Entenda os tipos de transplante de medula óssea: autólogo e alogênico

Publicado em: 12/06/2019 - 17:06:08
Tratamento
Diagnóstico
Sinais e Sintomas
Neoplasias Hematológicas

Confira segundo texto da série sobre o tratamento 

Por Daniel Garcia, oncologista clínico, e Jayr Schmidt, head de Hematologia

Existem dois tipos principais de transplante de medula: autólogo e alogênico. No transplante autólogo, as próprias células-tronco hematopoiéticas do paciente são removidas antes que a quimioterapia ou radioterapia de alta dose seja administrada, e, então, são armazenadas para posterior uso. Após a quimioterapia ou a radiação estar finalizada, as células colhidas são infundidas no paciente.

No transplante alogênico, as células-tronco hematopoiéticas vêm de um doador, idealmente um irmão ou irmã com uma composição genética semelhante. Se o paciente não tem um doador aparentado compatível, medula óssea de uma pessoa não aparentada e com uma composição genética semelhante pode ser usada. Em algumas circunstâncias, um pai ou filho que tenha apenas metade da correspondência também pode ser usado; isso é chamado de transplante haploidêntico. O sangue de cordão umbilical também pode ser usado, uma vez que ele é rico em células-tronco hematopoiéticas.

Qual tipo de transplante é melhor? 

O médico determinará se o transplante alogênico ou autólogo é o melhor baseado em muitos fatores, como a doença subjacente, idade, estado de saúde geral e disponibilidade de um doador adequado. Essa é uma decisão complexa, pois as diferentes formas de transplante acarretam diferentes riscos. Como regra geral, o transplante autólogo está associado a menos efeitos colaterais graves, uma vez que o paciente recebe células do seu próprio corpo. 

Em um transplante alogênico, o sistema imunológico do doador pode reconhecer as células do paciente receptor, incluindo as células tumorais, como estranhas, e as rejeitam. Essa reação benéfica é chamada de efeito enxerto versus tumor. Em muitos tipos de câncer, a resposta imune causada pelas células transplantadas melhora a eficácia geral do tratamento. Esta resposta imune ajuda a matar quaisquer células cancerosas residuais remanescentes. Uma grande preocupação é que também pode ocorrer uma resposta imune contra os tecidos normais, chamada doença do enxerto contra o hospedeiro (explicada com mais detalhes abaixo). 

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Câncer infantil: diagnóstico precoce é fundamental para aumentar as chances de cura
No dia 15 de fevereiro, é comemorado o Dia Internacional de Luta contra o Câncer Infantil. No Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA) são registrados 12 mil novos casos de câncer infantil ao ano. Os tipos mais comuns são as leucemias, tumores do...
Podcast Rádio Cancer Center #29 - Tumores urológicos: prevenção e diagnóstico precoce
Tumores urológicos: prevenção e diagnóstico precoce, algo essencial para a saúde do homem. Esta é a temática da conversa de hoje em meio a este Novembro Azul, o mês de conscientização sobre os cânceres que atingem a próstata, o rim, a bexiga, o testículo e...
Coronavírus e os cuidados necessários com a traqueostomia
Pacientes traqueostomizados devem manter algumas precauções específicas Com a pandemia do novo Coronavírus, o paciente traqueostomizado precisa de cuidados que vão além daqueles de rotina. Quando um paciente tem um câncer que dificulta a passagem de ar para os pulmões, como um tumor na garganta...
ASCO 2019: estudo em parceria com o A.C.Camargo aponta avanços no tratamento do câncer de próstata metastático sensível à castração
Trabalho contou com a participação do oncologista clínico Aldo Lourenço Dettino Em parceria com o A.C.Camargo, o estudo The Targeted Investigational Treatment Analysis of Novel Anti-androgen (TITAN)/A análise de novo Tratamento investigacional direcionado anti-andrógeno publicado em uma das principais revistas científicas do mundo, a The...
Cuidados na recuperação após tratamento cirúrgico de câncer colorretal
A cirurgia é o principal método de tratamento para casos de câncer colorretal (sem metástases). No A.C.Camargo Cancer Center, mais de 70% dessas cirurgias são minimamente invasivas, isto é, realizadas por videolaparoscopia ou por meio de equipamentos robóticos, como o robô Da Vinci. Os benefícios...