Residentes e Alunos

Edital para o Programa de
Bolsas de Iniciação Científica
PIBIC
Edital para o Programa
de Bolsas de Iniciação Científica
PIBIC

A Fundação Antônio Prudente, A.C.Camargo Cancer Center, realiza, por intermédio de seu Conselho de Pós-Graduação (CPG), as inscrições para o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) para 4 vagas entre as linhas de pesquisa básica e clínica.  

Inscrição (apenas para candidatos do Estado de São Paulo)

As inscrições deverão ser realizadas no período de 2 de Janeiro a 24 de Janeiro de 2019

Seleção

A aceitação do candidato será baseada na disponibilidade de vagas e estará ligada ao projeto de pesquisa previamente aprovado pela Comissão de Iniciação Científica. Dependerá também de parecer baseado no exame da documentação apresentada, entrevista, e da aprovação final desta Comissão. O candidato deverá comparecer para entrevista no dia 1º de fevereiro de 2019 (sexta-feira) às 9h.

O candidato poderá se inscrever em até 2 projetos

Os resultados serão divulgados nesta página no dia 4 de fevereiro de 2019.

Início das atividades

O aluno selecionado receberá um e-mail da secretaria de Pós-Graduação no dia 4 de fevereiro de 2019, com as orientações necessárias para a implementação da bolsa. As atividades iniciarão em fevereiro de 2019.

Em caso de dúvidas, entre em contato com a Secretaria de Pós-Graduação da Fundação Antônio Prudente pelo e-mail ensino.posgrad@accamargo.org.br

 

Lista de alunos aprovados

Nome Orientador 
Deiwet Ribeiro Silva Benedito Jorge Pereira
Guilherme Ferreira de Britto Evangelista Kenneth J. Gollob
Julia Salles Oliveira Dirce Maria Carraro
Paola Engelmann Arantes Maria Paula Curado

 

Lista de espera

Poderão ser convocados, em caso de desistência até maio de 2019

Nome Área
Aline Dias Giamondo Básica
Camille Rudoi Batista Clínica
Diana Santana Moura Fé Clínica
Diego Silva Mendes Básica
Giovana Sapienza Muro Básica 
Joyce Ferreira Targino da Silva Básica
Julia Maria Silva de Siqueira Clínica
Juliana Cristina Duarte Braga Clínica
Kleybson Samuel Melo de Andrade  Básica/Clinica
Letícia Zorante de Lucena Básica
Luís Felipe Gastaldo Poletti Clínica
Luiza Bitencourt de Carvalho Terci Coimbra Básica
Marcos Vinicius da Silva Gouveia  Básica
Pedro Henrique Barbosa Pereira Básica
Ricardo Pagrion Neto Clínica 

 

Lista de projetos que concorreram às vagas

Orientadora:

Ludmilla Thome Domingos Chinen

Resumo do Projeto:

O câncer de ovário é a principal causa de morte por câncer ginecológico em mulheres. O tratamento do câncer de ovário evoluiu na última década, com o uso de quimioterapia neo-adjuvante, quimioterapia combinada intravenosa-intraperitoneal (IV-IP), bem como o uso de paclitaxel em dose-densa e terapias de manutenção . Apesar de melhorias signias na sobrevida global, a maioria das pacientes sucumbem à doença resistente, apesar da quimioterapia. Com uma melhor compreensão da biologia molecular do câncer de ovário surgiram novas estratégias de tratamento como inibidores de angiogênese. Mais recentemente com uma avaliação mais abrangente da síndrome do câncer de ovário hereditário e descoberta das mutações dos genes BRCA1 e BRCA2, foram realizadas intervenções principalmente em pacientes com doença recidivada platino-sensível com manutenção de tratamento. Apesar destas novas estratégias nesta população espécí, a resposta a terapia tem sido variável e o fator causal disso, a presença de mecanismo de resitência primários ou adquiridos. Neste estudo utilizaremos uma técnica pouco invasiva, que consite da análise de biomarcadores de resistência a inibidores de PARP em celulas tumorais circulantes (CTCs) para tentar identiesponsiva ou não a esta terapia. Faremos também análises aprofundadas das CTCs, para enteder os mecanismos intrínsecos de resistênca a tratamento e de progressão tumoral.

