Medo de recidiva: nova forma de terapia melhora vida de pacientes após o tratamento

Publicado em: 13/10/2016 - 21:10:00
Tratamento
Reabilitação
Suporte e Reabilitação

Estudo australiano mostra eficiência de abordagem para controlar o medo da volta da doença, que impacta a qualidade de vida emocional e profissional de mais da metade dos pacientes que sobrevivem ao câncer.

Cerca de 50% dos pacientes que passaram por tratamento de câncer e 70% das mulheres jovens que tiveram câncer de mama sofrem de medo de recidiva da doença em níveis moderados a elevados.

Esse quadro, que pode impactar a atividade profissional e os relacionamentos pessoais, está associado a:

  • Baixa qualidade de vida
  • Angústia e ansiedade
  • Falta de planejamento do futuro
  • Evitar avaliação médica ou procurá-la excessivamente
  • Maior uso do sistema de saúde

Um teste clínico fase II realizado com 222 pacientes na Austrália mostrou que uma intervenção psicológica chamada Conquer Fear (Vencer o Medo) produz bons resultados logo após a ação e nos 3 e 6 meses posteriores a ela.

"A diminuição do medo de recorrência da doença foi o bastante para melhorar o bem-estar emocional e psicológico", afirmou a oncologista Dra. Jane Beith, da Universidade de Sufney, na Austrália, principal autora do estudo "Long Term Results of a Phase II Randomized Controlled Trial (RCT) of a Psychological Intervention (Conquer Fear) to Reduce Clinical Levels of Fear of Recurrence (GOR) in Breast, Colorectal and Melanoma Cancer" e que foi um dos destaques do ASCO 2017.

A técnica Conquer Fear foi desenvolvida pelos autores e, por enquanto, está sendo utilizada apenas em estudos e não na prática clínica. O processo envolve terapia em cinco sessões presenciais e individuais com duração entre 60 e 90 minutos ao longo de dez semanas.

A intervenção tem cinco focos principais:

  • Aceitação da incerteza quanto ao retorno ou não do câncer
  • Ensino de estratégias para controlar preocupação e ansiedade
  • Maior controle sobre o foco de atenção dos sobreviventes
  • Clareza sobre o que a pessoa deseja da vida
  • Escolha e adesão de um esquema razoável de acompanhamento clínico

O estudo envolveu sobreviventes de câncer de mama, colorretal e melanoma, com níveis de medo considerados de médio a alto, que foram aleatoriamente encaminhados ao Conquer Fear e ao Take it Easy, com técnicas de relaxamento e que funcionou como grupo de controle.

Os sobreviventes foram avaliados logo após a intervenção. Após 3 e 6 meses, o Conquer Fear se mostrou mais eficaz do que as técnicas de relaxamento. A nova técnica também se mostrou eficaz para reduzir pensamentos recorrentes sobre câncer, ansiedade, depressão, angústia e melhorar a qualidade de vida, em termos de maior autonomia, dor, saúde mental, relacionamentos e autoestima.

A técnica foi aplicada por psicólogos especializados em câncer, mas, segundo os pesquisadores, terapeutas podem ser treinados inclusive para oferecer a intervenção online, não presencial. O próximo passo da equipe é avaliar o impacto econômico do Conquer Fear.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Adenomas de hipófise: tumores raros e de difícil diagnóstico
Prolactinoma, acromegalia e doença de Cushing são alguns dos tumores neuroendócrinos mais comuns Diferentemente de alguns outros tipos de tumores que possuem como causa relação com fatores ambientais, radiação, estilo de vida, entre outros, ainda não se sabem os gatilhos que levam ao desenvolvimento dos...
Pesquisa indica mudança imediata no tratamento de pacientes com câncer gástrico avançado
Um novo estudo apresentado no ASCO 2017 sinaliza mudanças no tratamento dos tumores gástricos e de junção gastroesofágica operáveis. Até recentemente, o padrão era quimioterapia baseada em platina e fluoropirimidina, por 2 a 3 meses antes da cirurgia e 2 a 3 meses depois. A...
Câncer de colo de útero: o que fazer para erradicar a doença
O câncer de colo de útero é um tipo de tumor que afeta a parte inferior do órgão reprodutor feminino, e que pode não apresentar sintomas na fase inicial. Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o Brasil teve mais de 16 mil novos...
Touca de resfriamento previne queda de cabelo causada pela quimioterapia
A touca de resfriamento, também conhecida como touca hipotérmica ou crioterapia capilar, é uma aliada fundamental para pacientes que fazem quimioterapia. Em 2020, por exemplo, a Instituição realizou 29.388 sessões de quimioterapia. Como a queda de cabelo é um efeito colateral importante desse tipo de...
Câncer de mama: 7 jeitos de manter a mente calma
O câncer de mama mexe com mulheres de qualquer idade em questões como feminilidade, vaidade, maternidade e sexualidade. Existem, porém, formas de se manter calma e positiva, conforme se vê nas dicas abaixo, dadas pela Dra. Christina Haas Tarabay, head de psicologia do A.C.Camargo. São...