Dia Nacional de Atenção à Disfagia (20/3): problemas na deglutição devem ser tratados

Publicado em: 19/03/2019 - 17:03:24
Tratamento
Diagnóstico
Efemérides
Tumores de Cabeça e Pescoço

Além de comprometer o bem-estar do paciente, alteração pode levar à pneumonia 

A disfagia é caracterizada por qualquer alteração no ato de engolir e pode trazer uma série de riscos à saúde, como aspirações de alimentos ou saliva que, se atingirem os pulmões, levam à pneumonia. Esta alteração é mais frequente no dia a dia do paciente oncológico e pode ser grave, comprometendo não só o bem-estar como a resposta ao tratamento.  Para destacar a importância do cuidado quanto do diagnóstico precoce, é comemorado em 20 de março o Dia Nacional de Atenção à Disfagia. 

Além dos sintomas clássicos como a dificuldade de mastigar e engolir, Dra. Luciana Dall'Agnol, fonoaudióloga do A.C.Camargo, destaca que é importante ficar atento a outros comportamentos. “Tempo elevado para se alimentar, necessidade de engolir diversas vezes a mesma colherada, escape de alimento pelo nariz, tosses ou engasgos durante ou imediatamente após as refeições, sensação de alimento parado na garganta, aumento na secreção pulmonar e até mesmo febre sem causa aparente podem ser sinais da disfagia”, conta. 

Um dos principais motivos que levam a este quadro estão relacionados ao próprio tratamento oncológico. Como há perda de peso e com isso a perda de massa muscular também, há um enfraquecimento da musculatura responsável pelas funções de fala, voz e deglutição. Outras causas como cirurgias na boca e garganta também podem modificar a forma de engolir. 

Exercícios e mudanças na alimentação ajudam no tratamento
A boa notícia é que esta alteração tem solução. O tratamento é realizado pelo profissional da fonoaudiologia e consiste em exercícios que fortaleçam ou melhorem a mobilidade da língua e demais estruturas da boca e laringe. Com isso, há uma melhora da disfagia. É importante frisar que cada caso é um caso e os exercícios devem ser orientados conforme a necessidade de cada paciente. 

A alimentação é outro ponto de atenção. A fonoaudióloga explica que mudanças alimentares simples podem melhorar o quadro. “Se o paciente não tiver condições de manipular e engolir as consistências dos alimentos que vem ingerindo, isso pode favorecer os sintomas de disfagia. Por exemplo, às vezes, o paciente não consegue ingerir um bife, mas ao substituí-lo pela carne moída o desempenho melhora e o risco é eliminado, sem privá-lo do alimento”, explica Dra. Luciana. 

Diante de qualquer sintoma, é importante que o paciente ou o cuidador notifique ao médico que o acompanha. O tratamento é multidisciplinar e é realizado em parceria com as equipes de fonoaudiologia e nutrição. No A.C.Camargo, a equipe de fonoaudiologia realiza atendimentos dos pacientes com disfagia nas enfermarias, UTIs e ambulatórios. 

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Vídeo: Tratamento de câncer de intestino diminuiu por conta da pandemia
O Dr. Samuel Aguiar Junior, head do Centro de Referência em Tumores Colorretais e Sarcoma do A.C.Camargo Cancer Center, participou ontem (18/02) da reportagem exibida no Jornal Nacional (Rede Globo) comentando a dificuldade de acesso ao diagnóstico e tratamento por parte da população durante a...
Fevereiro Laranja: entenda mais sobre as leucemias neste vídeo
Assista e conheça as diferenças entre os tipos linfoide e mieloide Fevereiro Laranja é o mês da conscientização sobre as leucemias. Leucemia é o câncer que tem origem na medula óssea, onde são produzidas as células do sangue. Muita gente diz que a leucemia é...
Nefrostomia guiada por tomografia é eficaz para melhorar a função renal
Pesquisa desenvolvida no A.C.Camargo Cancer Center avalia procedimento necessário quando há obstrução das vias urinárias na pelve A nefrostomia percutânea é a colocação de um dreno diretamente no interior do rim. Esse procedimento é necessário quando há uma obstrução das vias urinárias na pelve, que...
Descalonamento de terapia em câncer de orofaringe com HPV relacionado
Por Thiago Bueno de Oliveira, oncologista clínico do A.C.Camargo Cancer Center Com a utilização de tratamento inicial com cirurgia transoral robótica (TORS), técnica minimamente invasiva, disponível no A.C.Camargo Cancer Center e na qual a Instituição é pioneira e tem alta expertise, foi possível desintensificar o...
AACR 2019: extração de DNA do microbioma fecal pode identificar bactérias relacionadas à resistência dos quimioterápico
A técnica, um avanço no tratamento do câncer, poderá identificar novas bactérias relacionadas à resistência e metabolização de medicamentos quimioterápicos Por Diana Noronha Nunes, bióloga pesquisadora do Laboratório de Genômica Médica do Centro Internacional de Pesquisa (CIPE) do A.C. Camargo Cancer Center A Dra. Amy...