Orientador:

Tiago Góss dos Santos

Resumo do Projeto:

Os sarcomas de partes moles (SPM) são neoplasias raras, com diferentes padrões morfológicos de células mesenquimais e que podem evoluir com altas taxas de morbidade e mortalidade. Os tumores de alto grau, maiores que 10 cm e profundos, possuem um pior prognóstico devido sua elevada capacidade metastática (principalmente para os pulmões), com sobrevida mediana não ultrapassando 15%. A baixa eficácia no tratamento destes tumores em parte está relacionada ao pouco conhecimento existente sobre as características biológicas que governam estes tumores. Portanto, a busca por moléculas capazes de modular a biologia destes tipos tumorais pode trazer melhorias substanciais ao tratamento da doença. Para que o desenvolvimento de novas terapias seja possível, é necessário estudar a função das alterações moleculares peculiares a este grupo de tumores. Nesse sentido, consórcios como o The Cancer Genome Atlas (TCGA) trazem uma imensa contribuição no sentido de disponibilizar à comunidade científica o panorama completo de alterações moleculares de dezenas de milhares de pacientes com tumores, incluindo os sarcomas. Porém, para que tais iniciativas façam sentido, é necessário que os estudos sejam complementados com a investigação aprofundada sobre a relevância de alterações tumorais específicas, com o intuito de identificar potenciais alvos terapêuticos que beneficiem os pacientes.

Portanto, o objetivo geral do projeto é estabelecer uma estrutura integrada, convergente e translacional para o estudo de sarcomas de partes moles. A estruturação será baseada na exploração de dados do TCGA, em modelos experimentais pré-clínicos (PDX, patient-derived xenografts e PDO, patient-derived organoids) e em amostras de pacientes atendidos no A.C.Camargo Cancer Center. A identificação de alterações moleculares clinicamente relevantes será explorada em linhagens celulares e em PDX e PDO. Os alvos identificados que apresentem potencial para aplicação clínica serão avaliados quanto ao seu poder prognóstico, preditivo e terapêutico.

O projeto de Iniciação Científica vai ter como objetivo apoiar a criação do Registro Institucional de Sarcomas e auxiliar na criação dos modelos de PDX, PDO e culturas primárias de amostras de pacientes. Os resultados gerados fornecerão dados para as análises funcionais e de terapias alvo-específicas em SPM.

Orientador:

Samuel Aguiar Junior

Resumo do Projeto:

A cirurgia minimamente invasiva já é consensual no tratamento cirúrgico do câncer colorretal. Mais recentemente, o uso da tecnologia robótica passou a compor o arsenal disponível para o tratamento particularmente do câncer do reto. O objetivo desse estudo é veriva de tempo e número de cirurgias necessárias para a incorporação dessa nova tecnologia em um hospital de referência oncológica.

Métodos: trata-se de um estudo de coorte retrospectiva, a partir de um banco de dados de pacientes submetidoa a cirurgia radical para tratamento de adenocarcinoma de reto no período de setembro de 2015 a dezembro de 2018. O período corresponde ao início da implantação do programa robótico para câncer colorretal no A.C.Camargo Cancer Center, até o momento mais atual. Os desfechos principais serão: tempo de cirurgia; tempo de internação hospitalar; taxa de complicações em 30 dias; taxa de mortalidade; taxa de reinternação hospitalar em 30 dias. Análises serão realizadas para determinar o número de cirurgias necessárias para se atingir um platô de estabilização dessas variáveis, caracterizando curva de aprendizado e curva de implementação da nova tecnologia.

Resultados esperados: espera-se que em um centro de referência, com alto volume de pacientes tratados, a implantação de uma nova tecnologia seja mais rápida e mais segura.

Orçamento: por se tratar de levantamento retrospectivo de dados já digitalizados, os custos se restringem a materiais básicos de papelaria de baixo custo.

Orientador:

Kenneth J. Gollob

Resumo do Projeto:

Os imunoterápicos incluem interferons, interleucinas, terapias celulares e anticorpos monoclonais. Dentre os anticorpos monoclonais, estão os bloqueadores de checkpoint imunológicos, apontados pela Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO) como o grande avanço na terapia contra o câncer no ano de 2017. Esses bloqueadores visam estimular a resposta de células antitumorais previamente inibidas pelo próprio tumor. Apesar de ees em alguns pacientes, controlando tumores refratários a outras terapias e diminuindo a chance de progressão da doença, a quantidade de pacientes respondedores aos imunoterápicos ainda é baixa, orno de 45% em tumores de pulmão e 30% em melanoma. Além disso, a imunoterapia pode estimular de forma exacerbada o sistema imunológico e levar ao desenvolvimento de eventos adversos imunomediados.

