Estudo Fase Ib de Toripalimabe associado a Axitinibe em pacientes portadores de melanoma de mucosa avançado

Publicado em: 01/06/2020 - 11:06:56
Pesquisa
Tratamento
Imunoterapia
Tumores Cutâneos

Por Daniel Garcia, oncologista clínico do A.C.Camargo Cancer Center

O melanoma de mucosa pode se originar em diversas regiões, sendo as mais frequentes: cavidades nasal e oral e mucosa vulvovaginal e anorretal. 

É um subtipo raro de melanoma, sendo responsável por 1,3% de todos os melanomas nas populações caucasianas. Já nas populações de pacientes afro-descendentes, hispânicos e asiáticos, o subtipo mucoso é responsável por uma maior proporção, chegando a representar 9% dos melanomas entre os pacientes negros e hispânicos e até 25% entre os asiáticos. 

Apesar de uma proporção maior de melanomas da mucosa nessas populações, a incidência absoluta de melanoma da mucosa permanece maior entre os caucasianos. 


A pesquisa 

Em um estudo chinês de fase Ib publicado no Journal of Clinical Oncology, Sheng et al relataram a atividade do tratamento combinado de Toripalimabe e Axitinibe – um imunoterápico anti PD-1 e um inibidor da angiogênese, respectivamente – em pacientes asiáticos portadores de melanoma de mucosa avançado, a maioria virgem de tratamento.

Os dados foram apresentados no congresso da American Society of Clinical Oncology (ASCO), em maio deste ano. 

Estudos prévios mostraram resultados modestos quando a imunoterapia anti PD-1 é realizada de forma isolada no tratamento da doença avançada, atingindo taxas de resposta da ordem de 19 a 23%. 

No estudo publicado por Sheng et al, 14 de 29 pacientes obtiveram reduções tumorais significativas, atingindo uma taxa de resposta de 48%. 

A duração da resposta não foi alcançada até a publicação e a taxa de controle da doença foi de 86%.


Toxicidade 

Nenhuma toxicidade limitante foi observada. Dentre os efeitos adversos mais importantes, destacaram-se diarreia, proteinúria, síndrome mão-pé, elevação de colesterol, hipertensão e neutropenia.

Os autores concluíram que “A combinação de Toripalimabe mais Axitinibe foi tolerável e mostrou atividade antitumoral promissora em pacientes com melanoma metastático da mucosa virgens de tratamento. Essa terapia combinada deve ser validada em um estudo randomizado de fase III, antes que possa se tornar um tratamento padrão.”

Daniel Garcia e o melanoma

Saiba mais:

- Acompanhe aqui o melhor do ASCO Annual Meeting 2020

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Seis dicas para aliviar a mente e manter o paciente confortável durante a sessão de quimioterapia
A quimioterapia é uma das mais importantes formas de tratamento do câncer, que utiliza medicamentos para destruir ou inibir o desenvolvimento de células tumorais. Pode ser aplicada por via oral ou de forma intravenosa, ou seja, diretamente na veia por meio de cateteres. Como o...
Cuidados com a pele durante a radioterapia
A radioterapia é um importante método de combate ao câncer que utiliza a radiação para destruir as células tumorais. Apesar da sua eficácia, alguns efeitos colaterais podem surgir e são até mesmo esperados. Em linhas gerais, os efeitos mais comuns são cansaço e alterações na...
Podcast Rádio Cancer Center #30 - Tumores urológicos: as evoluções no tratamento
A conversa de hoje é sobre Novembro Azul, o mês de conscientização sobre os tumores urológicos. Novas possibilidades de tratamento surgem o tempo todo, casos da imunoterapia e da hormonioterapia. Descubra quais foram as principais evoluções no tratamento sistêmico dos tumores urológicos nos últimos anos...
Vídeo: prevenção e diagnóstico precoce em tumores de cabeça e pescoço
Os tumores de cabeça e pescoço representam o nono tipo de câncer mais comum no mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Neste vídeo, você vai entender quais são os subtipos desse tumor e como preveni-lo, além de identificar os sinais e...
Uma revisão da literatura científica sobre genética que ajuda a identificar os melhores candidatos e os diversos tratamentos no câncer de cabeça e pescoço
Os cientistas analisaram artigos de 2008 a 2016 sobre microRNAs – sequências que regulam a expressão de vários genes – para entender como essas sequências podem ajudar no prognóstico. O grupo de tumores do carcinoma de células escamosas é heterogêneo: laringe, faringe, cavidade oral, cavidade...