AACR 2019: o papel protetor do microbioma intestinal durante o tratamento imunoterápico

Publicado em: 22/04/2019 - 14:04:32
Pesquisa
Tratamento
Imunoterapia
Tumores do Aparelho Digestivo Alto

Fibras prebióticas e probióticos podem influenciar na eficiência da terapia 

Por Diana Noronha Nunes, bióloga pesquisadora do Laboratório de Genômica Médica do Centro Internacional de Pesquisa (CIPE) do A.C.Camargo Cancer Center

Mais uma vez o tema da avaliação do microbioma intestinal em pacientes tratados com imunoterapia anti-PDL1 (um tipo de droga que bloqueia uma proteína presente no tumor que permite que o sistema imune seja desbloqueado e possa eliminar as células tumorais) foi um dos pontos altos da AACR 2019.  A Dra. Jennifer Wargo, do MD Anderson Cancer Center, apresentou novos dados, nos quais a terapia-alvo pode tornar o microambiente tumoral mais imunogênico, ou seja, mais propenso a ser detectado pelo sistema imune, antes do tratamento com anti-PD-L1. Neste sentido, um estudo de avaliação de tratamento neoadjuvante (feito antes da cirurgia) para melanomas com alterações nos genes BRAF/MEK, versus o tratamento adjuvante (feito após a cirurgia) se mostrou muito superior.  Os pacientes tratados com terapia neoadjuvante tiveram uma resposta bastante superior e possuem ainda alguns marcadores diferenciais detectados em células-B.

Outro dado muito relevante mostrou que pacientes que ingerem uma maior quantidade de fibras prebióticas (aquelas digeridas apenas pelas bactérias presentes no intestino grosso) respondem melhor ao tratamento anti-PDL1. A pesquisa destacou que pacientes que consumiram uma dieta rica em fibras tiveram até cinco vezes mais chance de responder a este tratamento. Este mesmo estudo confirma ainda que algumas pesquisas recentes mostram que o uso de probióticos- bactérias vivas e benéficas que estão presentes em alimentos como o iogurte, kombucha (uma espécie de bebida fermentada), entre outros, muitas vezes por iniciativa do próprio paciente, pode diminuir a eficiência do tratamento. 

Por fim, foram apresentados pela Dra. Carrie Daniel-MacDoughall dados de um estudo clínico em andamento baseado na dieta dos participantes, chamado BE GONE, que avalia se a ingestão diária de feijões pode elevar a quantidade de bactérias benéficas no microbioma intestinal. O alimento poderia contrabalancear efeitos nocivos da obesidade em pacientes com histórico de câncer de cólon ou doença pré-maligna colorretal.  Neste sentido, resultados preliminares indicam que a ingestão de feijões tem realmente um efeito protetor nos pacientes que participantes do estudo. 
 

Veja também

Câncer renal: pesquisa de aluno do A.C.Camargo Cancer Center é reconhecida internacionalmente
Adriano Beserra analisou o desenvolvimento de tumores renais a partir de xenoenxertos em camundongos Câncer renal: um estudo sobre desenvolvimento de tumores malignos a partir de xenoenxertos em camundongos foi reconhecido pelo International Kidney Cancer Coalition, o IKCC (Coalizão Internacional do Câncer de Rim, em...
Inovação: a era da bioimpressão 3D chega à saúde
Tecnologia permite a construção de tecidos que reduzem rejeições e de modelos in vitro para testes de drogas imunossupressoras Células carregadas em matrizes poliméricas, as chamadas biotintas, são impressas posicionadas hierarquicamente, camada a camada, de maneira programada. Nascem assim, por meio da tecnologia de bioimpressão...
Braquiterapia guiada por ultrassom evita em até 90% os riscos de perfuração do útero
Revisão de estudos comprova a eficácia da técnica usada no A.C.Camargo em pacientes com câncer de colo uterino A braquiterapia – radioterapia em que o material radioativo, em forma de fios ou placas, fica em contato direto com o tumor – é uma das condutas...
Mapa do Câncer de Intestino no Brasil
O câncer colorretal é um dos mais frequentes na população brasileira. Nas mulheres, é o 2º mais comum, com 17.620 casos estimados para 2016 e, nos homens, ocupa a 3ª posição, com 16.660 novos casos. Nota-se, no entanto, uma diferença nos índices de incidência entre...
Covid-19: recomendações para pacientes oncológicos em seguimento
Ficar em isolamento e manter a etiqueta da tosse também são orientações necessárias para quem já teve câncer Covid-19. Pacientes que já foram diagnosticados com câncer e hoje estão curados devem ter os mesmos cuidados da população em geral na hora de se proteger contra...