Cientistas do A.C.Camargo avaliam impacto que “air gaps” podem causar na eficácia da braquiterapia

Publicado em: 26/08/2019 - 14:08:56

Publicado na Brachytherapy, revista científica da Sociedade Americana de Braquiterapia, estudo explica que eventuais bolhas de ar surgem ao redor do aplicador cilíndrico durante o tratamento – algo que o uso da tomografia para planejamento é capaz de minimizar

 

A braquiterapia desempenha um papel importante no tratamento de pacientes com cânceres de endométrio e colo do útero. Quando ocorre no endométrio, o tratamento é eminentemente cirúrgico. Há exceção em alguns casos de tumores do estádio I, que podem não precisar de tratamentos adicionais, mas todos os demais necessitam de braquiterapia – com ou sem adição de radioterapia externa e/ou quimioterapia para o sucesso terapêutico. 

Já para tumores de colo uterino inicial, o tratamento é a cirurgia radical ou irradiação, dependendo da condição geral das pacientes. Ainda assim, a grande maioria irá necessitar de braquiterapia vaginal. 

Acontece que pode haver bolhas de ar (air gaps) ao redor do aplicador cilíndrico durante a braquiterapia do manguito vaginal, algo que pode ser identificado por meio de tomografia computadorizada pós-inserção. 

“A presença de bolhas de ar faz com que a irradiação planejada não chegue com a dose adequada ao alvo de tratamento; essa dose pode se tornar maior ou menor”, explica Cassio Pellizzon, head do Departamento de Radioterapia do A.C.Camargo Cancer Center.

Investigar a incidência e a localização dessas bolhas de ar foi justamente o objetivo do estudo Detection of Air Gaps Around the Cylinder by Postinsertion Computed Tomography in Vaginal Cuff brachytherapy: a Prospective Series, Systematic Review, and Meta-Analysis (Detecção de Bolhas de Ar ao Redor do Cilindro pela Tomografia Computadorizada Pós-Inserção na Braquiterapia do Manguito Vaginal: uma Série Prospectiva, Revisão Sistemática e Meta-Análise).

 

Como funciona a tomografia

Após a colocação dos aplicadores vaginais, são necessárias informações sobre a localização do aplicador no corpo da paciente e dos órgãos que estão próximos ao mesmo. “Fazemos isso para que se dê a dose máxima de radiação no leito tumoral e mínima nos tecidos normais que estão naquela região”, afirma o doutor Cassio Pellizzon, que foi o orientador do trabalho. 

“A tomografia nos dá todas essas informações detalhadas e confiáveis sobre a extensão e a configuração do aplicador, bem como de sua topografia”, acrescenta o médico.

 

O estudo

Foram avaliadas 22 pacientes. Em 18 delas (82%), se detectou um total de 45 bolhas de ar, com média de diâmetro de 3,7 mm.

A pesquisa ainda demonstrou que o diâmetro do cilindro, o local do tumor primário e o uso de radioterapia externa não foram associados à incidência dessas bolhas de ar. “Elas estão associadas, provavelmente, à colocação de um aplicador de tamanho inferior ao que a vagina comporta”, analisa Cassio Pellizzon.

Em suma, mais de 2/3 dos casos de braquiterapia do manguito vaginal apresentaram essas bolhas ao redor do cilindro. “A solução é realizar uma tomografia antes de cada sessão e, se identificados volumes significativos de bolhas de ar, o jeito é trocar o aplicador. É o que fazemos no A.C.Camargo, visando entregar o melhor tratamento possível a nossos pacientes”, conclui o doutor Cassio.

Para conferir o estudo completo (em inglês), clique aqui.

Veja também

A mamografia e o tumor de intervalo: entenda a relação
Em 5 de fevereiro, comemoramos o Dia Nacional da Mamografia. Esta data precisa mesmo ser comemorada, pois a mamografia é o exame capaz de diagnosticar o câncer de mama em seus estágios iniciais e salvar vidas de mulheres. O câncer de mama está em primeiro...
O papel do enfermeiro navegador e seu impacto na jornada oncológica
Durante a jornada oncológica, pacientes do A.C.Camargo Cancer Center podem contar com a expertise dos enfermeiros navegadores. São profissionais altamente especializados em oncologia que atuam como um elo entre o paciente e todas as equipes (assistenciais e administrativas), desenvolvendo um trabalho fundamental para melhorar os...
"O homem não pode se descuidar de jeito nenhum!"
Sou Carlos Levy, tenho 75 anos, funcionário público aposentado e pai de cinco filhos. Também sou avô dos meus quatro queridos netos e casado com o amor da minha vida, Amália. Desde meus 50 anos tenho um compromisso comigo mesmo: fazer meus exames periódicos. Sigo...
15/09 - Dia Mundial de Conscientização sobre Linfomas
A conversa de hoje é sobre linfomas. Entre os 10 tipos de câncer mais frequentes na população brasileira está o linfoma, que é caracterizado pelo aumento de um gânglio linfático, causando um "inchaço" no local. Existe até um Dia Mundial de Conscientização sobre Linfomas, que...
2020, O Ano do Profissional de Enfermagem
Saiba mais sobre essa especialidade vital para o cuidado. Clique aqui caso tenha problemas para acessar o vídeo abaixo. video { width: 100%; height: auto; }