A.C.Camargo
A luta contra o câncer é
uma causa da humanidade
Ir para o site institucional >

Biografia

Nossa história foi construída por grandes nomes que, comprometidas com a luta contra o câncer, dedicaram suas vidas a criar melhores condições de enfrentar esse desafio. Conheça a biografia de alguns dos protagonistas dessa trajetória.

Antônio Cândido de Camargo (A.C.Camargo)

Antônio Cândido de Camargo

Foi o grande mentor do nosso fundador, Antônio Prudente. 
Era cirurgião e foi presidente da Associação Paulista de Combate ao Câncer - embrião do A.C.Camargo - até sua morte em 1947.

Desde a fundação da Faculdade de Medicina em 1913 até 1934, Camargo foi professor responsável pela cadeira de clínica cirúrgica - esta é a especialidade que Antônio Prudente seguiria com paixão.

O mestre transmitiu ao discípulo os primeiros ensinamentos na área, todo o conhecimento avançado que trouxe dos tempos de estudo em Genebra, na Suíça, e na capital austríaca, Viena.

Camargo pertenceu à equipe de Jacques Reverdin, um dos grandes nomes da cirurgia no século XX. No Brasil, foi pioneiro em neurocirurgia e trouxe importantes contribuições para o tratamento de tumores de cérebro e medula.

Voltar para as biografias

 

Antônio Prudente

Antônio Prudente

A trajetória de Antônio Prudente contra o câncer começou a tomar forma em 1933, quando uma série de cinco artigos de sua autoria foi publicada no jornal "O Estado de S. Paulo". Os artigos falam da perplexidade diante do mistério sobre a origem do câncer e técnicas de tratamento.

"(...) o câncer é uma moléstia de perfeita curabilidade, quando tratada a tempo", afirmava, logo no primeiro artigo da série, publicado em 4 de setembro de 1933. Os fatores essenciais para o sucesso são "a educação do povo" e a necessidade de "diagnóstico precoce".

Um ano depois, em 1934, criou a Associação Paulista de Combate ao Câncer.

A entidade teria como objetivos arrecadar recursos para combater o câncer, desenvolver campanhas públicas de educação, propiciar especialização por meio ensino para médicos, enfermeiros, dentistas e assistentes sociais e manter intercâmbio de programas com organizações similares no Brasil e exterior.

O primeiro presidente da APCC foi Antonio Cândido de Camargo. Juntos, eles organizaram a base da luta contra o câncer. Juntos, começaram a construção do Instituto Central para tratamento dessa doença.
Antônio Prudente era médico e, em 1938, em uma viagem para a Alemanha, conheceu a jornalista Carmen Annes Dias. Unindo seu conhecimento em medicina, o carisma de Carmen e a paixão por essa causa, fundaram, em 1953, o A.C.Camargo Cancer Center.

Voltar para as biografias

 

Carmen Annes Dias

Carmen Annes Dias
Carmen Annes Dias era uma morena alta, sorridente e bondosa, apaixonada por idiomas. Era fluente em espanhol, italiano, inglês, francês e alemão. Já adulta, aprendeu a falar russo e japonês.

Em uma de suas viagens com o pai, conheceu o médico Antônio Prudente Meirelles de Moraes. À primeira vista, como contou às irmãs, achou-o antipático e grandalhão. Casaram-se dois meses depois, no Rio de Janeiro.

Carmen fez da sua união com Antônio Prudente um acontecimento, uma experiência transformadora. Passou a usar o sobrenome Prudente como um estandarte, uma marca da luta contra o câncer.

Seu carisma e dedicação no combate ao câncer conquistavam a todos. Aonde ia, palestrava sobre os feitos da Rede Feminina de Combate ao Câncer no Brasil.

Reconhecida internacionalmente por seu trabalho, recebeu em 1980, na Itália, o Prêmio Saint-Vincent de a "Mulher do Ano". Morreu em 3 de junho de 2001 e desde 2003 nomeia nosso Complexo Ambulatorial especialmente voltado às mulheres em tratamento de tumores de mama e ginecológicos.

 

Voltar para as biografias

 

Celestino Bourroul

Celestino Bourroul

O médico e professor Celestino Bourroul assumiu a presidência da Associação Paulista de Combate ao Câncer, embrião do A.C.Camargo, logo após a morte do então presidente Antonio Cândido de Camargo.

Bourroul foi também mestre fundador da Faculdade de Medicina, em 1913. Era afável e despretensioso. Antônio Prudente, sabendo o quanto Bourroul gostava de rir, sempre trazia uma piada engatilhada caso o encontrasse.


Celestino Bourroul nomeia nossa Escola de Cancerologia, pioneira na implementação do 1º programa de Residência Médica em Oncologia no Brasil.

