Mitos & verdades: síndrome de ovários policísticos pode aumentar o risco de câncer?

Publicado em: 05/04/2019 - 18:04:37
Prevenção
Diagnóstico
Epidemiologia
Tumores Ginecológicos
Mitos & Verdades

Nossos especialistas esclarecem as principais dúvidas sobre a saúde da mulher e tumores ginecológicos 

Em março, no mês da mulher, publicamos diversos conteúdos informativos para prevenção do câncer ginecológico. Falamos sobre os tipos e sintomas dos principais tipos de tumores, lançamos uma série de vídeos informativos nas nossas redes sociais e convidamos a equipe de tumores ginecológicos para esclarecer alguns mitos e verdades. Confira!

É necessária reposição hormonal após o câncer ginecológico?
Dra. Joyce Maria Lisboa 
Verdade. A terapia de reposição hormonal em mulheres com diagnóstico de câncer ginecológico é possível. Porém, alguns fatores podem influenciar na indicação, como risco de recorrência do tumor, história de câncer de mama, tabagismo. Assim, deve ser sempre discutido com o médico responsável pelo tratamento oncológico.
 
Reposição hormonal pode ser fator de risco para o câncer ginecológico? 
Dr. João Paulo Lima 
Verdade. A reposição isolada de estrógeno aumenta o risco de câncer de ovário e endométrio (parte do útero). Já a reposição combinada de estrógeno e progesterona é mais segura: não aumenta o risco de câncer de endométrio e pode causar discreto aumento do risco de câncer de ovário.
 
Endometriose pode ter relação com câncer de ovário?
Dr. Alexandre da Costa Balieiro  
Verdade. A endometriose é uma doença frequente, presente em aproximadamente 10% das mulheres em idade reprodutiva. O risco do desenvolvimento de um câncer ginecológico a partir de um foco de endometriose é bastante baixo. A endometriose parece estar associada com câncer de ovário, o que pode aumentar seu risco de aparecimento em aproximadamente 1,9 vezes. No entanto, não parece estar associada com câncer de endométrio (corpo do útero) e com câncer de colo de útero.
 
DIU pode causa câncer de colo de útero?
Dra. Solange Sanches 
Mito! Há inclusive um estudo publicado em uma importante revista médica inferindo uma incidência menor de câncer de colo uterino nas mulheres que usam DIU. Importante salientar que o DIU não protege da infecção pelo HPV. 
  
A síndrome de ovários policísticos aumenta o risco para câncer ginecológico?
Dr. Fabrício de Sousa Castro
Verdade. A síndrome de vários policísticos pode aumentar em até três vezes o risco de câncer do corpo uterino, mas não há uma relação clara de aumento do risco para câncer de ovário, colo de útero ou mama. 
 
Laqueadura pode diminuir o risco de câncer?
Dra. Adriana Ribeiro 
Verdade! Existe associação entre laqueadura tubária e diminuição do risco de câncer de ovário. Historicamente, o ovário era considerado como o principal local de origem dos tumores ovarianos, mas dados sugerem que muitos carcinomas serosos de alto grau de ovário podem ter uma lesão precursora nas tubas uterinas. Assim, existe esta relação entre laqueadura tubária e diminuição do risco de câncer de ovário.
 
Sangramento vaginal na pós-menopausa pode ser câncer?

Dra. Elizabeth Santana 
Verdade! O sangramento vaginal é um sintoma que deve ser sempre investigado em qualquer mulher na pós-menopausa. Ele pode ser o primeiro sinal de uma neoplasia do trato ginecológico (endométrio, colo de útero, vagina ou vulva) e a investigação imediata pode permitir o diagnóstico precoce destas neoplasias, aumentando assim a chance de cura.
 
Mioma pode se transformar em câncer?
Dra. Andréa Paiva Gadêlha Guimarães
Mito! O mioma é um tumor benigno do útero. Porém, a paciente que apresente um mioma de crescimento rápido e sangramento persistente deve ser avaliada pelo médico para diagnóstico diferencial de condições malignas do útero. 

Confira outros mitos e verdades sobre os tumores ginecológicos

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Licopeno em receitas saudáveis: bolo de tomate
Assista ao vídeo e aprenda a fazer um prato rápido e gostoso Licopeno, a garantia de uma alimentação saudável, hábito que é uma das formas de prevenir o câncer. Essa substância antioxidante ajuda a inibir alterações no DNA das células que provocam o surgimento de...
Dezembro Laranja: avanços no tratamento de tumores de pele; veja o vídeo
Dezembro Laranja é o mês para conscientização sobre a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de pele. O tratamento do câncer de pele, tanto o melanoma quanto o não melanoma, avançou muito nos últimos anos. Com a entrada no mercado da imunoterapia e das...
Caneta capaz de identificar células cancerosas é destaque do Next Frontiers em Pesquisa Translacional
Confira o que há de mais moderno nas áreas de Imunoterapia, Biologia do Câncer, Bioinformática, entre outras Uma caneta que toca em um tecido tumoral e é capaz de identificar as células cancerosas em 10 segundos é o grande destaque do painel “Insights em Pesquisa...
Por que o câncer pode voltar, mesmo após um tratamento bem sucedido?
Recidiva tumoral O retorno do câncer após um tratamento bem sucedido é chamado pelos médicos de recidiva ou recorrência tumoral. Isso pode acontecer semanas, meses ou mesmo anos depois do momento em que o câncer primário ou original foi tratado, independentemente de esse tratamento ter...
Ressonância magnética auxilia na identificação do prognóstico do câncer de mama em mulheres jovens
Publicada na revista Scientific Reports, a análise ratificou a eficiência do Centro de Referência em Tumores de Mama do A.C.Camargo Cancer Center É fato notório que o câncer de mama é o tipo que tem maior incidência em mulheres no Brasil e no mundo. Costuma...