Tubos de ensaio

Estudo multicêntrico latino-americano avalia desfechos em pacientes com câncer de canal anal metastático

Publicado em: 12/01/2021 - 01:01:47
Pesquisa
Tratamento
Residência Médica
Tumores Colorretais
Linha Fina

Por Bruna Raphaeli S. Mattos, residente na Oncologia Clínica do A.C.Camargo Cancer Center
 

O câncer de canal anal, apesar de ser considerado uma neoplasia rara, vem apresentando um aumento de sua incidência, mas conta com poucos dados na literatura a respeito do prognóstico e de um melhor tratamento. 

Ele apresenta como fatores de risco a infecção pelo HPV, a imunossupressão, a infecção pelo HIV e o tabagismo.

Assim, foi realizado um estudo multicêntrico internacional, conduzido pela oncologia do A.C.Camargo, que teve a cooperação de dois centros da Argentina e um outro do México, com coleta de dados sobre características e tratamento de pacientes com câncer de canal anal metastático. 

Apresentado no congresso europeu de oncologia da ESMO (European Society for Medical Oncology), esse trabalho ganhou o seguinte nome: Desfechos em Pacientes com Câncer de Canal Anal Metastático: Estudo Retrospectivo Multicêntrico.

O objetivo do estudo foi caracterizar esse grupo de pacientes, analisar dados de tratamento e sobrevida, bem como comparar o resultado de pacientes HIV positivos, que costumam ser pouco representados nos trabalhos.

A população geral do estudo foi, em sua maioria, do sexo feminino e com idade mediana de 58 anos. Nas comparações conforme status HIV, os pacientes positivos apresentaram menor idade mediana ao diagnóstico e maior proporção de pacientes do sexo masculino. 

Os pacientes HIV positivos tiveram numericamente uma menor sobrevida, porém não foi algo significativo estatisticamente.

O estudo trouxe dados importantes sobre os pacientes HIV positivos com câncer de canal anal metastático e reforçou a importância de incluí-los em mais pesquisas.
 

Veja também

Países discutem melhor estratégia diante de custos crescentes do tratamento do câncer
Sessão educacional mostra que mesmo países ricos estão sendo mais cautelosos em adotar inovações, aguardando para verificar o benefício real de novas drogas e tecnologias. Quando um paciente recebe o diagnóstico de câncer, ele quer ser tratado com o que há de mais novo e...
Câncer colorretal: A.C.Camargo apresenta pôster em colaboração com o MD Anderson Cancer Center
Por Samuel Aguiar Junior, cirurgião oncologista e head do Centro de Referência em Tumores Colorretais e Sarcoma do A.C.Camargo Intitulado Consensus Molecular Subtypes in Colorectal Cancer Differ by Geographic Region, este pôster apresentado na ASCO mostra resultados iniciais de uma colaboração do A.C.Camargo Cancer Center...
Um cisto no ovário pode estar relacionado a um câncer?
Cisto no ovário, uma preocupação que pode surgir entre algumas mulheres. Os ovários são órgãos responsáveis pela produção dos hormônios sexuais femininos e pelo armazenamento dos óvulos. São duas glândulas localizadas na cavidade pélvica da mulher, com formato parecido ao de uma amêndoa. A partir...
Interações medicamentosas: avanços na investigação
Publicado em periódico do European Institute of Oncology, artigo analisa impactos de se associar inibidores da bomba de prótons ao tratamento Interações medicamentosas representam um risco relativamente alto para pacientes oncológicos. Estima-se que cerca de 30% deles estão expostos a combinações de drogas potencialmente perigosas...
O primeiro estudo eficaz do uso da ressonância magnética de corpo inteiro para rastrear tumores em fase inicial
Cientistas de seis países se uniram em consórcio internacional – e nossa Instituição representando o Brasil – para diagnosticar com segurança as muitas lesões dos pacientes com a Síndrome de Li-Fraumeni. A Síndrome de Li-Fraumeni, condição hereditária de famílias portadoras que têm alto risco de...