Dra. Marina DeBrot observa amostras congeladas no biobanco

Oncologia personalizada na América Latina

Publicado em: 02/12/2020 - 09:12:53
Pesquisa
Tratamento
Genética
Linha Fina

Especialistas discutem os desafios e as oportunidades sobre estudos em oncologia de precisão nos países latino-americanos

 

A oncologia personalizada (ou de precisão) deixou de ser o futuro do tratamento oncológico para estar cada vez mais presente no dia a dia. Mas, ainda são necessários muitos estudos e pesquisas clínicas para torná-la cada vez mais acessível e precisa no combate ao câncer. Enquanto em grandes centros esses estudos avançam a passos largos, a América Latina representa apenas 4% de toda atividade global relacionada a pesquisa sobre câncer.

O estudo Personalizing Precision Oncology Clinical Trials in Latin America: An Expert Panel on Challenges and Opportunities (Personalização de ensaios clínicos de oncologia de precisão na América Latina: um painel de especialistas sobre desafios e oportunidades, em português) reuniu especialistas de oito países da América Latina para avaliar os principais desafios da região.

Segundo Dr. Helano Carioca Freitas, médico oncologista do A.C.Camargo Cancer Center e um dos autores do estudo, os ensaios clínicos para oncologia de precisão precisam de candidatos que tenham tumores com alterações moleculares específicas, considerados como o alvo da terapia experimental do ensaio. Como muitas alterações moleculares são raras, menos pacientes são inscritos e, como consequência, o sucesso da triagem diminui e aumentam os custos. Dessa forma, muitos testes são viáveis apenas quando são multicêntricos e multinacionais.

“Durante os testes, é gerada uma quantidade muito grande de dados genômicos, que requerem equipamentos caros e sofisticados, além de pessoal altamente treinado. São recursos que estão restritos a alguns centros de pesquisa e não amplamente disponíveis na América Latina”, explica Dr. Helano.

Oportunidades de melhorias

Dra. Rachel Riechelmann, médica oncologista do A.C.Camargo e autora sênior do estudo, explica que o uso de bancos de tumor (ou biobancos) pode ajudar a superar alguns desafios. “Os biobancos são reconhecidos como vitais para a pesquisa em oncologia. Mas, na América Latina, existem poucas unidades e, com exceção do Brasil, operam sem regulamentação específica”, comenta a médica.

Confidencialidade e ética na pesquisa de oncologia personalizada

Outro ponto levantando pelos autores é a questão da supervisão ética, que deve ser mais dinâmica e personalizada para cada região, mantendo os fundamentos morais. “Ao traduzir essa enorme quantidade de dados para a prática clínica, o grande desafio é como fazer isso garantindo a privacidade dos participantes e a confidencialidade de suas informações genéticas”, comenta Dra. Rachel.

A especialista explica que a América Latina apresenta uma população única em termos de características clínicas, sociais, ambientais e genéticas na pesquisa do câncer. Por isso, a aceleração da oncologia de precisão é uma esperança de tratamento mais eficaz não só para os tumores mais comuns, mas também para os subtipos mais raros. “Com a inevitável globalização da pesquisa clínica do câncer, é importante a América Latina implantar melhorias para a pesquisa em oncologia de precisão a fim de fornecer mais acesso a novos medicamentos para pacientes latino-americanos com câncer”.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Aconselhamento genético: um caminho promissor para antever o câncer de próstata
Testes germinativos podem diagnosticar mutações que culminam em tumores com diversos graus de agressividade Aconselhamento genético. Duas palavras que podem fazer a diferença definitivamente como fator preventivo ante o câncer. É a constatação de Brian Shuch, urologista americano que é diretor do Programa de Câncer...
Homens também podem ter câncer de mama
Câncer de mama em homens: sim, eles também podem ter câncer de mama, já que têm glândulas mamárias e hormônios femininos, ainda que em quantidade pequena. "A mama masculina é um órgão pequeno e o câncer de mama em homens é bem mais raro, mas...
Nefrostomia guiada por tomografia é eficaz para melhorar a função renal
Pesquisa desenvolvida no A.C.Camargo Cancer Center avalia procedimento necessário quando há obstrução das vias urinárias na pelve A nefrostomia percutânea é a colocação de um dreno diretamente no interior do rim. Esse procedimento é necessário quando há uma obstrução das vias urinárias na pelve, que...
Fernando Gentil, um pioneiro em cirurgia oncológica
O cirurgião Fernando Campello Gentil (1921-1989), que hoje empresta seu nome a um de nossos ambulatórios, teve papel muito relevante na Cirurgia Oncológica no A.C.Camargo e no Brasil. Formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), fez Residência Médica no Memorial Sloan Kettering Cancer...
Tipo raro de câncer de pele, o melanoma acral exige maior atenção ao diagnóstico
Principal pigmento na produção da cor da pele, a melanina é gerada por uma célula chamada melanócito. Seu crescimento, quando normal, é controlado e substitui regularmente células velhas por novas e saudáveis. Porém, a exposição excessiva à radiação ultravioleta (UV), presente nos raios solares, pode...