O primeiro estudo eficaz do uso da ressonância magnética de corpo inteiro para rastrear tumores em fase inicial

Publicado em: 05/07/2017 - 21:07:00
Pesquisa
Institucional
Inovação e tecnologia

Cientistas de seis países se uniram em consórcio internacional – e nossa Instituição representando o Brasil – para diagnosticar com segurança as muitas lesões dos pacientes com a Síndrome de Li-Fraumeni.

A Síndrome de Li-Fraumeni, condição hereditária de famílias portadoras que têm alto risco de desenvolver diversos tipos de tumores, é causada por uma mutação no gene TP53O que isso significa? Que os portadores do gene precisam ser submetidos, desde muito jovens, a uma infinidade de exames, vários deles com o uso de radiação, para diagnosticar lesões cancerígenas ainda no início, porque assim têm mais chances de cura. Para isso, médicos e especialistas buscam métodos mais seguros e eficazes de diagnóstico.

Especialistas de importantes instituições de seis países (Austrália, Estados Unidos, Canadá, Holanda, Inglaterra e nós, do A.C.Camargo, pelo Brasil) se reuniram em consórcio internacional para avaliar a ressonância magnética de corpo inteiro como método de rastreamento. O estudo foi publicado em agosto na revista científica JAMA e mostra resultados promissores.

É uma meta-análise, ou seja, uma revisão de vários trabalhos com grupos de pacientes avaliados entre janeiro de 2004 e outubro de 2016. Foram incluídos 578 participantes com a síndrome, mas ainda sem sintomas. No primeiro exame de ressonância magnética de corpo inteiro, foram encontradas lesões em 173 deles (quase 30%). Desse grupo, 54 fizeram biópsias e 39 tiveram o câncer confirmado.

"Na primeira rodada de rastreamento, é esperado encontrar um número maior de lesões benignas e malignas, pois são alterações que já estavam lá. Por isso, há um número maior de resultados falso-positivos. A partir da segunda rodada de exames, encontramos principalmente os novos cânceres desenvolvidos nesse intervalo", diz o Dr. Rubens Chojniak, Diretor do Departamento de Imagem.

Há muito o que celebrar com esse estudo: a ressonância magnética é uma técnica segura, com baixa dose de radiação, e o seu uso pode poupar boa parte dos pacientes com biópsias desnecessárias. Aqui no A.C.Camargo, aliás, o rastreamento por ressonância já faz parte do protocolo dos pacientes com Li-Fraumeni, e foi tema da dissertação de mestrado da geneticista Daniele Paixão Pereira, do Departamento de Oncogenética. O Brasil, em particular, tem uma característica específica: em algumas regiões do país, um em cada 300 indivíduos tem a síndrome.

Para saber mais sobre a pesquisa, clique aqui.

Veja também

Discussão dos benefícios da cirurgia para pacientes com câncer de mama metastático ao diagnóstico
Por Solange Sanches, oncologista clínica e vice-coordenadora do Centro de Referência em Tumores da Mama Na literatura, não existe consenso se mulheres que fazem o diagnóstico com o câncer de mama já com metástase teria benefício ou não de operar a mama. Existem alguns estudos...
Lunch Meeting A.C.Camargo Cancer Center no XXIV Congresso Paulista de Obstetrícia e Ginecologia
Entre os dias 22 e 24 de agosto, o A.C.Camargo Cancer Center participa do Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia, no Transamerica Expo Center, em São Paulo. A Instituição estará presente com um lounge no evento e com o simpósio Controvérsias no Câncer de Mama...
Histórias reais sobre o câncer: conheça Cintia Makino
Confira o terceiro capítulo da série de vídeos em parceria com a Revista Cláudia com experiências inspiradoras de mulheres que lutam contra o câncer A gestora administrativa Cintia Makino sempre manteve seus exames de rotina em dia. Mas, em outubro de 2016, apenas quatro meses...
Radioterapia do A.C.Camargo é premiada em Congresso Nacional sobre o tema
Estudo apresentado pela equipe de radioterapia do A.C.Camargo Cancer Center sobre braquiterapia – tratamento por meio do qual a radiação atinge diretamente o tumor – foi destaque como a melhor pesquisa clínica institucional no XVII Congresso da Sociedade Brasileira de Radioterapia, realizado entre 17 e...
CR de Tumores do Aparelho Digestivo Alto: tecnologia e atenção com o paciente no centro do cuidado
Aparelho digestivo alto: contar com um grupo multidisciplinar de especialistas em oncologia no diagnóstico e tratamento do câncer é peça chave na recuperação e melhor desfecho clínico ao paciente. Ter à disposição um Centro de Referência (CR) especializado em cada tipo de câncer é contar...