Neste projeto nos propomos a realizar um estudo de coorte prospectivo, não intervencionista, avaliando o estado imunológico dos pacientes tratados no Centro de Imunoterapia do A.C.Camargo Cancer Center, durante o curso de tratamento de 2 anos, durante o qual os indivíduos serão distribuídos entre os grupos que responderam e não responderam ao tratamento, e o grupo de pacientes que desenvolveram eventos adversos. Em todos os grupos, será avaliado o estado imunológico sistêmico, pela caracterização de subpopulações de células imunes e do perel. A identie marcadores de responsividade, bem como esclarecer os mecanismos responsáveis pela falha terapêutica e pelo desenvolvimento de eventos adversos, indicarão novos alvos para
o desenvolvimento de terapias adjuvantes e de novos esquemas de tratamento utilizando a imunoterapia.

Trabalhamos com a hipótese de que os estados especíação de células T, mecanismos de supressão e pereditivos de resposta e resistência ao tratamento com imunoterápicos e que essas assinaturas moleculares e celulares podem ser detectadas na circulação de pacientes antes e durante o tratamento.

Orientadora:

Maria Paula Curado

Resumo do Projeto:

O adenocarcinoma gástrico (AdG) é uma neoplasia maligna com altos índices de mortalidade no mundo. Embora as taxas de incidência estejam em declínio a mortalidade permanece alta. Apesar de possuir patogenia bem determinada, o conhecimento atual dos mecanismos Moleculares que promovem sua gênese e evolução ainda não se traduziu em impacto Signie o diagnóstico, tratamento ou novas modalidades terapêuticas que fossem capazes de alterar o curso natural da doença. Este projeto é um estudo caso-controle que visa aumentar de modo signio o conhecimento acerca desta patologia, com enfoque na população brasileira, atualizando a sua epidemiologia no Brasil. A investigação de fatores de risco de estilo de vida, consumo de medicamentos e hábitos dietéticos poderão fornecer dados sobre o pertadora de câncer de gástrico no Brasil e desta forma promover ações de prevenção e diagnóstico precoce.

Orientador:

Samuel Aguiar Júnior

Resumo do projeto

O esquema clássico de tratamento de pacientes com adenocarcinoma de reto localmente avançado envolve radioterapia concomitante a quimioterapia neoadjuvante, seguida de cirurgia radical. A quimioterapia sistêmica é indicada na maioria dos pacientes, após a cirurgia. A cirurgia radical para câncer do reto significa a ressecção com excisão total do mesorreto e, na maioria das vezes, preservação do esfíncter anal por meio de anastomose colorretal baixa. Por ser uma anastomose de alto risco de complicações, a proteção por meio de uma ileostomia em alça é mandatória, em todos os casos. Essa ileostomia é provisória e pode ser revertida assim que se conforme integridade da anastomose. O momento ideal para reversão da ileostomia ainda é controverso, se antes ou depois do início da quimioterapia adjuvante. O fechamento antes pode implicar em atraso no início da quimioterapia. O fechamento após significa manter a ileostomia por mais 6 meses, durante a quimioterapia.

Objetivo: comparar o fechamento da ileostomia antes ou depois da quimioterapia adjuvante, no que se refere à tolerância e toxicidade à quimioterapia. Métodos: trata-se de estudo retrospectivo tipo caso-controle, a partir de uma coorte prospectiva pré-existente. Os casos serão considerados os pacientes que realizaram fechamento da ileostomia antes da quimioterapia adjuvante e os controles serão os que fecharam depois, ajustados por score de ASA e idade. Os desfechos principais serão: toxicidade gastrointestinal à quimioterapia adjuvante e número de meses ou ciclos realizados em cada grupo. Resultados esperados: espera-se que o fechamento antes da quimioterapia esteja associado a menos toxicidade e maior chance de completar todo o esquema proposto.

Orçamento: por se tratar de estudo observacional retrospectivo, não há custo além de material básico e de baixo custo de papelaria.

