Em câncer de endométrio nem sempre é preciso fazer linfadenectomia

Publicado em: 06/06/2017 - 21:06:00
Notícias

Quando o câncer de endométrio avança, geralmente o primeiro lugar em que ele vai se instalar é nos linfonodos da pelve. "Depois disso, se o câncer continuar invadindo os tecidos, a tendência é que ele avance até a para-aórtica (que fica atrás do intestino)", explica o Dr. Glauco Baiocchi, da Ginecologia.

Foram avaliados 255 pacientes.

A intenção do estudo "Para-aortic lymphadenectomy can be omitted in most endometrial cancer patients at risk of lymph node metastasis", publicado no Journal of Surgery Oncology, foi avaliar a real necessidade de procedimentos como a linfadenectomia, cirurgia que remove os gânglios linfáticos da pelve e o tecido junto à aorta para controlar a invasão do tumor.

"O que constatamos é que, na ausência de metástase pélvica, e quando o tumor ainda não chegou a se infiltrar na camada muscular, são raras as metástases para-aórticas. Isso confirma a nossa ideia de que é baixo o risco de metástase na região, e assim podemos recomendar, para esse grupo de pacientes com essas características, que a linfadenectomia não é necessária", explica o Dr. Glauco. 

O estudo avaliou 255 pacientes que já tinham se submetido à linfadenectomia e mostrou que, quando não havia tumor na camada muscular nem metástase pélvica, o risco de metástase na para-órtica ficou abaixo de 0,8%. "Esses dados são importantes para que possamos diminuir a quantidade de procedimentos", explica o Dr. Glauco. Para o paciente é também uma boa notícia: a chance de não fazer mais uma cirurgia.

Para acessar a pesquisa completa, clique aqui.

Dr. Glauco Baiocchi Neto - CRM 97051
Diretor do Departamento de Ginecologia Oncológica
Especialista em Cirurgia Oncológica - RQE nº 42471

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Fumo de terceira mão também é fator de risco para desenvolvimento de câncer
Toxinas que se fixam em roupas e no ambiente após o indivíduo terminar o cigarro também fazem mal à saúde. Após a consolidação de evidências sobre os males para quem fuma e para os fumantes passivos, cientistas chamam a atenção da sociedade para os perigos...
Doze cuidados com as mãos e os pés importantes ao paciente oncológico
Durante o tratamento quimioterápico, alguns pacientes podem sentir efeitos colaterais na pele, principalmente na região das mãos e dos pés. Dentre as principais alterações, destacam-se a Síndrome de mãos e pés; mudanças nas unhas e a neuropatia periférica, pequena lesão no Sistema Nervoso que pode...
O uso de aspirina pode prevenir o Câncer no Intestino?
Verdade. Diversos estudos demonstram a correlação da aspirina(ácido acetilsalicílico) com a prevenção do câncer colorretal. A Universidade Queen Mary, de Londres, revelou que o uso diário do medicamento, em baixa dosagem (75mg, menor que uma dose infantil) por mais de cinco anos pode prevenir tumores...
Evento para público leigo em SP destaca os sarcomas, tumores que podem acometer qualquer parte do corpo
Com mais de 12 mil novos casos previstos por ano nos Estados Unidos e em torno de 7,5 mil no Brasil, os sarcomas são considerados tumores raros, mas há uma questão que merece atenção: são tumores que podem acometer qualquer uma das estruturas denominadas partes...
Destruindo tumores: células podem programar de que forma vão morrer
Estudos apresentados no AACR Meeting 2017, em Washington, mostram que mecanismos que levam a célula para a morte programada podem colaborar no tratamento do câncer. O processo de morte celular programada, isto é, em que a célula decide a própria morte, ocorre em todo o...