AACR 2019: extração de DNA do microbioma fecal pode identificar bactérias relacionadas à resistência dos quimioterápico

Publicado em: 22/04/2019 - 14:04:56
Pesquisa
Tratamento
Biologia celular
Tumores do Aparelho Digestivo Alto

A técnica, um avanço no tratamento do câncer, poderá identificar novas bactérias relacionadas à resistência e metabolização de medicamentos quimioterápicos

Por Diana Noronha Nunes, bióloga pesquisadora do Laboratório de Genômica Médica do Centro Internacional de Pesquisa (CIPE) do A.C. Camargo Cancer Center

A Dra. Amy Bhatt, da Universidade de Stanford, apresentou resultados impactantes do desenvolvimento de uma nova metodologia de alta qualidade de extração de DNA do microbioma fecal. Essa nova técnica, que ainda não foi publicada, deve revolucionar a identificação de novas cepas (sub-grupos) de bactérias e outros microrganismos. O detalhamento da estrutura do seu material genético pode proporcionar, por exemplo, a identificação de bactérias relacionadas com resistência a antibióticos ou metabolização de drogas utilizadas no tratamento do paciente oncológico.

Um outro achado interessante apresentando pela Dra. Bhatt foi o desenvolvimento de uma metodologia de avaliação do translatoma das bactérias que compõem o microbioma intestinal. O translatoma representa o conjunto das proteínas que está sendo prontamente produzido pelas bactérias, o que permite inferir quais processos funcionais estão sendo priorizados por estes microrganismos e, assim, entender de maneira mais direcionada qual o seu papel no microbioma intestinal.

Por fim, ela apresentou resultados otimistas sobre a descoberta de uma nova categoria de pequenas proteínas produzidas pelos microrganismos que compõem a microbiota intestinal. Essas pequenas proteínas são tão diminutas que podem, por exemplo, atravessar a barreira hematoencefálica ou mesmo se difundir pelo muco intestinal, atuando como moléculas sinalizadoras para outros microrganismos, ou para as próprias células do hospedeiro humano. Eventualmente algumas destas moléculas poderão ser utilizadas no futuro como drogas.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Pesquisa avalia quais pacientes de câncer de colo do útero podem se beneficiar de cirurgia menos radical
Estudo liderado pelo nosso Diretor do Departamento de Ginecologia, Dr. Glauco Baiocchi Neto, foi escolhido como editorial principal da edição da Gynecologic Oncology, o primeiro do gênero realizado em país em desenvolvimento. O objetivo era identificar quais pacientes com câncer de colo de útero poderiam...
Podcast Rádio Cancer Center #18 - Julho Verde: sinais e sintomas do câncer de tireoide
Julho Verde: você já ouviu falar dessa campanha? Ela é a bandeira do mês de conscientização mundial sobre o combate aos tumores de cabeça e pescoço. O câncer de tireoide é um dos mais comuns: as projeções do Instituto Nacional de Câncer (INCA) apontam que...
Confira a cobertura do Next Frontiers to Cure Cancer 2019
Cobertura do dia 16 de maio de 2019 Cobertura do dia 17 de maio de 2019 Conferência de Convergência Conferência Magna Cobertura do dia 18 de maio de 2019
Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil
Dra. Cecília Costa, head da pediatria do A.C.Camargo Cancer Center, explica a importância da equipe multidisciplinar especializada para o tratamento do paciente pediátrico O Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil é comemorado em 23 de novembro. A data é uma forma de chamar atenção...
Atuação integrada beneficia o diagnóstico e o tratamento de pacientes acometidos por câncer de cabeça e pescoço
O Núcleo de Cabeça e Pescoço do A.C.Camargo Cancer Center realiza, por mês, cerca de três mil atendimentos ambulatoriais e duas mil cirurgias por ano. Nesse universo, estão pacientes acometidos por um grupo heterogêneo de tumores que podem se desenvolver em regiões da boca, faringe...