Médica examina pescoço de paciente

Linfoma de Hodgkin: um dos primeiros sinais pode ser um carocinho no pescoço

Publicado em: 09/09/2021 - 14:09:37
Prevenção
Diagnóstico
Sinais e Sintomas
Neoplasias Hematológicas
Linha Fina

Saiba mais sobre os fatores de risco, sinais e sintomas deste tipo de câncer que afeta o comentarista Caio Ribeiro

O ex-futebolista e comentarista esportivo Caio Ribeiro, 46 anos, anunciou em suas redes sociais que luta contra um linfoma de Hodgkin: um tipo de “câncer no sangue” que surge no sistema linfático, uma rede de pequenos vasos e gânglios que é parte tanto do sistema circulatório como do sistema imune, que produz as células de defesa do corpo.

A maioria dos pacientes com o linfoma de Hodgkin é jovem (entre 15 e 40 anos), com sinais e sintomas que demoram a aparecer. Muitas vezes, o único sintoma é o aparecimento de um carocinho, que é um nódulo inchado e indolor no pescoço, no tórax, no abdome ou na virilha, o que leva o paciente a uma consulta médica e, posteriormente, ao diagnóstico.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o número de novos casos de linfoma de Hodgkin esperados para o Brasil para cada ano do triênio 2020-2022 é de 1.590 casos em homens e de 1.050 em mulheres. Esses valores correspondem a um risco estimado de 1,52 casos novos a cada 100 mil homens e de 0,95 para cada 100 mil mulheres.

Sinais e sintomas do linfoma de Hodgkin

  • Dor nos gânglios inflamados
  • Suores noturnos intensos, com ou sem febre
  • Febre ou calafrios à noite ou mesmo durante o dia
  • Perda de apetite
  • Perda de peso inexplicável
  • Fadiga ou perda de energia
  • Coceira inexplicada
  • Tosse e dificuldade para respirar ou desconforto no peito, causados por um gânglio linfático grandemente aumentado nessa região
  • Aumento do fígado ou do baço

Fatores de risco

Existem alguns fatores de risco conhecidos para o linfoma de Hodgkin. Porém, na maior parte das vezes, a doença se desenvolve em pessoas que não estão em nenhum dos grupos de risco.

  • Idade: a doença é mais comum em adultos jovens, na faixa dos 15 aos 40 anos, e, depois, em pessoas com mais de 55 anos.
  • Sexo: o linfoma de Hodgkin é um pouco mais frequente em homens do que em mulheres.
  • Vírus: o risco é pequeno, mas alguns vírus podem aumentá-lo. A lista inclui o vírus de Epstein-Barr, o da mononucleose e o HIV.
  • Histórico familiar: se você é filho, irmão ou irmã de alguém que já teve linfoma de Hodgkin, seu risco de também ter a doença poderá ser maior.

Para saber mais sobre o diagnóstico e o tratamento, clique aqui.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Câncer de cólon e reto: conheça os fatores de risco, sinais e sintomas
O câncer de cólon e reto é o terceiro mais comum entre os homens e mulheres no Brasil – um tipo de tumor que, inclusive, foi diagnosticado naquele que é considerado o maior jogador de futebol de todos os tempos, o “Atleta do Século”. Segundo...
Cisto no ovário pode estar relacionado a um câncer?
Cisto no ovário, uma preocupação que pode surgir entre algumas mulheres. Os ovários são órgãos responsáveis pela produção dos hormônios sexuais femininos e pelo armazenamento dos óvulos. São duas glândulas localizadas na cavidade pélvica da mulher, com formato parecido ao de uma amêndoa. A partir...
Vídeo: prevenção e diagnóstico precoce em tumores de cabeça e pescoço
Os tumores de cabeça e pescoço representam o nono tipo de câncer mais comum no mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Neste vídeo, você vai entender quais são os subtipos desse tumor e como preveni-lo, além de identificar os sinais e...
Como manter sua saúde mental em tempos de Coronavírus
Seis passos para ter em mente durante a pandemia da Covid-19 Quem passa pelo tratamento de câncer já enfrenta um momento delicado. Em meio a tudo isso, ainda surge uma epidemia do novo Coronavírus, a Covid-19. O momento traz incertezas, medos, inseguranças. Mas, além de...
Vídeo: entenda os tumores cerebrais
Doutor Jean de Oliveira, head do Departamento de Neurocirurgia do A.C.Camargo Cancer Center, fala sobre os tumores que afetam um dos órgãos mais vitais do corpo humano: o cérebro. Assista ao vídeo abaixo e compreenda melhor os sintomas, além de saber mais sobre o tratamento...