Orientador:

Fábio de Abreu Alves

Resumo do Projeto:

As metástases ósseas estão presentes em estágios avançados de alguns tipos de cânceres como o de próstata, mama e pulmão. Os pacientes com esse quadro podem vir a apresentar dores ósseas, fraturas patológicas, hipercalcemia, compressão da medula espinhal, e um inevitável declínio para morbidade e da qualidade de vida. A seriedade deste quadro, que tende a se agravar com a progressão da doença, é o que leva a recorrente terapia com medicamentos antireabsortivos, que buscam parar ou desacelerar o processo osteolítico promovido pela metástase óssea. O Denosumab, como outros Anticorpos monoclonais e os Bisfosfonatos, é uma medicação de atuação sistêmica para a terapia antireabsortiva destinada ao controle de metástases ósseas e controle de osteoporose. Apesar de seus benefícios, a osteonecrose dos maxilares é um dos principais efeitos colaterais a ser considerado no uso dessa medicação pois, em muitos casos, pode agravar significativamente a qualidade de vida do paciente. O objetivo deste trabalho é avaliar a condição de saúde bucal nos pacientes que foram tratados com Denosumab, em ambas dosagens, ProliaⓇ (60mg) e XgevaⓇ (120mg), assim como quantificar a incidência de osteonecrose dos ossos maxilares nesse grupo de pacientes.

Orientadora:

Dirce Maria Carraro

Resumo do projeto:

O câncer de mama (CM) do subtipo triplo-negativo (TN) é caracterizado pela ausência de expressão do receptor de estrógeno (ER), receptor de progesterona (PR) e receptor 2 do fator de crescimento epidérmico humano (HER2), que são os principais marcadores utilizados na classificação das neoplasias de mama. Ele apresenta o pior prognóstico quando comparados aos outros subtipos, e representa cerca de 15% de todos os casos de câncer de mama com uma maior incidência em mulheres jovens. Em mulheres portadoras da mutação germinativa em BRCA1 e que desenvolvem CM há uma alta prevalência do subtipo TN. Por outra perspectiva, entre todos tumores TN, aproximadamente 10% possui mutação germinativa em BRCA1, sendo este número dobrado quando esta taxa é restrita a mulheres jovens. Um trabalho realizado no Centro de Inovação e Pesquisa (CIPE) do A.C.Camargo Cancer Center, pelo Laboratório de Genômica e Biologia Molecular (LGBM) avaliou, além de mutações, outros mecanismos envolvidos na perda de função do gene BRCA1, como hipermetilação do promotor, e detectou que esse mecanismo ocorre em um percentual significativo dos tumores TN esporádicos, isto é, hipermetilação do promotor decorre em tumores TN que não estão associados com mutação germinativa em BRCA1 e BRCA2. Nesse trabalho foi observado que aproximadamente 30% dos tumores apresentou perda de função do gene BRCA1, sendo por mutação germinativa ou por hipermetilação do promotor, e no grupo de mulheres abaixo de 40 anos este resultado foi aumentado para em torno de 55%. Para avaliação da metilação no promotor do gene, no estudo em questão, foi utilizada a técnica de sequenciamento bissulfito na plataforma 454 GS Junior (Roche), que permite determinar os níveis de metilação dos dinucleotídeos CpGs. Contudo, essa plataforma foi descontinuada pela empresa e a avaliação do status de metilação prevista nesse e em outros projetos do laboratório precisa ser transferida para outra metodologia. Neste contexto, na presente etapa do projeto foi feita a avaliação e padronização de um método para investigação do status de metilação dos dinucleotídeos CpG da região promotora de BRCA1 por pirossequenciamento, utilizando o equipamento Pyromark 24 (Qiagen), este método foi selecionado por ter alta sensibilidade, ser quantitativo além de ser menos custoso quando comparado com outras plataformas de sequenciamento de nova geração. Os próximos passos serão a avaliação de novas amostras tumorais quanto ao status de metilação, que serão coletadas prospectivamente por estudos do grupo usando o método de pirossequenciamento padronizado.

Orientador:

Benedito Jorge Pereira

Resumo do projeto:

Introdução: Estima-se que para o ano de 2016 existam 596.070 novos casos de câncer entre homens e mulheres. Os tratamentos utilizados, os procedimentos cirúrgicos, a radioterapia e a quimioterapia são métodos utilizados para retirada, regressão e/ou tratamento clinico do câncer. Entre os quimioterápicos mais antigos que já foram utilizados, a Cisplatina (cis – diaminocloroplatina II ou CDDP) ainda é empregada no início do tratamento de alguns tumores (mama, pulmão, cabeça e pescoço, ovário e testículo) como primeira linha de tratamento, porém seu uso é restrito por sua conhecida nefrotoxicidade.
Objetivos: Realizar o levantamento sobre a incidência de lesão renal aguda nos pacientes em uso de quimioterapia ambulatorial com cisplatina; avaliar se drogas de uso contínuo podem prevenir a ocorrência de nefrotoxicidade pela cisplatina. Métodos: estudo clínico, de coorte, observacional, prospectivo, para identificar o perfil dos pacientes submetidos ao tratamento com Cisplatina no A.C.Camargo, o uso continuo de fármacos que possam auxiliar na prevenção da Cisplatina, como Imatinibe, Cimetidina, Carvedilol, N-acetil cisteína, Vitamina E e C. Os pacientes serão submetidos a um questionário sobre seu estado de saúde e morbidades previas. Serão anotados dados do prontuario eletrônico como morbidades associadas, tipo de tumor e tratamento instituído e dados laboratoriais coletados durante o seguimento dos pacientes. A análise estatística será realizada no programa SPSS e os resultados apresentados em média, desvio padrão e porcentagens, sendo considerado significativo quando o P<0,05.

