Anticoncepcional e a prevenção do câncer ginecológico

Publicado em: 15/09/2015 - 21:09:00

Sétimo e oitavo tipos de câncer mais comuns no Brasil, o câncer de endométrio e o de ovário têm mais de seis mil novos casos previstos para o ano de 2016. Porém, pesquisas recentes estabeleceram um importante fator de proteção para essas doenças ginecológicas, que pode ajudar a reduzir suas incidências: o anticoncepcional.



"A literatura médica observou que o uso do anticoncepcional por, pelo menos 5 anos, pode contribuir para  a prevenção de câncer de ovário. E quanto mais tempo de uso, maior o fator de proteção", afirma Dr. Glauco Baiocchi, diretor do Núcleo de Ginecologia Oncológica do A.C.Camargo. Quanto ao câncer de endométrio, Baiocchi ressalta que esse método também pode ajudar a preveni-lo, porém outras questões interferem nesse processo. "Nesse caso, a obesidade é um fator de risco bastante influente para o desenvolvimento do câncer de endométrio". Dessa forma, mesmo que a mulher faça uso contínuo do método contraceptivo, outros fatores devem ser levados em conta.

Atualmente, o risco de desenvolvimento do câncer de ovário é somente 1,4%. O uso de contraceptivo pode reduzir esse número, porém, só deve ser utilizado em caso de indicação médica. "Geralmente, recomenda-se o anticoncepcional para controlar o ciclo menstrual, para evitar a gravidez ou em razão de alterações hormonais, e não por ser fator protetor de uma doença rara na população", explica Baiocchi. "Mas é possível afirmar que um número de mulheres deixará de ter câncer de ovário e de endométrio porque usaram anticoncepcional", avalia.

Contraindicação

Nem todas as mulheres podem usar o contraceptivo no seu cotidiano. "Mulheres com histórico de trombose, especialmente a partir dos 40 anos de idade, devem evitar o uso. Outra contraindicação são as pacientes com câncer de mama", exemplifica Baiocchi.

O uso de anticoncepcional também não traz riscos à gravidez da mulher, caso ela queira engravidar futuramente. 

Dr. Glauco Baiocchi Neto - CRM 97501
Diretor do Núcleo de Ginecologia Oncológica
Especialista em Cancerologia Cirúrgica - RQE nº 42471

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

"Tirinhas sem Graça" - Cartunistas deixam a piada de lado e falam sério sobre câncer de próstata
O câncer de próstata é um assunto que deve ser sempre levado a sério. Baseado nesse conceito, o A.C.Camargo divulgou a ação "Tirinhas sem Graça", criada pela agência J. Walter Thompson, com ilustrações de alguns dos principais cartunistas do Brasil sobre a importância do diagnóstico...
462 anos de São Paulo: conheça alguns destaques da maior cidade do país
A cidade mais populosa de toda a América celebra hoje 462 anos. São Paulo não só é um município de grande influência política e econômica, mas também local de ricas histórias, com locais e personagens marcantes. Como homenagem à cidade sede do A.C.Camargo, conheça alguns...
7 entre 10 casos de câncer de fígado e estômago são relacionados com Hepatites B e C e H. pylory
Estimativa realizada pelo A.C.Camargo Cancer Center aponta que 70% dos tumores de estômago são associados à presença da bactéria H. pylori. O mesmo percentual é atribuído às Hepatites B e C em relação ao hepatocarcinoma, tipo mais comum de câncer no fígado. Além dessas infecções...
A perigosa relação dos jovens com o cigarro
Momento de transição para a idade adulta, é na adolescência que, geralmente, acontece o período de autoafirmação social. É nessa fase que a adoção de comportamentos e a tomada de algumas decisões podem trazer consequências prejudiciais à saúde. Um desses exemplos é o cigarro, que...
A relação entre tabagismo e obesidade com câncer de pâncreas
Os dados podem assustar: fumantes têm risco de 2 a 6 vezes maior do que não fumantes de desenvolver câncer de pâncreas; entre 20% e 30% dos pacientes diagnosticados são fumantes; e 20% dos pacientes são obesos e diabéticos obesos. A principal forma de prevenir...