Conheça as diferenças da leucemia e do linfoma entre crianças e adultos

Publicado em: 02/08/2015 - 21:08:00
Notícias

O câncer é uma doença rara na faixa etária pediátrica. No Brasil, por exemplo, a estimativa é de um novo caso a cada 300 jovens de até 18 anos. No entanto, certos tipos de câncer, como a leucemia e os linfomas, podem se desenvolver em qualquer idade e, por isso, Dr. Jayr Schmidt Filho, médico titular da Oncologia Clínica do A.C.Camargo, lista as principais semelhanças e diferenças entre essas doenças hematológicas nas crianças e nos adultos.


 

Leucemia

A leucemia se divide em subtipos de acordo com:

  • Origem da célula: a leucemia surge em células mieloides (leucócitos, hemácias e plaquetas), ou em células linfoides (produtora de linfócitos, importantes no sistema imunológico);
  • Intensidade de proliferação: a leucemia progride de forma rápida (aguda) ou de forma lenta (crônica).

Mais de 30% dos casos de câncer na pediatria são de leucemia. A Leucemia Linfoide Aguda é a principal doença entre todas as neoplasias na infância, já que sua principal característica é a proliferação de células jovens e imaturas, que ocupam a medula óssea acima de sua capacidade. "A célula tumoral se expande rapidamente e retém todo o espaço da medula, prejudicando a produção de componentes sanguíneos sadios", explica Dr. Jayr. Já em adultos, a incidência da leucemia é de 1,6% e a mais comum é a Leucemia Linfoide Crônica. Essa diferenciação, contudo, não ocorre nas leucemias de origem mieloide.

Outro ponto divergente é em relação ao tratamento. A resposta à quimioterapia costuma ser melhor em crianças e adolescentes, que apresentam prognóstico favorável em cerca de 80% dos casos. Esse número diminui um pouco entre os adultos.

O único fator comum nos pacientes, independentemente da faixa etária, são os sinais e sintomas, como fraqueza, cansaço, anemia, sangramentos pelo nariz ou pelas fezes, além de hematomas.
 

Linfomas

Assim como a leucemia, o linfoma também é classificado em subgrupos: entre os Linfomas de Hodgkin e o Linfoma não Hodgkin.

O mais frequente, tanto em crianças quanto em adultos, costuma afetar principalmente os linfócitos do tipo B, células importantes do sistema imunológico. Também são comuns a qualquer faixa etária sintomas como emagrecimento inesperado, sudorese noturna (até em temperaturas baixas) e febre vespertina.

Por outro lado, entre as principais diferenças da doença, está a incidência. Enquanto o linfoma é o 3º tipo de câncer mais comum na infância (depois da leucemia e de tumores cerebrais), está entre os dez mais comuns nos adultos, ainda que, em números brutos, a quantidade seja significativamente maior.

Outra diferença surge nos subtipos do Linfoma não Hodgkin, que podem ser agressivos (com uma evolução rápida) ou indolentes (mais lentos e demoram a apresentar sintomas). Nas crianças e adolescentes, há somente casos de Linfomas não Hodgkin agressivos; entre os mais idosos, os indolentes são mais frequentes.

Dr. Jayr Schmidt Filho - CRM 127063
Médico Titular da Oncologia Clínica

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Febre Amarela: orientações para nossos pacientes
O aumento no número de casos de febre amarela, principalmente em São Paulo, tem gerado uma grande preocupação na população, e também nos nossos pacientes. A febre amarela é uma doença infecciosa, causada por vírus e transmitida por vetores, ou seja, pela picada de mosquitos...
Futebol e saúde: veja como o esporte pode te incentivar a ter uma vida mais saudável
Para muitos, todo domingo é dia de futebol! Esse mesmo empenho em acompanhar o time do coração pode ser refletido na dedicação à saúde. Aproveite e transforme o seu amor ao futebol em um incentivo para a adoção de uma vida mais saudável.
Um trabalho integrado: Jean-Bernard Durand mostra como cardiologia e oncologia têm de estar juntas
Médico do MD Anderson fala sobre os efeitos tóxicos do tratamento do câncer na saúde cardíaca dos pacientes e o uso da tecnologia para controle dos pacientes. Dr. Jean-Bernard Duran, cardiologista, professor, nasceu na Martinica, está há 17 anos no MD Anderson Cancer Center e...
Mulheres devem ficar atentas a endometriose, miomas e cistos
Se você é mulher e sofre com dores frequentes na região pélvica ou sangramentos irregulares, pode fazer parte do grupo acometido por doenças ginecológicas, como endometriose, miomas ou cistos ovarianos. Todas são doenças benignas, mas devem ser investigadas para confirmar o diagnóstico – excluindo a...
Descoberto novo fator de risco para câncer pancreático familial
Apesar de corresponder a somente 2% dos casos de câncer no Brasil, o tumor maligno no pâncreas é um dos mais agressivos. Por ser de difícil detecção, a taxa de mortalidade aumenta devido ao diagnóstico tardio e aos índices de metástase. Porém, estudo publicado no...