Como o pioneirismo em cirurgia robótica acelera a recuperação de pacientes

Publicado em: 24/07/2018 - 21:07:00
Notícias

Artigo científico descreve como foi a implementação dessa tecnologia aqui no A.C.Camargo e que temos, hoje, expertise similar aos melhores do mundo

Somos pioneiros na América Latina em cirurgia robótica de cabeça e pescoço, com expertise similar aos centros de referência do mundo. A primeira cirurgia robótica aqui no A.C.Camargo foi feita em novembro de 2014 - uma dissecção retroauricular de pescoço - e desde junho do mesmo ano cirurgiões da nossa equipe de Cabeça e Pescoço já participavam de um programa colaborativo de treinamento com a Yonsei University, da Coréia. Os resultados positivos comprovados, tanto nos aspectos funcionais quanto estéticos, impulsionaram o A.C.Camargo a disseminar esse conhecimento. Começamos a desenvolver, com a colaboração da universidade coreana, um treinamento para cirurgiões da América do Sul.

Assinado pelos cirurgiões Dr. Renan Bezerra Lira, Dr. Thiago Chulam e Dr. Luiz Paulo Kowalski, do Departamento de Cabeça e Pescoço, o artigo Safe implementation of retroauricular robotic and endoscopic neck surgery in South America (Implementação segura da cirurgia robótica e endoscópica retroauricular de pescoço na América do Sul), publicado na Gland Surgery, descreve em detalhes essa ampla experiência. "Ele conta a história de como abraçamos a ideia de fazer robótica, o caminho que percorremos para desenvolver e adaptar técnicas, os primeiros resultados", diz Dr. Kowalski. "É o passo a passo da implementação segura do método". 

O robô Da Vinci foi criado em 2005, nos Estados Unidos, e chamou a atenção de cirurgiões do mundo pelas muitas possibilidades de avanço em cirurgias. Nossa história na robótica para cabeça e pescoço se inicia com supervisão online de um professor da Coreia (os coreanos são referência mundial na área, com mais de 500 robôs) e, em seguida, três cirurgiões da nossa equipe foram a Seul para assistir cirurgias e debater casos clínicos. De 2014 a 2016 fizemos 121 cirurgias retroauriculares de pescoço, sendo 65 robóticas e 56 endoscópicas.

A parceria com os coreanos continua a todo vapor: o A.C.Camargo participa, com instituições de referência do mundo na área, de uma organização de pesquisa, o International Guild of Endoscopic & Robotic Head and Neck Surgery (IGERHNS), que promove encontros anuais. O próximo, de 2018, será no Brasil.

Estamos tão reconhecidos na cirurgia robótica que em novembro passado o Dr. Renan Lira venceu como melhor apresentação oral do Congresso Asiático de Cirurgia Robótica, com o trabalho "Esvaziamento cervical robótico em casos de câncer de boca".

Para acessar a pesquisa na íntegra, clique aqui. 

Dr. Luiz Paulo Kowalski - CRM 36404
Diretor do Departamento de Cabeça e Pescoço
Especialista em Cirurgia de Cabeça e Pescoço - RQE nº 56910

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Doze cuidados com as mãos e os pés importantes ao paciente oncológico
Durante o tratamento quimioterápico, alguns pacientes podem sentir efeitos colaterais na pele, principalmente na região das mãos e dos pés. Dentre as principais alterações, destacam-se a Síndrome de mãos e pés; mudanças nas unhas e a neuropatia periférica, pequena lesão no Sistema Nervoso que pode...
Fumo de terceira mão também é fator de risco para desenvolvimento de câncer
Toxinas que se fixam em roupas e no ambiente após o indivíduo terminar o cigarro também fazem mal à saúde. Após a consolidação de evidências sobre os males para quem fuma e para os fumantes passivos, cientistas chamam a atenção da sociedade para os perigos...
A Síndrome de Lynch e sua relação com o câncer colorretal
Responsável por cerca de 5% dos casos de câncer de intestino, a Síndrome de Lynch é decorrente de uma alteração genética que aumenta o risco de desenvolvimento de tumores no cólon e no reto. Além disso, pode aumentar também a predisposição ao câncer em outras...
Evento para público leigo em SP destaca os sarcomas, tumores que podem acometer qualquer parte do corpo
Com mais de 12 mil novos casos previstos por ano nos Estados Unidos e em torno de 7,5 mil no Brasil, os sarcomas são considerados tumores raros, mas há uma questão que merece atenção: são tumores que podem acometer qualquer uma das estruturas denominadas partes...
Destruindo tumores: células podem programar de que forma vão morrer
Estudos apresentados no AACR Meeting 2017, em Washington, mostram que mecanismos que levam a célula para a morte programada podem colaborar no tratamento do câncer. O processo de morte celular programada, isto é, em que a célula decide a própria morte, ocorre em todo o...