Notícias

Um olhar sobre a qualidade de vida e reabilitação do paciente oncológico
Um olhar sobre a qualidade de vida e reabilitação do paciente oncológico

Publicado em: 26/04/2017

Nossos especialistas fazem um resumo dos painéis de Efeitos Tardios, Enfermagem, Fisioterapia e Músculo Esquelético, do evento Next Frontiers to Cure Cancer.

 

Efeitos tardios

"As discussões deste painel foram superaprofundadas em pesquisas e estudos sobre os efeitos tardios do tratamento do câncer. O mais interessante foi poder contar com especialistas que vivenciaram no passado algumas evoluções que resultam hoje em menos efeitos e, da mesma forma, acompanhar inovações do presente que vão gerar ainda melhores resultados na qualidade de vida dos pacientes", contou nossa diretora da Oncologia Pediátrica, Dra. Cecilia Maria Lima da Costa.

 

Enfermagem

A diversidade dos painéis de enfermagem mostrou que as novas fronteiras dos profissionais da área oncológica estão relacionadas à dedicação ao ensino, pesquisa, assistência e gestão baseados em evidências científicas.

Para José Luiz Gasparini, nosso enfermeiro e responsável pela organização dos temas, "os desafios continuam, como a capacitação profissional, o manejo de sintomas, o aprimoramento e a adesão de processos. A gestão do processo assistencial é o caminho para superar algumas fronteiras".

Ele ainda reforçou que as novas tecnologias fazem cada vez mais parte da rotina clínica, mas não substituem o vínculo direto com o paciente. "Nosso trabalho melhora indicadores, diminui custos, mas o resultado principal é melhorar a experiência do paciente. A experiência olho a olho pode mudar uma vida", encerrou.

 

Fisioterapia

Uma programação voltada à qualidade de vida. Assim podem ser resumidas as conversas promovidas no painel de Fisioterapia. Temas como pós-operatório, avanços tecnológicos, prática de atividade física e acompanhamento psicológico apontaram para um caminho: um profissional focado em atendimentos personalizados.

Dra. Celena Friedrich, nossa diretora de Fisioterapia e uma das responsáveis pela seleção de palestras, acredita que envolver diferentes especialidades é fundamental para a reabilitação. "O paciente oncológico não pode ser visto de um único ponto. Ele precisa estar bem clinicamente, com uma boa nutrição, e psicologicamente preparado para que o trabalho do fisioterapeuta tenha bons resultados, por exemplo", avaliou.

 

Músculo esquelético

"O tratamento deve ser multidisciplinar", enfatizou Dra. Suely Akiko Nakagawa, nossa diretora do Núcleo de Ortopedia. As palestras do painel Músculo Esquelético mostraram estudos comprovando que essa atuação integrada de cirurgiões, ortopedistas, radiologistas, patologistas, oncologistas clínicos, radioterapeutas e oncologistas pediátricos gera melhores resultados para os pacientes, como aumento da sobrevida e mais qualidade de vida. "Os destaques foram a evolução das cirurgias para preservação de membros e os avanços nas pesquisas científicas sobre alterações genéticas e moleculares, um campo amplo e promissor", comentou.