Orientadora:

Cláudia Malheiros Coutinho Camillo

Resumo do Projeto:

As células mioepiteliais apresentam um papel importante durante o desenvolvimento da glândula salivar, sendo responsáveis, entre outras funções, pela síntese de matriz extracelular e contração dos ácinos para a secreção da saliva. A identificação das células mioepiteliais pode ser realizada por imunoistoquímica. Contudo, ainda não há um marcador específico adequado para a identificação dessas células. Os tumores de glândulas salivares compreendem um grupo heterogêneo de lesões, apresentando diferentes características histológicas e comportamento clínico diverso. A variedade histológica apresentada por essas lesões tem sido atribuída ao componente mioepitelial das mesmas. Esses tumores são classificados em benignos e malignos e correspondem a cerca de 3% dos tumores de cabeça e pescoço. Há um espectro de lesões de glândulas salivares com variável composição de células mioepiteliais e que apresentam padrões histológicos distintos: predominância de células mioepiteliais no mioepitelioma, adenoma pleomórfico, carcinoma mioepitelial e carcinoma ex-adenoma pleomórfico e participação parcial das células mioepiteliais no adenoma de células basais e adenocarcinoma de células basais. Essas variações histológicas implicam em dificuldades no diagnóstico e nomenclatura para esses tumores. O objetivo desse trabalho é a determinação de uma assinatura imunoistoquímica de células mioepiteliais em tumores malignos de glândula salivar. Para tanto, serão selecionadas 10 amostras de carcinoma ex-adenoma pleomórfico, 10 amostras de carcinoma mioepitelial, 10 amostras de adenocarcinoma de células basais e 10 amostras de glândulas salivares não-neoplásicas, provenientes do arquivo do Departamento de Anatomia Patológica do A.C.Camargo Cancer Center. Esse material será avaliado por imunoistoquímica para a determinação da expressão das proteínas citoceratina 14, vimentina, actina de músculo liso, calponina, caldesmon, E-caderina e beta-catenina. Dados demográficos e clinicopatológicos de cada caso serão estudados nos prontuários arquivados no SAME do A.C.Camargo Cancer Center. A comparação entre os resultados de imunoistoquímica e as características demográficas, clínicas e patológicas será realizada por meio do teste qui-quadrado. O nível de significância adotado é de 5% para todos os testes.

Orientador: 

Marcos Duarte Guimarães

Resumo do projeto:

Muitas modalidades de diagnóstico foram sugeridas como método de rastreamento para o câncer de pulmão. Entre 1952 e 1975, estudos prospectivos avaliando radiografia simples tórax para o rastreamento foram realizados. Nenhum demonstrou benefício em reduzir a mortalidade pelo câncer de pulmão. O National Lung Screening Trial (NLST), estudo americano randomizado o qual comparou o uso de TC de baixa dose e radiografia de tórax para o rastreamento de câncer de pulmão, foi o primeiro a demonstrar a eficácia da tomografia no rastreamento para câncer de pulmão publicado em 2011. Apesar do pouco número de estudos publicados analisando o rastreamento do câncer de pulmão em nosso país, parece haver uma tendência a um maior número de rastreamentos positivos, porém com o número de diagnóstico histológico de neoplasia pulmonar semelhante, em virtude da alta prevalência de doença granulomatosa no Brasil, especialmente tuberculose. Dessa forma, o rastreamento na população brasileira poderá implicar em maiores taxas de exames falsos-positivos o que consequentemente implica em investigações diagnósticas desnecessárias como biópsias ou intervenções cirúrgicas. Portanto, será realizado um estudo retrospectivo com objetivo avaliar o uso tomografia computadorizada de baixa dose no rastreamento do câncer de pulmão em indivíduos com alto risco para o desenvolvimento desta neoplasia.