Cigarro na gravidez: possíveis riscos para mãe e bebê

Publicado em: 23/08/2015 - 21:08:00
Notícias

tabagismo também é prejudicial em um dos ciclos mais importantes da vida: a gestação. Fumar durante a gravidez pode ser nocivo não somente para a mulher, como também para o bebê.

Diferentemente do fumante passivo – que inala indiretamente a fumaça do cigarro –, o feto é exposto também a todas as alterações provocadas no metabolismo do corpo da mãe fumante. Entre os componentes do cigarro que interferem na gravidez, a nicotina pode reduzir o fluxo sanguíneo para a placenta, enquanto o monóxido de carbono aumenta o risco de hipóxia – redução das taxas de oxigênio no organismo. 

Titular do Núcleo de Pulmão e Tórax, a pneumologista Dra. Carolina Salim destaca os principais efeitos adversos que o tabagismo pode causar durante a gestação. "O bebê, se exposto às substâncias contidas no cigarro, pode nascer prematuramente, com baixo peso ou até mesmo correr o risco de morte", ressalta a médica. A própria grávida, se continuar fumando, pode ter a saúde prejudicada. "Trata-se de um momento de menor imunidade do organismo, pois ele precisa abrigar um 'corpo estranho' dentro de si. Isso pode facilitar a incidência de hemorragias e doenças, como o câncer", esclarece. 

Entretanto, ainda não há pesquisas que determinam se o feto de uma mãe fumante pode se tornar tabagista quando adulto. A dificuldade de realizar pesquisa com gestantes, que deve ser autorizada pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Ministério da Saúde, ainda é um obstáculo. "De qualquer modo, a gravidez pode ser o momento ideal para se livrar do vício e privilegiar a saúde da mulher e do bebê", indica Salim. 

As orientações para a gestante que deseja parar de fumar podem variar a cada caso, mas exercícios físicos leves, como caminhada e hidroginástica, além de uma alimentação saudável, podem ajudar. Procurar aconselhamento médico também é outra importante estratégia.

Dra. Carolina Salim Gonçalves Freitas - CRM 131517
Médica Titular do Núcleo de Pulmão e Tórax

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Cistos no ovário apresentam risco para desenvolvimento do câncer?
Pequena lesão comum nas mulheres durante o ciclo menstrual, o cisto de ovário desaparece em algumas semanas após seu surgimento, sem causar nenhum sintoma. Em outros casos, porém, podem ser mais duradouros, quando não relacionados ao ciclo menstrual. No aspecto oncológico, contudo, sua relação com...
Após 7 anos, OMS atualiza classificação dos linfomas e patologistas de 9 países debatem em SP os novos critérios
A cidade de São Paulo receberá ao longo de quatro dias – de 27 a 30 de maio –- alguns dos principais nomes do mundo no entendimento do perfil anatomopatológico e molecular, que leva ao diagnóstico preciso e tratamento personalizado dos tumores hematopoiéticos, entre eles...
Riscos e benefícios da reposição de vitamina D
O que é a vitamina D? Apesar do nome, na verdade, a vitamina D é um hormônio, que ajuda na saúde dos ossos, sendo protetor, por exemplo, contra a osteoporose. Além disso, há estudos que mostram que bons níveis de vitamina D podem diminuir a...
Em câncer de endométrio nem sempre é preciso fazer linfadenectomia
Quando o câncer de endométrio avança, geralmente o primeiro lugar em que ele vai se instalar é nos linfonodos da pelve. "Depois disso, se o câncer continuar invadindo os tecidos, a tendência é que ele avance até a para-aórtica (que fica atrás do intestino)", explica...
Cinco inspirações para promover a paz
A primeira data do ano é dedicada à paz. O Dia Mundial da Paz foi instituído em 1968. Selecionamos cinco frases de grandes personalidades que celebraram esse sentimento. "Se você quer transformar o mundo, experimente primeiro promover o seu aperfeiçoamento pessoal e realizar inovações no...