AACR 2019: estudo analisa mutações celulares associadas a fatores de risco, como o fumo e toxinas alimentares, em pacientes com tumor de fígado

Publicado em: 22/04/2019 - 14:04:00
Pesquisa
Pesquisa
Biologia celular
Tumores do Aparelho Digestivo Alto

A identificação dessas mutações pode melhorar estratégias de prevenção desse tipo de câncer

Por Dr. Israel Tojal da Silva, head do grupo de Biologia Computacional e Bioinformática do A.C.Camargo Cancer Center

Já sabemos que o câncer é uma doença multifatorial com forte componente genético. Embora o conhecimento acumulado ao longo dos anos a respeito dos fatores de risco do câncer, como o meio ambiente, alimentação e estilo de vida, ajude a compreender as muitas causas do câncer, as mutações que resultam dessas exposições ambientais e seus processos celulares endógenos não são totalmente entendidas.

Para compreender melhor a relação entre os agentes externos que aumentam o risco do câncer e as mutações celulares, a Dra. Jessica Zucman-Rossi, da Université Paris Descartes, apresentou em palestra no congresso AACR os achados de seu trabalho com amostras de centenas de pacientes com câncer de fígado, um modelo ideal para estudar essas interações. A Dra. Jessica e sua equipe se dedicam a identificar as origens genéticas e ambientais que determinam o desenvolvimento de tumores.

Neste seu projeto ela foi capaz de identificar assinaturas mutacionais que, por sua vez, foram associadas às exposições ambientais específicas, incluindo fumo e exposições alimentares a partir do consumo de microtoxinas produzidas por espécies de fungos e de plantas que contêm ácidos aristolóquicos. Esses ácidos, sintetizados pelas plantas do gênero Aristolochia, são usados em medicamentos tradicionais na Ásia e em outros lugares.

Assinaturas associadas às mutações herdadas em genes de reparo de DNA foram também observadas. Essas descobertas lançam nova luz sobre a história natural dos cânceres de fígado. A identificação de exposições associadas à iniciação de tumores pode melhorar estratégias de prevenção e esclarecer as diferenças observadas no câncer entre as populações que estão expostas aos fatores de riscos específicos, encontrados no ambiente que vivem.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Sarcomas: A.C.Camargo integra grandiosa pesquisa para entender melhor esses raros tumores
O projeto SELNET, um consórcio que reúne países europeus e latino-americanos, vai avaliar 5 mil pacientes até 2022 Sarcomas são tumores raros. Os mais comuns atingem as chamadas partes moles, como músculos, gordura, tendões, ligamentos, vasos sanguíneos, nervos periféricos e outros tecidos. Com o objetivo...
Combinar medicamentos se mostra eficaz para pacientes com câncer de pulmão que não respondem às terapias disponíveis
Na conferência Magna do Next Frontiers to Cure Cancer na sexta, 17, evento promovido pelo A.C.Camargo Cancer Center, o cientista Yosef Yarden, do Instituto Weizmann de Ciências, de Israel, falou sobre estudos que buscam tratamentos mais eficazes para os pacientes com tumores malignos de pulmão...
Tipo raro de câncer de pele, o melanoma acral exige maior atenção ao diagnóstico
Principal pigmento na produção da cor da pele, a melanina é gerada por uma célula chamada melanócito. Seu crescimento, quando normal, é controlado e substitui regularmente células velhas por novas e saudáveis. Porém, a exposição excessiva à radiação ultravioleta (UV), presente nos raios solares, pode...
Bebida alcoólica e câncer: excesso contribui para a formação de tumores
Bebida alcoólica e câncer: esta relação aumenta a probabilidade de desenvolvimento de tumores. E não só para os bebedores pesados (que consomem mais de 21 doses de álcool por semana): qualquer quantidade ingerida contribui para o aumento do risco de desenvolver certos tipos de câncer...
A.C.Camargo participa de grande estudo para mapear as características do mesotelioma pleural maligno na América Latina
Instituições de nove países arrolaram dados sobre o tumor: uma troca de conhecimento que pode gerar novos estudos internacionais O mesotelioma pleural maligno é um tumor bastante agressivo, quase sempre associado com a exposição dos pacientes ao amianto e seu prognóstico não costuma ser animador...