Estudo avalia benefícios do monitoramento online de sintomas em pacientes durante a quimioterapia

Publicado em: 24/11/2016 - 22:11:00
Tratamento
Pesquisa
Quimioterapia

Pacientes que passam por quimioterapia costumam ter sintomas sérios, mas a metade deles não é reportada a médicos ou enfermeiros.

Um teste clínico randomizado com 766 pacientes, apresentado no ASCO 2017, mostrou que uma ferramenta de web pode ajudá-los, inclusive aumentando sua sobrevida, simplesmente relatando a seus médicos esses sintomas em tempo real. Pacientes com câncer metastático que usaram a ferramenta durante a quimioterapia viveram em média 5 meses a mais do que os que não dispunham da ferramenta.

Uma prévia do estudo "Overall survival results of a randomized trial assessing patient-reported outcomes for symptom monitoring during routine cancer treatment" já havia mostrado que o uso da ferramenta estava associado à melhor qualidade de vida e menos idas à emergência e internações.

O novo estudo, liderado pelo Dr. Ethan Basch, da Universidade da Carolina do Norte, envolveu 766 pacientes com câncer do trato geniturinário, ginecológico, mama e pulmão em quimioterapia, que foram divididos em dois grupos:

  • Grupo 1: de controle, relatava seus sintomas pessoalmente aos clínicos – e foi encorajado a telefonar para os médicos entre consultas, em caso de necessidade;
  • Grupo 2: usava uma ferramenta para tablets chamada Symptom Tracking and Reporting (STAR), especialmente desenvolvida para a pesquisa.

Toda semana, esse grupo informava se tinha algum dos 12 sintomas mais comuns listados, entre eles perda de apetite, náusea, dificuldade para respirar, ondas de calor (fogachos) e dor, numa escala de 1 a 5.

Os pacientes podiam relatar os sintomas em consulta semanal, de casa ou enviar alertas para a equipe de enfermagem, quando os sintomas eram severos. Em 75% desses casos, a enfermagem agiu rapidamente. Os pacientes que usaram a ferramenta dos tablets tiveram uma mediana de sobrevida superior (31,2 meses x 26 meses) aos que seguiram o sistema convencional.

O uso de monitoramento virtual de sintomas reforça a importância de otimização de controle de sintomas em pacientes oncológicos, além do uso de dados e resultados (outcomes) reportados por pacientes.

"O trabalho mostra como o controle precoce de sintomas melhora os desfechos e até pode, numa variedade importante de tumores, levar a ganhos de sobrevida global, em magnitude até mesmo maior que os ganhos vistos com inovações de tratamentos sistêmicos para câncer", observa Dr. Aldo Dettino, titular da nossa equipe de Oncologia Clínica, que acompanhou a apresentação do estudo e a discussão que se seguiu.

De acordo com ele, os melhores resultados de sobrevida estão associados tanto à intervenção precoce, quanto à maior adesão do paciente ao tratamento.

"Administrar sintomas é parte essencial do trabalho das equipes oncológicas", afirmou Dr. Basch, autor do estudo, que acredita no uso mais amplo de ferramentas online, para que pacientes possam relatar sintomas em tempo real para médicos e enfermagem. A pesquisa está prosseguindo nos Estados Unidos, agora com uma ferramenta mais fácil de usar, que funciona tanto em computadores pessoais como em celulares.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Adolescentes e adultos jovens em tratamento de câncer podem ter fertilidade preservada
A expertise acumulada em oncopediatria ao longo das últimas décadas trouxe avanços no atendimento de pacientes com diagnóstico de câncer na faixa etária de 12 a 30 anos. É uma nova área chamada câncer em Adolescente e Adulto Jovem, conhecida mundialmente pelos especialistas como AYA...
Fernando Gentil, um pioneiro em cirurgia oncológica
O cirurgião Fernando Campello Gentil (1921-1989), que hoje empresta seu nome a um de nossos ambulatórios, teve papel muito relevante na Cirurgia Oncológica no A.C.Camargo e no Brasil. Formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), fez Residência Médica no Memorial Sloan Kettering Cancer...
Podcast Rádio Cancer Center #12 - O câncer de ovário: entenda
Ouça esta conversa e saiba mais sobre a saúde da mulher Câncer de ovário: a estimativa é de 6.650 novos casos no Brasil em 2020. Ele é o sétimo câncer mais comum em mulheres no país. Se considerarmos apenas os tumores ginecológicos, ele é o...
O Outubro Rosa e a visão 360º do tratamento do câncer de mama
O Outubro Rosa coloca holofotes na necessidade da prevenção ante o câncer de mama. E, quando o problema é diagnosticado, faz diferença contar com um Cancer Center, que dispõe de um Centro de Referência multidisciplinar para cuidar de todo o processo de tratamento – adotar...
Os exames essenciais para diagnosticar o câncer de mama em mulheres com alto risco
Pesquisador do A.C.Camargo Cancer Center publica artigo que discute os papéis da mamografia e da ressonância magnética A ressonância magnética é reconhecidamente a modalidade de exame de imagem mais precisa para o rastreamento do câncer de mama em mulheres com alto risco. Mas a mamografia...