanços tecnológicos – manifestam-se na pele.



Como recebe altas doses de radiação, a pele pode ficar avermelhada ou até mesmo apresentar pequenos ferimentos, reações chamadas de radiodermite, ou seja, lesões na pele após a exposição à radiação. Dores, assaduras e secreções são outros efeitos possíveis. A resposta dada pelo paciente varia de acordo com as substâncias e taxas de radiação aplicadas, além da individualidade do organismo. 

Caso o paciente apresente alguma reação, é fundamental avisar o médico imediatamente. "Sintomas como dores musculares, assaduras e secreções podem ser esperados durante a radioterapia, mas requerem muitos cuidados e precisam ser informados", avisa Dra. Bianca Costa Soares de Sá, médica titular do Núcleo de Câncer de Pele do A.C.Camargo.

Felizmente há recursos terapêuticos que ajudam a amenizar esses efeitos. Independentemente da especificidade do caso, é recomendado evitar o uso de cremes, pomadas, perfumes e medicamentos sem autorização médica, além da exposição solar na área irradiada. Em um centro de referência como o A.C.Camargo, há uma equipe de apoio que acompanha o paciente antes, durante e depois do tratamento, com o objetivo de atenuar esses possíveis efeitos colaterais. 
 

Pele com tatuagem

A existência de uma tatuagem na região a ser tratada com radioterapia não constitui um problema. "A única possível consequência, em casos raros, é a desconfiguração do desenho aplicado. Mas a tatuagem não interfere no tratamento radioterápico, tampouco aumenta o risco de complicações na pele", explica.

Caso isso ocorra, após o procedimento terapêutico, é necessário um tempo de espera para retocar a tatuagem modificada ou criar um novo desenho. "É preciso pelo menos um mês depois da radioterapia para poder novamente manipular a pele, caso ela não apresente mais sinais de radiodermite", orienta a dermatologista.

Se o paciente deseja retirar a tatuagem, por apresentar alguma deformidade causada pelo tratamento, Dra. Bianca estima um tempo ainda maior. "Apesar de não haver contraindicação para a utilização de laser, a pele deve estar totalmente cicatrizada".
 

Como funciona a radioterapia

Um dos fatores que interferem nas manifestações cutâneas geradas pela radioterapia é a profundidade do tumor em relação à superfície da pele, de acordo com Dr. Cássio Pellizzon, diretor do Departamento de Radioterapia do A.C.Camargo Cancer Center. "Se tratarmos de uma lesão no braço, utilizaremos poucos campos de radiação, por tratar-se de uma estrutura pouco espessa. Diferentemente da região abdominal, na qual o órgão pode estar numa profundidade muito maior em relação à superfície do corpo", explica.

dosagem é outro ponto destacado pelo especialista. "A irradiação de tumores de mama e cabeça e pescoço é a que mais aumenta a chance de manifestações cutâneas. Em um câncer na língua, por exemplo, onde os gânglios linfáticos estão a meio centímetro da pele, na derme e abaixo dela, essa região receberá uma dose próxima da radiação quase tão alta quanto a que é necessária para eliminar o tumor", exemplifica.

Dr. Cássio Pellizzon ressalta também a evolução da radioterapia, que hoje utiliza a tecnologia IMRT (Intensity-Modulated Radiation Theraphy). Com a possibilidade de modular a intensidade do feixe, esse método é mais avançado do que os anteriores e diminui os riscos de sequelas na pele. A dosagem da radiação é medida em centigreis (cGy) e a taxa aplicada pode influenciar diretamente na reação provocada no paciente.

"As tecnologias mais recentes permitem que os profissionais distribuam melhor as doses de radiação, o que ajuda a minimizar os efeitos colaterais. Preferimos utilizar uma dose mais baixa em um volume maior do que concentrá-la em dois ou três campos", tranquiliza Dr. Cássio Pellizzon.

Dr. Antônio Cássio de Assis Pellizzon - CRM 59714
Diretor do Departamento de Radioterapia

Dra. Bianca Costa Soares de Sá - CRM 81917
Médica Titular do Núcleo de Câncer de Pele

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Fisioterapia contribui para a qualidade de vida de mulheres com câncer de mama e tumores ginecológicos
Uma das grandes preocupações da mulher em tratamento de câncer de mama ou tumores ginecológicos é o linfedema – acúmulo de líquido nos braços ou nas pernas, que causa inchaço e pode dificultar o movimento. A fisioterapia tem o papel de promover a reabilitação da...
Outubro Rosa: retomada pós-pandemia é urgente
Em 2019 a área de mastologia do A.C.Camargo Cancer Center atendeu 27.755 pacientes e, em 2020, foram 20.233, ou seja, queda de 7.522 consultas. Até agosto de 2021, os consultórios receberam 14.704 pacientes, 4.193 a menos do que agosto de 2019, que registrou 18.897. Porém...
Semana da Saúde: quem dança seus males espanta!
Está acompanhando a Semana da Saúde e Prevenção do A.C.Camargo Cancer Center? No dia 24, teremos uma aula on-line de zumba, às 7h30, com a professora Aline Ferreira, da academia Ecofit Club. Batemos um papo com a educadora física, que explicou que a dança é...
Radioterapia: A.C Camargo conta com novo Acelerador Linear que reduz tempo de tratamento e potencializa cirurgias de tumores mamários
Os pacientes que necessitam de radioterapia do A.C.Camargo Cancer Center logo poderão contar com novo equipamento de última geração, que foi adquirido para integrar conjunto de aparelhos do seu parque tecnológico. O novo Acelerador Linear (AL) Elekta Versa HD tem a capacidade de aumentar a...
Seu primeiro atendimento no caminho certo
A pré-triagem feita pela nossa Central de Relacionamento é essencial para o acesso rápido ao especialista adequado Todos os dias, recebemos muitas ligações de pacientes entrando em contato para fazer um atendimento pela primeira vez. Neste momento, é comum surgirem dúvidas: agendar com um oncologista...