Estudo PRODIGE23: foco no tratamento neoadjuvante do câncer de reto localizado

Publicado em: 01/06/2020 - 10:06:38
Pesquisa
Tratamento
Quimioterapia
Tumores Colorretais

Por Celso Abdon Lopes de Mello, oncologista clínico do A.C.Camargo Cancer Center

O tratamento do câncer de reto localizado tem passado por transformações nos últimos anos. 
Classicamente, os pacientes são tratados com quimiorradioterapia seguida de cirurgia e depois mais quimioterapia. 

Para melhorar os resultados, está se avaliando postergar a cirurgia para o final. Esta estratégia leva o nome de TNT (terapia total neoadjuvante). 

Já empregamos esta abordagem em nossos protocolos no A.C.Camargo para alguns pacientes. 

O estudo PRODIGE23 avaliou a estratégia de TNT com um esquema de quimioterapia inicial mais intenso do que o que se emprega hoje. 

Foram analisados 461 pacientes com tumor de reto localmente avançado que receberam 6 ciclos de FOLFIRINOX, seguidos de quimiorradioterapia com Capecitabina durante a radioterapia e depois a cirurgia. Os pacientes completavam mais 3 meses de quimioterapia adjuvante com FOLFOX. 

O que se observou foi que, em comparação com o tratamento "padrão", o FOLFIRINOX teve mais efeitos colaterais, mas controláveis, e apresentou maior chance de atingir resposta patológica completa (27% x 12%) – ou seja, o tumor desaparecer por completo –, e aumentou a sobrevida livre de recidiva em 7%, aproximadamente. 

Não foram apresentados ainda dados sobre o impacto na sobrevida global. 

Foi feita uma análise de qualidade de vida, que, aparentemente, não foi inferior com o esquema mais intenso. 

Esta alternativa de terapia vem na linha de aumentar a eficácia do tratamento do tumor de reto para se evitar cirurgias mutiladoras com colostomia definitiva. 

Antes de virar um padrão, precisamos aguardar outros estudos que talvez mostrem a mesma eficácia, mas com menos efeitos colaterais. 

Celso Abdon Lopes de Mello e o câncer colorretal

Saiba mais:

- Acompanhe aqui o melhor do ASCO Annual Meeting 2020

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

GAP 2016: Especialistas de todo o mundo se reúnem em São Paulo e Barretos para debater assuntos relacionados ao câncer
Em 2016, o Global Academic Programs (GAP) acontecerá pela primeira vez no Brasil, em São Paulo e em Barretos (SP), entre os dias 24 e 28 de abril. Criado pelo MD Anderson Cancer Center, esse congresso mundial, voltado a profissionais de saúde, aborda temas relacionados...
Pacientes do Amor à Vida aprendem sobre a queda de cabelo durante a quimioterapia
A quimioterapia, ao lado da cirurgia e da radioterapia, é uma das modalidades de tratamento do câncer e, por meio de medicamentos específicos, destrói as células tumorais de rápido crescimento. As drogas agem nas diversas etapas do metabolismo celular, alcançando células malignas em qualquer parte...
Teranóstica: a medicina nuclear no tratamento do câncer
Inovador, esse conceito usa materiais radioativos para obter informações sobre tumores ao mesmo tempo em que carrega medicamentos capazes de tratá-los Utilizada há anos para o diagnóstico do câncer, a medicina nuclear envolve o uso de substâncias radioativas, os chamados radiofármacos, que se dirigem exclusivamente...
A disgeusia e a salada caprese com pesto de azeitonas pretas
Assista ao vídeo e aprenda a preparar esta receita saudável, prática e proveitosa Disgeusia é a diminuição ou alteração do paladar. É algo que pode aparecer como efeito colateral do tratamento do câncer. Esta receita retratada no vídeo é leve e conta com sabores que...
A importância do oftalmologista no diagnóstico de tumores cerebrais
O oftalmologista costuma ser consultado quando as alterações visuais são perceptíveis, isto é, quando o indivíduo está com dificuldade para enxergar objetos próximos ou distantes, ou nota pontos luminosos na visão, entre outros sintomas. O papel do profissional, no entanto, não é restrito a diagnósticos...