Voltar para as biografias

 

Fernando Gentil

Fernando Gentil

Fernando Gentil foi um dos primeiros brasileiros a ter um treinamento formal em Cirurgia Oncológica, sob a forma de Residência Médica. Se formou em medicina aos 21 anos e se especializou no Memorial Sloan-Kettering Cancer Center, nos Estados Unidos. Lá, foi assistente de George T. Pack, uma das maiores autoridades em cirurgia oncológica e um dos primeiros a acreditar na quimioterapia como forma de combate ao câncer.


Gentil retornou ao Brasil e foi convidado por Antônio Prudente para chefiar nosso Departamento de Cirurgia Pélvica.

Em meados dos anos 70, Gentil propôs uma cirurgia conservadora para o câncer da mama, uma alternativa com melhores resultados estéticos quando comparada à mastectomia radical. Ao morrer, em 1989, tinha mais de 400 casos tratados com essa técnica: um marco na história desse tipo de cirurgia. Os primeiros sessenta casos desta cirurgia estão publicados no Journal of Surgical Oncology,14: 173-93 (1980).


Ele nomeia um Complexo Ambulatorial direcionado ao tratamento de tumores como próstata, pênis, bexiga, estômago, intestino, esôfago, dentre outros.

Voltar para as biografias

 

Jorge Fairbanks

Jorge Fairbanks

Jorge Fairbanks Barbosa nasceu em 1915, em São Simão, interior de São Paulo. Filho e irmão de médicos é o cirurgião criador da especialidade de Cirurgia de Cabeça e Pescoço no Brasil, implantada por ele a partir de 1952, quando o A.C.Camargo Cancer Center ainda nem tinha sede própria e funcionava como Instituto Central do Câncer no Hospital Santa Cruz, em São Paulo.


Jorge diplomou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo em 1939. Otorrinolaringologista, foi um dos primeiros médicos a realizar cirurgias para surdez em São Paulo. Nada se compararia, no entanto, ao êxito alcançado por Fairbanks no Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço, que chefiou de 1953 a 1968, no então Hospital do Câncer. A padronização das técnicas operatórias na especialidade não existia. Fairbanks as criou.

Fairbanks publicou mais de cem trabalhos em revistas e livros técnicos de vários países. Entre as publicações no Brasil e exterior, destacam-se "Tratamento Cirúrgico dos Tumores de Cabeça e Pescoço", editado por Grune & Stratton, em Nova Iorque em 1974, então um tratado definitivo sobre as cirurgias na especialidade; e "Esvaziamentos Cervicais e Seus Problemas", do Fundo Editorial Prócienx, 1962.

Fundou em 1967 a Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço, tendo sido seu primeiro presidente. Em sua homenagem, nomeamos um Complexo Ambulatorial destinado, principalmente, aos pacientes em tratamento de tumores de cabeça e pescoço.

Voltar para as biografias

 

Ricardo Brentani

Ricardo Brentani

Presente na vida acadêmica e científica internacional desde o início dos anos 60, quando aos 25 anos assinou um artigo na prestigiosa revista Nature e introduziu no Brasil os estudos sobre o RNA, por orientação do Professor Isaías Raw, Brentani teve cerca de 300 estudos publicados nas principais revistas do mundo. 

Foi o primeiro Professor Titular de Oncologia da Faculdade de Medicina da USP, cadeira que criou em 1980 e dirigiu até 2007, quando se tornou Professor Emérito da instituição.

Presidiu a FAPESP, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estadode São Paulo. Mas o que fazia seus olhos brilharem era o fato de ter transformado o A.C.Camargo Cancer Center no principal centro de ensino, ciência e assistência ao câncer no país. O mais importante centro formador na área, fora da universidade pública, numa instituição privada, filantrópica por vocação.

Estava lá desde 1984, quando o megaempresário suíço Daniel Ludwig ali instalou a filial brasileira do Instituto Ludwig de Pesquisa sobre o Câncer e escolheu Brentani para dirigi-la, tudo por sugestão do pesquisador Humberto Torloni. Em 1990, a convite do nosso então presidente José Ermírio de Moraes Filho e de Dona Carmen Prudente, nossa fundadora, Brentani assume a condução do Hospital.

Promoveu uma revolução no A.C.Camargo Cancer Center. Seguindo o sonho de Antônio Prudente e sua esposa Carmen, Brentani formou inúmeros cientistas e médicos que mudaram a história do câncer no Brasil. E inseriu a nação no cenário mundial da pesquisa oncológica e da genômica. Orgulhava-se em dizer que "este hospital alcançou índices de sucesso no tratamento do câncer só comparáveis aos dos principais centros oncológicos internacionais".

Voltar para as biografias