Mãos brancas ouvem batimentos cardíacos de homem com camisa aberta, não aparece o rosto dele, foto acaba no pescoço

Cardiopatia carcinoide: descubra como funciona esta rara doença

Publicado em: 25/02/2021 - 14:02:58
Pesquisa
Diagnóstico
Exames
Linha Fina

Complicação que pode surgir em pacientes com tumores neuroendócrinos, a CC tem potencial para uma utilização alta de recursos de saúde, como mostra um estudo liderado pelo A.C.Camargo; entenda como é feito o diagnóstico precoce e o tratamento 

A cardiopatia carcinoide (CC) é uma doença rara e única, que pode ocorrer em pacientes com tumores neuroendócrinos.

Como ela evolui para a insuficiência cardíaca, a CC é uma grande causadora de óbitos. 

Ela também pode estar associada à alta utilização de recursos de saúde, algo que inclusive motivou um estudo liderado pela head da Oncologia Clínica do A.C.Camargo, Dra. Rachel Riechelmann. 


Tumores neuroendócrinos e cardiopatia carcinoide: entenda a relação 

Um tumor neuroendócrino começa nas células do sistema neuroendócrino. 

Tais células têm características tanto de células endócrinas, que produzem hormônios, quanto de células nervosas. Estão presentes em quase todos os órgãos do corpo.

A cardiopatia carcinoide, porém, não é um câncer no coração, como você pode imaginar. É uma lesão nas válvulas cardíacas, geralmente do lado direito, a parte que recebe o sangue venoso vindo do corpo. 

Essa lesão é causada pelo excesso de substâncias que alguns tumores neuroendócrinos produzem e liberam na corrente sanguínea. Um exemplo dessas substâncias é a serotonina.

Quando a serotonina ou outra substância produzida pelos tumores neuroendócrinos vai para o coração, ela causa uma lesão no mesmo, a cardiopatia carcinoide.


Cardiopatia carcinoide: diagnóstico e tratamento

Um problema importante é que os pacientes com cardiopatia carcinoide podem apresentar sintomas apenas no final do processo da doença.

Uma forma de fazer o diagnóstico precoce, segundo as diretrizes internacionais, é a realização do ecocardiograma em pacientes com ácido 5-hidroxiindolacético (5-HIAA) urinário elevado.

Uma vez diagnosticada a cardiopatia carcinoide, a substituição cirúrgica da válvula é o único tratamento potencialmente curativo.


O estudo

O objetivo da equipe liderada pela Dra. Rachel Riechelmann foi comparar pacientes com e sem cardiopatia carcinoide em relação à utilização de recursos de saúde no A.C.Camargo e em outros seis grandes hospitais na América Latina.

Foram analisados 137 pacientes com tumores neuroendócrinos e ácido 5-hidroxiindolacético urinário elevado.


Resultados 

Um terço dos pacientes (45) apresentou cardiopatia carcinoide.

“Esses pacientes com tumores neuroendócrinos que desenvolvem cardiopatia carcinoide utilizam muito mais recursos de saúde, além de apresentarem maior chance de mortalidade do que aqueles que não desenvolvem”, explica a Dra. Rachel Riechelmann.

Ou seja, isso significa mais idas ao pronto atendimento, mais ecocardiogramas eletivos, mais internações e outros procedimentos.

Esses resultados ocorreram independentemente de outros fatores, como idade, doenças cardiovasculares comórbidas e sistemas de saúde.

“Portanto, é muito importante que pacientes com tumores neuroendócrinos recebam tratamentos adequados para evitar esta complicação”, conclui a Dra. Rachel.

O estudo foi publicado no ecancermedicalscience, periódico do European Institute of Oncology. Para conferir a íntegra (em inglês), clique aqui.
 

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

A.C.Camargo participa de estudo colaborativo sobre Sarcoma de Ewing, raro tipo de câncer ósseo
A doença é rara, daí a união de um grupo de profissionais de 15 diferentes hospitais em estudo colaborativo sobre sarcoma de Ewing, publicado na BioMedCentral Cancer. O objetivo da pesquisa "What is the Impact of Local Control in Ewing Sarcoma: Analysis of the Brazilian...
Dermatoscopia, dermatoscopia digital e microscopia confocal, os exames que ajudam a diagnosticar o câncer de pele
Dermatoscopia, dermatoscopia digital e microscopia confocal são exames de imagem complementares que auxiliam no diagnóstico do câncer de pele. Essa associação de técnicas permite a identificação de lesões ainda sem critérios clássicos de um tumor cutâneo, possibilitando o diagnóstico cada vez mais precoce do câncer...
Imunoterapia para o câncer de mama triplo negativo metastático
Por Solange Sanches, oncologista clínica e vice-coordenadora do Centro de Referência em Tumores da Mama O uso da imunoterapia, que já demonstrou seu papel extremamente divisor de águas no tratamento de vários tipos de tumores, como pulmão, bexiga e cabeça e pescoço, também vem começando...
Radioterapia feita durante a cirurgia pode evitar volta de tumores digestivos e ginecológicos
Destacado em periódico internacional, estudo identificou que o procedimento garantiu sobrevida a pacientes Pessoas cujos tumores retornaram após a realização de um tratamento costumam apresentar limitações para se submeterem a novas terapias. Uma forma de virar esse jogo, de acordo com um estudo realizado no...
ASCO 2019: acompanhe os estudos apresentados pelo A.C.Camargo e os destaques do maior evento de oncologia clínica do mundo
Foto: ASCO/Scott Morgan 2019 De 31 de maio a 4 de junho, acontece mais uma edição do Annual Meeting da ASCO, American Society of Clinical Oncology, o maior evento de oncologia clínica do mundo. O nosso corpo clínico está lá, em Chicago, nos Estados Unidos...